Lição 02 – A formação do mundo

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Primeiro Trimestre de 2013

Tema geral do trimestre: Origens

Estudo nº 02 –  A formação do mundo

Semana de   5 a 12 de janeiro

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário é meramente complementar ao estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com.br marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar: “Assim diz o Senhor, que criou os céus, o DEUS que formou a Terra, que a fez e a estabeleceu; que não a criou para ser um caos, mas para ser habitada: Eu Sou o Senhor, e não há outro” (Isa. 45:18).

 

Introdução de sábado à tarde

Que há planejamento na natureza, em todas as suas dimensões, isso é incontestável. Em tudo existem leis que determinam um equilíbrio perfeito. Mesmo após seis mil anos de deterioração pelo pecado, em nosso planeta ainda essas leis funcionam muito bem. Assim como não encontramos em nosso planeta país algum sem uma inteligência (seres humanos) que elabora e firma leis para serem cumpridas, do mesmo modo não devemos esperar que no vasto Universo surgissem leis por acaso, sem planejamento nem ação de alguma inteligência. Nenhuma organização humana é capaz de funcionar sem leis, e até hoje essas leis jamais se formaram sem que houvesse a ação da inteligência humana. E as organizações e países são menos complexos que o funcionamento, por exemplo, de um único cérebro humano, de um olho ou de qualquer sistema vital do organismo humano. Um único átomo é incrivelmente complexo, e tudo o que é complexo funciona por meio de leis.

Tais leis da natureza, se atentarmos bem, se isolarmos a ação do pecado, possuem uma convergência impressionante. Elas sempre contribuem para o equilíbrio, nunca para a desorganização. Elas têm em comum o amor de DEUS, a Sua assinatura como Criador. Só não se pode ver direito essa assinatura nos contextos onde o pecado já prejudicou mais intensamente. Mas, por exemplo, podemos ver tal assinatura nos lares onde há equilíbrio. Ontem à noite, minha esposa e eu nos sentamos no jardim, para apreciar a beleza da noite. A temperatura estava agradável. E apreciamos a harmonia entre nós. Conversamos e em momentos vimos passar uma hora. Não estávamos lá só nos dois. Sentimos a presença de DEUS, pois havia harmonia e unidade, havia felicidade. Os anjos de DEUS também estavam lá. O amor se fez presente, e o amor é a assinatura de DEUS, dizendo melhor, é a Sua identidade, pois Ele é amor.

Tudo o que existe tem um propósito: contribuir para a beleza e a felicidade. Faz parte desse propósito a vida eterna, nas condições de um ambiente supremamente lindo, com uma permanente música dos pássaros. Faz parte do propósito que as criaturas feitas à semelhança de DEUS sempre sejam felizes, e que, por serem superiores, promovam a felicidade de toda a criação. Infelizmente o pecado danificou seriamente esse complexo sistema muito bem equilibrado. Mas não falta muito, e tudo retornará à estabilidade do amor.

 

 

 

 

  1. 1.      Primeiro dia:  Sem forma e vazia

Gênesis 1:1 e 2 informa que DEUS criou os céus e a Terra no princípio, ou seja, a criação do Universo foi o princípio de tudo. Nada havia antes desse princípio, e se houvesse alguma coisa além de DEUS, a criação não seria princípio.

Mais uma coisa que é explicada nestes dois versos. É bem importante a palavra “porém”. DEUS havia criado tudo, “porém” a Terra era sem forma, isto é, ainda havia caos na superfície, e estava vazia, pois nenhum ser vivo habitava a Terra. DEUS ainda não havia organizado a vida em nosso planeta. Quanto tempo levou entre a criação que foi no princípio e a organização do ambiente para a vida, isso é impossível de se saber. Qualquer coisa que se afirmar nesse sentido não passa de mera especulação. E especulações não ajudam em nada, mas geralmente atrapalham bastante. Isso não quer dizer que não devamos ser curiosos em relação aos temas bíblicos para os quais não temos respostas; podemos e devemos ser curiosos. O que não devemos é nos apressar e tentar explicar sem fundamento. Um dia saberemos.

No livro de Isaías, capítulo 45, verso 18 encontramos outra explicação bem interessante. Ali diz que DEUS não fez a Terra para ser um caos, mas para ser habitada. O que isso quer dizer? Significa que certas condições para que houvesse vida aqui já foram providenciadas desde o princípio. A distância da Terra em relação ao Sol foi assim providenciada. A velocidade da rotação da Terra e a velocidade de seu curso em redor do Sol, tudo já estava previsto e adequadamente pronto. Os elementos químicos existentes na Terra também já estavam completos. Portanto, era só DEUS vir aqui, quando desejasse, e com os elementos que já havia providenciado, criar todas as coisas. Exemplos podem ser a separação da água e da terra que já existiam, mas estavam desordenadas e a utilização de terra para formar Adão e Eva.

Outro ponto bem importante que podemos aprender aqui é que DEUS deixa grande parte da criação em estado bruto. Por exemplo, a Lua, nosso planeta, ainda está como foi criada no princípio. Os demais planetas também. O acabamento DEUS só providencia onde Ele planeja criar vida, e só quando essa vida for criada. Os demais planetas permanecem sem forma e vazios, e muitos deles nem água possuem. Outros possuem, como parece ser o caso de Marte. Mas isso não quer dizer que haja algum plano de criar vida por lá.

Esse aspecto da criação, de permanecer sem forma, é importante ter em mente, pois ela pode favorecer o evolucionismo, que entende a migração dos corpos celestes para um estado cada vez mais organizado. Não é nem pode ser assim. A organização, como foi no caso da Terra, veio a partir da ação de um Ser infinitamente inteligente com uma inexplicável capacidade de planejar e de realizar o que planejou.

 

  1. 2.      Segunda: Haja luz

Está escrito: DEUS criou a luz no primeiro dia da semana da criação. Ele simplesmente disse “haja luz”, e houve luz. Essa é uma das misteriosas passagens bíblicas que não podemos explicar. Mas, quando tivermos a explicação, nos admiraremos como ela é simples. Por certo. Muitos entendem que a luz do primeiro dia vinha do próprio DEUS. Nada se pode afirmar embora essa pareça ser a possibilidade mais plausível. Fato é que a Bíblia disse que havia luz, e que o Sol e as estrelas só passaram a iluminar no quarto dia.

Surge uma pergunta: qual a razão de DEUS não ter feito vir luz do Sol e das estrelas, que até o quarto dia, aparentemente permaneceram também sem forma e vazios, isto é, sem a função de iluminar? Não é difícil entender. DEUS estava demonstrando que Ele é o originador de todas as coisas, e que não necessita da luz de estrelas para que algo seja bem iluminado. No livro de Apocalipse (21:23) explica-se como pode ter sido a luz dos três primeiros dias, ao dizer que na cidade santa não haveria necessidade de luz do Sol nem da Lua (não diz que não haverá Sol nem Lua) porque “a glória de DEUS a iluminou…”. DEUS quando Se manifestou aqui na Terra, a encheu de luz, e o fez de tal maneira que por um tempo era dia, por outro tempo era noite. Uma coisa é certa: DEUS começou a criar as cosais aqui na metade de cada dia, por isso, primeiro vem a parte escura e depois a parte iluminada de cada dia. Onde DEUS Se pronuncia, aí há luz, seja a luz para ver as coisas, seja a luz para entender as coisas.

 

  1. 3.      Terça: O céu criado

No segundo dia DEUS, o Senhor JESUS, fez duas coisas imprescindíveis para a vida humana. Ele separou as águas de baixo e colocou parte dessas águas acima da superfície. Ou seja, Ele criou o firmamento, que conhecemos por atmosfera, ou ar que se pode respirar, imprescindível para a vida. Esse ar é composto por vários elementos químicos, e água em forma de vapor. Depois separou as águas das terras, conforme Gên. 1:9 e 10. Foram então formados os continentes e os mares. Então podemos deduzir que, antes da semana da criação, o nosso planeta era coberto de água e não possuía atmosfera.

A atmosfera, em si, já é um elemento de beleza. Ela permite a brisa suave. Naqueles tempos não havia vendavais nem tempestades. A atmosfera, logo mais, permitiria que as aves voassem por meio dela, assim como os peixes viriam a nadar nas águas dos rios e oceanos. A temperatura pode ser regulada por meio da atmosfera, e ela também protege a superfície da Terra de meteoritos vindos do espaço bem como de raios solares inadequados. Tudo estava sendo criado de maneira bem equilibrada, por um poder e inteligência que é capaz de fazer isso. DEUS certamente tem propósitos para deixar voando pelo espaço cósmico corpos como que sem rumo. Assim como deve ter propósito as explosões que ocorrem em grandes estrelas, choques de estrelas, nascimento e desaparecimento de estrelas e galáxias, buracos negros que sugam até a própria luz, e assim por diante. É de se lembrar que, antes da criação deste planeta onde vivemos, tudo estava desorganizado, e DEUS avançou na ordem para que pudesse haver vida. Podemos ter certeza que tudo o que existe no Universo, que hoje podem nos deixar perplexos, algum propósito contém, e alguma razão para ser assim também existe. Um dia teremos o privilégio de estudar estas coisas, ou seja, estudar sobre o amor de DEUS. Talvez esses aparentes e complexos choques de estrelas sejam locais onde não há vida criada por DEUS, e talvez, onde houver vida, como aqui na Terra, estas coisas não aconteçam porque ali existem representantes da ordem e do equilíbrio que vem de DEUS. Mais um assunto que poderemos estudar no futuro. Uma coisa sabemos: antes da criação aqui na Terra, ela não estava organizada, e DEUS organizou muito bem para ela receber a vida inteligente, e depois disso, enquanto não houvesse pecado, a ordem se perpetuaria indefinidamente.

A atmosfera DEUS criou para que se viabilizasse a vida na Terra. Ele não criou a vida antes da atmosfera, nem antes da formação dos continentes. Havia uma ordem inteligente. A vida não veio a este planeta em condições incompatíveis com a vida como se tenta fazer crer pela Teoria da Evolução.

 

  1. 4.      Quarta: Espaço para viver

Para separar as águas em mares e continentes, DEUS teve que mexer com a estrutura da Terra, quando Ele realizou um trabalho de complexa engenharia. Mexer com a estrutura da Terra pode torná-la frágil, mas não foi o que aconteceu na semana da criação. Porém, a fragilidade da Terra apareceu nos meses do dilúvio, quando brotaram do interior da Terra muitas águas que a cobriram e depois retornaram outra vez ao interior dela, como o Aquífero Guarani, e outros, além das águas nas geleiras polares. Desde então a Terra se tornou frágil, sujeita a vulcões e terremotos. Quando DEUS mexeu com a terra submersa e a levou a outro lugar para formar os continentes, obviamente a profundidade do oceano se tornou bem mais profunda que antes, e deve ter havido uma impressionante movimentação de ondas que perduraria por muitos dias. Mas Aquele que a uma palavra aquietou o mar da Galileia, também providenciou que tudo estivesse calmo no mínimo até o final daquele segundo dia. Fico a imaginar, como devia ser linda a Terra no final daquele dia – havia luz, havia continentes e atmosfera. DEUS mesmo disse no final desse dia que o que fizera era bom, e o primeiro astronauta, Yuri Gagarin, disse: “A Terra é azul”. Sim, ele foi o primeiro ser humano que teve o privilégio de ver a Terra de fora da atmosfera, que é azul. Que maravilha!

Havendo a parte seca no planeta, no mesmo dia, criou DEUS a relva, a erva e as árvores. Ou seja, a Terra então ficou coberta de um tapete verde, de vários matizes, era a relva, ou a grama. Mas ao mesmo tempo, Ele também criou a erva que produzia sementes, como o trigo, cevada e assim por diante. E criou ainda plantas maiores, as árvores, que produziam frutos. A partir desse momento a Terra deve ter ficado linda. Já não havia mais aquele silêncio absoluto por falta de movimento na Terra e por falta de atmosfera. Antes da criação, a cobertura de água produzia ondas, mas acima da água não havia ar para reproduzir o som das ondas. Era um planeta silencioso. Mas no terceiro dia já havia o som da brisa do vento e do balançar das folhas das árvores, que podia ser transmitido pela atmosfera. Estava sendo tocada a primeira música no planeta. Ela aguardava a vinda dos seres vivos, e eles viriam dois dias depois.

Certamente DEUS passeou pela Terra observando o resultado de Seu trabalho. O fato é que Ele, assim como no primeiro e segundo dias, fez uma avaliação do trabalho, e concluiu que estava bom. Mas ainda não estava completo, nos dias seguintes, mais novidades apareceriam, pelo poder de DEUS, sobre a Terra. A criação estava ficando cada vez mais complexa.

 

  1. 5.      Quinta: A onipotente palavra de DEUS

A criação de todas as coisas foi pela palavra de DEUS. Sabemos que DEUS é um Ser infinito em seus atributos. Um de Seus atributos é o poder, outro é o amor, outro é a inteligência. Una a inteligência infinita ao poder infinito, e certamente a capacidade de produzir será infinita. Inclusive de produzir do nada. Se é para haver uma explicação, por enquanto temos esta: DEUS transforma o Seu pensamento em energia, que facilmente pode ser transformada em matéria. Transformar matéria em energia todos nós podemos fazer, é só colocar fogo em alguma coisa. Por sua vez, transformar energia em matéria, isso só pode ser feito em laboratório, e já foi feito. No entanto, transformar uma vontade em energia, só DEUS é capaz. E transformar o nada em matéria, também. Isso requer inteligência e poder numa dimensão que não está ao nosso alcance entender.

Mas precisamos incluir nesses pensamentos mais um atributo de DEUS, o amor. Associar poder com inteligência evidentemente gera capacidade, e agregar à capacidade o amor, isso gera uma determinação de fazer tudo em harmonia, para o bem, para a paz, para a felicidade, e que deve durar eternamente. De outro modo não podemos entender o amor. DEUS tem poder, mas Ele é amor. Ou seja, o amor tem poder para fazer o que deseja, e o desejo do amor é só fazer o bem. Por isso, quando DEUS vai destruir os ímpios, isso para Ele é um ato estranho, assim como foi o dilúvio, a destruição de Sodoma e Gomorra, etc.

Não é difícil entender DEUS, é até bem fácil; o impossível para nós é entendê-Lo por completo. Para uma iniciação ao entendimento sobre DEUS precisamos saber, simplesmente, que Ele é amor. Daí por diante, muitas coisas sobre Ele se tornam claras. Então, não fica difícil entender porque Ele criou o Universo. É para nele providenciar ambientes onde se cultive a felicidade por meio do amor. Esse é o grande propósito da criação, o mesmo do amor. E é para esse fim que DEUS tem poder, que Ele é onipotente.

 

  1. 6.      Aplicação do estudo Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:

Quando foi criado o Universo? Uma coisa temos certeza: antes da criação da vida na Terra. A lição apresenta vários textos bíblicos sobre esse ponto, de que havia seres vivos em outros lugares do Universo antes da criação de Adão e Eva aqui. Acrescentaremos textos de EGW sobre o mesmo assunto. Estes não são os únicos, existem muitos mais. Até seria interessante que se fizesse uma pesquisa sobre todos os textos bíblicos e sobre todos os textos de EGW sobre esse assunto. Mas, enfim, é certo que não somos as primeiras criaturas de DEUS. Destacamos em negrito as partes que identificam ter havido criação antes da criação na Terra.

Como os habitantes de todos os outros mundos, devia [refere-se a Adão] ser sujeito à prova da obediência; mas nunca é levado a uma posição tal em que render-se ao mal se torne coisa forçosa. Nenhuma tentação ou prova se permite vir àquele que é incapaz de resistir. Deus nos proveu de tão amplos recursos, que o homem jamais ter-se-ia encontrado na contingência de ser derrotado no conflito com Satanás” (Patriarcas e Profetas, 331 e 332).

“A vinda de Cristo a este mundo foi um grande acontecimento, não somente para este planeta, mas para todos os outros mundos do Universo de Deus” (Minha Consagração Hoje, MM 1989, 300).

Os santos habitantes de outros mundos estavam a observar com o mais profundo interesse os acontecimentos que se desenrolavam na Terra. Na condição do mundo que existira antes do dilúvio, viram o exemplo dos resultados da administração que Lúcifer se esforçara por estabelecer no Céu, rejeitando a autoridade de Cristo, e pondo à parte a lei de Deus” (Patriarcas e Profetas, 78 e 79).

“Lúcifer no Céu, antes de sua rebelião foi um elevado e exaltado anjo, o primeiro em honra depois do amado Filho de Deus. Seu semblante, como o dos outros anjos, era suave e exprimia felicidade. A testa era alta e larga, demonstrando grande inteligência. Sua forma era perfeita, o porte nobre e majestoso. Uma luz especial resplandecia de seu semblante e brilhava ao seu redor, mais viva do que ao redor dos outros anjos; todavia, Cristo, o amado Filho de Deus tinha preeminência sobre todo o exército angelical. Ele era um com o Pai antes que os anjos fossem criados. Lúcifer invejou a Cristo, e gradualmente pretendeu o comando que pertencia a Cristo unicamente.

“O grande Criador convocou os exércitos celestiais, para na presença de todos os anjos conferir honra especial a Seu Filho. O Filho estava assentado no trono com o Pai, e a multidão celestial de santos anjos reunida ao redor dEles. O Pai então fez saber que por Sua própria decisão Cristo, Seu Filho, devia ser considerado igual a Ele, assim que em qualquer lugar que estivesse presente Seu Filho, isto valeria pela Sua própria presença. A palavra do Filho devia ser obedecida tão prontamente como a palavra do Pai. Seu Filho foi por Ele investido com autoridade para comandar os exércitos celestiais. Especialmente devia Seu Filho trabalhar em união com Ele na projetada criação da Terra e de cada ser vivente que devia existir sobre ela. O Filho levaria a cabo Sua vontade e Seus propósitos, mas nada faria por Si mesmo. A vontade do Pai seria realizada nEle” (História da Redenção, 13 e 14).

 

Assista o comentário clicando aqui.

O comentário em vídeo tem ênfase evangelística.

Talvez necessite segurar control mais um clike sobre o link.

 

escrito entre  28/11 e 04/12/2012

revisado em  12/12/2012

corrigido por Jair Bezerra

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

4 comments for “Lição 02 – A formação do mundo

  1. manoel jorge couto
    Janeiro 10, 2013 at 6:07 am

    Obrigado pelos comentários.Que Deus continue te abençoando.

  2. Vilma maria amorim medeiros
    Janeiro 11, 2013 at 12:48 pm

    Professor Sikberto gosto muito dos seus comentários descobri há pouco tempo, são de muita riqueza espiritual e aspectos interessantes q não encontramos normalmente no q ouvimos. Sou professora da escola sabatina a partir de 2013 e já passei a lição 02x na classe. Tenho 53 anos e menos de 02 anos de rebatismo fiquei quase 30 anos afastada, estou orando muito a Deus p q me capacite p a missão. Estou muito animada na fé e feliz por ter aceitado o convite do Espírito Santo ao me tirar das trevas. Esta lição é empolgante pq fala da criação de DEUS de uma forma diferente do q sempre ouvimos anteriormente. É majestoso o poder, a sabedoria e o amor de nosso JESUS. Ore por mim sou a única adventista no meu lar e tenho enfrentado duras provas. Deus continue o abençoando e lhe dando sabedoria para compartilhar conosco estas lições maravilhosas

    • Sikberto Marks
      Janeiro 13, 2013 at 7:19 am

      Olá irmã Vilma;
      Parabéns por teres voltado, em tempo. É uma profecia que se cumpre que nos últimos dias muitos afastados retornarão. Estamos nos últimos momentos da história do pecado. Continue firme, e mais maravilhas acontecerão em seu lar. DEUS está agindo por meio de nossa igreja, e já estamos bem perto da volta de JESUS.

  3. Vilma maria amorim oliveira
    Janeiro 11, 2013 at 12:52 pm

    Favor corrigir meu nome

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *