Lição 03 – A condição humana

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Quarto Trimestre de 2017

Tema geral do trimestre: Salvação somente pela fé: o livro de Romanos

Lição 03 – A condição humana

Semana de 14 a 21 de outubro

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar:Todos pecaram e carecem da glória de DEUS” (Rom. 3:23).

 

Introdução de sábado à tarde

Adão e Eva talvez não imaginassem a dimensão dos efeitos de seu ato de desobediência. Se eles pudessem hoje ver o estado em que se encontra a humanidade! Os terremotos, as tempestades com ventos de mais de 300 km/h. A corrupção, a fome, as doenças, a criminalidade, as drogas, as guerras, etc. Mas eles poderão ver isso, no dia em que ressuscitarem, verão o estado em que chegou o mundo. Terão um tremendo choque verem pelo que passaram seus descendentes, a ruína da humanidade.

Eles também não viram o que foi feito com JESUS, O Criador deles, aquele mesmo que falava com eles nas virações dos dias, e que falou com eles no dia do pecado, quando pela morte simbólica de um ou dois cordeiros, receberam peles como vestes e deixaram de morrer naquele mesmo dia. Porém, mais tarde, o que os havia criado sofreu muito por causa daquele pecado.

Eles também não dimensionaram com plenitude a contaminação do pecado deles a seus descendentes, e todo o sofrimento que iria decorrer. O seu primeiro filho, Caim, já nasceu pecador, Abel também. E houve briga e assassinato. Todos os descendentes desse casal nasceram pecadores, é uma herança genética maldita natural. Não há como dois pecadores terem filhos perfeitos sem tendência a pecado e com vida eterna, assim como não há maneira de um casal perfeito ter filhos mortais e pecadores. E é impossível consertar essa situação, senão por uma única via, a da cruz, ainda assim, somente aos que creem e aceitam.

Enfim, a partir da degustação do fruto proibido, todos somos pecadores. Pecador significa que a nossa natureza é apegada a pecados, isso nos atrai, gostamos de fazer coisas erradas e ilegais. Pode-se dizer que é impossível termos desejos pelo bem, senão pela atuação de poder do ESPÍRITO SANTO em sentido contrário. As mudanças que ocorrerem em nossa vida no sentido oposto a do pecado são milagres divinos de transformação. Por nós mesmos tendemos sempre descer cada vez mais na prática do pecado até chegarmos a destruição do que somos. Deixada livre, a humanidade se autodestruirá de alguma maneira, seja pelas drogas, seja por guerra atômica, seja por doenças, etc. Por isso a curta frase mas de enorme implicação: “Todos pecaram e carecem da glória de DEUS.”

 

  1. Primeiro dia: O poder de DEUS

Paulo diz: “Não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego” (Rom. 1:16).

A cruz era para os romanos loucura. Destinada aos elementos que não tinham mais condições de viver em sociedade, equivalia hoje a pena de morte onde ela existe, como a cadeira elétrica, tiro na nuca, forca, pelotão de fuzilamento, envenenamento por gás, injeção letal, etc. Mas naqueles tempos, a cruz era mais mal vista que essas formas de eliminação de vida hoje.

Para os judeus, a cruz era uma vergonha, uma humilhação, um tropeço. Quem fosse condenado para morrer na cruz, esse não merecia nem um sepultamento digno, seu nome era lembrado como um párea da sociedade. Foi por milagre que depois da cruz muitos seguiram JESUS, assim como foi estranho terem-No sepultado num túmulo de rico. É claro, JESUS passou pela cruz e pela sepultura, Ele ressuscitou, deixando os aspectos negativos na lama. Ele venceu a cruz e seu significado.

Paulo passou maus bocados por pregar sobre JESUS CRISTO. Ele foi perseguido, expulso de cidades, açoitado, preso, passou fome e frio, enfrentou doenças, algemas e outros tipos de humilhações. Isso era de envergonhar qualquer um, porém, Paulo disse que isso lhe proporcionava sentimentos de glória. Ele enfrentava tudo isso seguindo o Salvador do mundo. Na realidade, para quem tem conhecimento da verdade, a cruz é a revelação de que tipo de poder DEUS tem. Não só de ressuscitar, mas de agir em favor do ser humano por amor. Não é uma ação por algum tipo de interesse, mas porque ama, assim como uma mãe ou um pai ama seus filhos, e é capaz de fazer qualquer coisa por eles. Isso que a cruz revelou, e Paulo entendeu bem. Paulo também considerava que pela cruz JESUS tornou-Se o Salvador de todas as pessoas, primeiro dos Judeus, e depois dos gentios. Primeiro dos judeus porque eles deveriam ser o povo do anúncio do evangelho de CRISTO ao mundo, deveriam ser uma bênção a todas as famílias da Terra. Foi o que DEUS disse a Abraão. Cumpriram isto em JESUS, nos profetas e nos apóstolos, e também por meio de muitos outros mestres e pregadores.

“Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá pela fé” (Romanos 1:17). Pois bem, a justiça de CRISTO é diferente da justiça dos homens. Para resolver a questão do pecado havia duas veredas: a dos homens e a de DEUS. Pela justiça dos homens, o correto seria o castigo direto, ou seja, pecaram, que morram, e fim. Mas pela justiça de DEUS, o amor levou JESUS a morrer pelos homens para perdoá-los e salvá-los da morte eterna. Essa é a justiça divina. Uma é cumprir a lei de forma direta, sem piedade, outra é cumprir a lei sim, mas do tipo “Eu pago por vocês, pois os amo.”

Então, diante da graça gerada na cruz (perdão gratuito, não nos sendo exigido nada para sermos salvos, apenas que, depois de salvos, sejamos fiéis para não pecarmos outra vez), viveremos pela fé, isto é, crendo que por JESUS viveremos eternamente.

 

  1. Segunda: Todos pecaram

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23).

Esse verso bíblico, que já estudamos algo sobre ele na parte de sábado à tarde, nos lembra que somos descendentes de um casal de pecadores, Adão e Eva, portanto, nascemos com a herança genética de pecadores. Isso quer dizer que o pecado nos atrai e nós desejamos satisfazer os pecados, gostamos deles. É a nossa natureza, uma mudança que ocorreu no código genético de Adão e Eva, com o primeiro pecado, foi, com o tempo, deteriorando, o gênio do mal nas pessoas foi piorando com o passar dos séculos. Hoje vemos uma criminalidade como a que chegaram os antediluvianos, pelo que tiveram que ser destruídos. Famílias que não educam seus filhos criam descendentes piores que eles, e a situação degenera. Muitas causas existem que ajudam na piora cumulativa da raça humana, seja na sua índole, seja do vigor físico, seja no ambiente em que vivemos. Paulo explica os efeitos dessa degeneração.

“Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só. A sua garganta é um sepulcro aberto; com as suas línguas tratam enganosamente; peçonha de áspides está debaixo de seus lábios; cuja boca está cheia de maldição e amargura. Os seus pés são ligeiros para derramar sangue. Em seus caminhos há destruição e miséria; e não conheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos” (Romanos 3:10-18).

“Deus declara: “Não há um justo, nem um sequer.” Rom. 3:10. Todos têm a mesma natureza pecaminosa. Todos são suscetíveis de cometer erros. Ninguém é perfeito. O Senhor Jesus morreu pelos que erram, a fim de que fossem perdoados. Não é nossa obra condenar. Cristo não veio para condenar, mas para salvar” (Nos lugares celestiais, MM 1968, 292).

“Os judeus ensinavam que o pecador devia arrepender-se antes de lhe ser oferecido o amor de Deus. A seu parecer, o arrependimento é obra pela qual os homens ganham o favor do Céu. Foi esse pensamento que induziu os fariseus atônitos e irados a exclamarem: “Este recebe pecadores.” Luc. 15:2. Conforme sua suposição, não devia permitir que pessoa alguma a Ele se achegasse sem se ter arrependido. Mas na parábola da ovelha perdida, Cristo ensina que a salvação não é alcançada por procurarmos a Deus, mas porque Deus nos procura. “Não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram.” Rom. 3:11 e 12. Não nos arrependemos para que Deus nos ame, porém Ele nos revela Seu amor para que nos arrependamos.

“Quando a ovelha extraviada é recolhida afinal, o júbilo do pastor se exprime em cânticos melodiosos de regozijo. Convoca seus amigos e vizinhos e lhes diz: “Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.” Luc. 15:6. Igualmente o Céu e a Terra unem-se em ações de graças e júbilo quando um pecador é achado pelo grande Pastor de ovelhas.

“”Assim haverá alegria no Céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.” Luc. 15:7. Vós, fariseus, disse Cristo, vos considerais os favoritos do Céu. Julgai-vos seguros na vossa própria justiça. Sabei, pois, que se não necessitais de arrependimento, Minha missão não é para vós. Estas pobres almas que sentem sua destituição e pecaminosidade, são justamente aquelas, para cuja salvação Eu vim. Os anjos celestiais estão interessados nos perdidos que desprezais. Murmurais e zombais quando uma dessas almas vem a Mim; sabei, porém, que os anjos se regozijam e nas arcadas celestes ecoa o cântico de triunfo” (Parábolas de JESUS, 189 e 190).

 

  1. Terça: Progresso?

O texto para o estudo de hoje é Romanos 1:22 e 23. Porém, só esse trecho o descola de seu contexto maior, dificultando o entendimento da verdadeira causa dos problemas que o mundo enfrenta atualmente, e que já enfrentavam os antediluvianos bem como os de Sodoma e Gomorra. Assim, transcrevemos o texto por completo. Lendo-o com atenção, nem precisa explicar, pois Paulo aqui explicou com palavras bem escolhidas.

“Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm; estando cheios de toda a iniqüidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem” (Romanos 1:19-32).

Que mais podemos explicar tendo lido esse texto? Talvez fazer um resumo. Inicia dizendo que a humanidade tem conhecimento sobre DEUS porém, rejeita esse conhecimento e age segundo sua loucura. Assim, torna-se a humanidade cada vez mais louca. As duas Guerras Mundiais não atestam exatamente isso? Os 51 milhões encontrados no apartamento de ex. Ministro, no Brasil, não estão clamando por providências? A fabricação de armas de destruição, por ventura são serviços de amor ao próximo?

Mas qual é a causa primária desses problemas todos que enfrentamos? A resposta está no verso 23, os homens, influenciados pelo demônio, mudaram a glória de DEUS em coisas semelhantes a quadrúpedes, que não tem semelhança alguma com DEUS. O ser humano foi criado a imagem e semelhança de DEUS, e a Sua glória é nos mantermos assim. Isso quer dizer, respeitar o sagrado matrimônio entre homem e mulher, manter por meio do amor a sua perenidade (hoje há muita separação por culpa de um, ou dos dois, depende…), e assim por diante.

Paulo acrescenta, hoje estão mentindo em grande intensidade. Mudaram a verdade de DEUS em mentira. Há muitas igrejas, pregando com a Bíblia na mão, grosseiras mentiras, e o povo adora esse tipo de pregação. A verdade não tem aceitação em massa. Aliás, é bom afirmar que a salvação é individual, mas a mentira e o engano é coletivo, assim como a perdição. Satanás trabalha por meio da influência de muitos, um influenciando o outro, DEUS trabalha por meio da razão individual, por meio do que um faz isso não salva o outro. JESUS foi só um, e Ele, na cruz, atrai a todos a Si, mas nem todos se permitem essa influencia de vida.

Então os homens e as mulheres se entregaram a corrupção moral, unindo-se homem como homem e mulher com mulher, ao contrário do natural de DEUS. Nisso foi-se a imagem de DEUS, e a colheita pode ser lida nos versos 29 a 32. Veja o informe profético abaixo, mais adiante. “As cidades e até as povoações rurais estão tornando-se como Sodoma e Gomorra, e como o mundo nos dias de Noé. A disciplina dos jovens naqueles dias era semelhante à forma em que as crianças estão sendo educadas e disciplinadas nesta época, a saber: amar a agitação, glorificar a si mesmas e seguir após a imaginação de seu perverso coração. Agora, como naquele tempo, a depravação, a crueldade, a violência e o crime são os resultados” (Fundamentos da educação cristã, 317).

Sobre a depravação moral, está escrito na Bíblia, nos versos transcritos. E sem essa análise, o estudo de hoje fica por menos da metade. O politicamente correto muitas vezes é o espiritualmente errado, falso e enganoso. Cuidado se você faz parte do pensamento e da atitude da maioria, ela sempre esteve do lado errado.

 

  1. Quarta: O que os judeus e os gentios têm em comum?

Então, o que os judeus e gentios tem em comum? Ou, fazendo a pergunta a nós hoje, o que os adventistas tem em comum com os outros crentes, ateus e outras classes de pensamentos e ideologias? Abaixo está a resposta de Paulo, na parte sublinhada.

“Portanto, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu, que julgas, fazes o mesmo. E bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade sobre os que tais coisas fazem. E tu, ó homem, que julgas os que fazem tais coisas, cuidas que, fazendo-as tu, escaparás ao juízo de Deus?” (Romanos 2:1-3).

Demos alguns exemplos, para fazermos o que a Bíblia determina, pecados devem ter nome, ou, a abordagem genérica é simplesmente inútil. Quando há pintura nas pessoas da igreja, mas menos que usam os de fora, a situação se enquadra aqui. Quando membros da igreja usam brincos, piercing, tatuagem, etc., fiquem quietos, pois fazem como o mundo, embora um pouco menos. Quando apenas não comemos carne, ou comemos pouca, mas tomamos refrigerantes, estamos na mesma situação do mundo. Quando tomamos chimarrão, que é viciante e pode produzir câncer, idem. (Se alguém deseja ler um excelente texto moderno sobre alimentação saudável, leia o “Guia alimentar para a população brasileira” acessando aqui. É um texto do Ministério da Saúde do Brasil, totalmente fundamentado em ciência. Quando o li,  a princípio me parecia escrito por EGW. Quem o ler, vai gostar e vai ter benefícios, pois é de fácil leitura e bem objetivo.) Quando usamos música mundana na igreja, não mais nos distinguimos do mundo. Quando lemos pouco a Bíblia e passamos apenas o olho na lição, e mais nada, somos indiferentes aos assuntos de DEUS, como o mundo. Quando nossas igrejas se tornam mecânicas, com músicas de CD ou DVD, sem instrumental ao vivo, com historinhas para as crianças gravadas, com relatos dos campos missionários gravados, poucos se habilitando a se apresentar ao vivo, temos igrejas artificializadas, não diferentes da televisão secular. Quando nos batismos, em vez de cantar os lindos hinos de batismo que existem em nosso hinário, cantamos corinhos barulhentos, ou simplesmente batemos palmas como se faz em ambientes vulgares, nivelamos o evento com as igrejas pentecostais. Isso quer dizer que, nem temos moral para avaliar os outros adoradores e também não temos credibilidade para chamar aqueles para fora de Babilônia. Ou então, não temos credibilidade para fazer o que Paulo escreveu logo abaixo.

“Eis que tu que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus; e sabes a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído por lei; e confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas, instruidor dos néscios, mestre de crianças, que tens a forma da ciência e da verdade na lei; tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? Tu, que dizes que não se deve adulterar, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, cometes sacrilégio? Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei? Porque, como está escrito, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós” (Romanos 2:17-24).

Mais algo escrito por EGW, sobre esse ponto: “Aqueles que se unem à igreja mas não se unem ao Senhor, a tempo revelarão seu verdadeiro caráter. “Pelos seus frutos os conhecereis.” Mat. 7:20. O precioso fruto da piedade, temperança, paciência, bondade, amor e caridade não aparecem em sua vida. Produzem somente espinhos e abrolhos. Deus é desonrado perante o mundo por tais professadores. …

“Satanás sabe que eles são seus agentes que atuam por não apresentarem mudança no coração e na vida, e suas obras estão em tão marcante contraste com o que professam, que se constituem numa pedra de tropeço para os descrentes e uma grande prova para os crentes. …

“Que contas terão que prestar no dia do acerto final os que professam guardar os mandamentos de Deus ao passo que a sua vida contradiz a crença que têm, porque não produzem os preciosos frutos!” (A fé pela qual eu vivo, MM, 1959, 92).

 

  1. Quinta: O evangelho e o arrependimento

“Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?” (Romanos 2:4).

Nesse verso Paulo explica de modo simples o que produz arrependimento em nós:  a bondade ou benignidade de DEUS. Como isso funciona? Sabemos que DEUS é amor, é por aí que inicia a explicação de como DEUS trabalha para que nos arrependamos. Imagine DEUS como um pai, que Ele na verdade é. Ele é um pai que te quer devolver a vida eterna, quer que vivas em meio a delícias permanentes, sem preocupações, quer te perdoar e te levar em seus braços de carinho, e assim por diante. Precisa, por tua parte, sentir isso, está em Sua palavra. Estou, nas minhas leituras bíblicas, no momento lendo o livro de Zacarias. O Antigo Testamento é repleto de repreensões e ameaças proféticas severas, mas, em cada uma, no final dela, lá está DEUS dizendo que quer restabelecer e que quer fazer bem a Seu povo. É isso que atrai as pessoas sensíveis, e elas se apegam a um DEUS assim, querem ficar com Ele, e passam a querer fazer a Sua vontade. Sobre fazer a Sua vontade, vem o trecho de Paulo a seguir.

“Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus; o qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber: a vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção; mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniquidade; tribulação e angústia sobre toda a alma do homem que faz o mal; primeiramente do judeu e também do grego; glória, porém, e honra e paz a qualquer que pratica o bem; primeiramente ao judeu e também ao grego” (Romanos 2:5-10).

O que Paulo está a dizer aqui? Que a mensagem de DEUS (evangelho), do Seu amor, produz arrependimento, mas arrependimento de quê? Simples, arrependimento das más obras. Então, se está farto de praticar más obras, ou seja, de pecar, ou de transgredir a boa lei de DEUS; como muitos ainda propalam por aí que após perdoados podemos continuar pecado, pois já estamos salvos? Essa tese seria o estabelecimento de um reino de maldades, de pecadores, de podridão, como vemos no Brasil. Aqui, em meu país, nenhum daqueles que a Lava a Jato pegou se considera culpado, senão inocente. É essa teoria que defendem aqueles que ensinam que, uma vez salvo, salvo para sempre, não importa como viva. Seria o reino de DEUS, e o próprio DEUS, que diante de Sua infinita santidade admissível admitir a existência de pecado e pecadores perdoados para sempre, e se mantendo pecadores? Essa é uma questão fatal para quem defende e para quem se baseia nela, ou vive por ela.

Paulo nesse trecho Paulo está dizendo com todas as letras, que DEUS se irrita com os pecados, mas se alegra com o arrependimento e com a mudança de estilo de vida. Vem glória, honra e paz a quem, após o arrependimento, de fato se arrepende, isto é, deixa para trás aquelas coisas, pecados, dos quais se arrependeu, e que não quer praticar mais. Sendo claro e direto, se há arrependimento de algo é porque isso é mau, então, como se poderia admitir arrepender-se e depois continuar praticando exatamente isso que lhe levaria a morte eterna? Também é óbvio que depois de arrependido e perdoado, irá, pro natural, praticar as boas obras da lei! Ou as obras da lei são ruins?

Resumindo, funciona da seguinte maneira: DEUS nos atrai por Seu amor e isso nos leva ao desejo do arrependimento que é o desgosto pelos atos passados. A seguir, a pessoa, não desejando mais praticar maus atos, pois deles se arrependeu, quer praticar boas obras, atos em concordância com a lei do amor. É tão simples! porque complicar? Só se for para enredar as pessoas e leva-las ao caminho de satanás, da perdição.

 

  1. Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Tema transversal

O pecado é deliberada rebelião contra os princípios do governo de DEUS, que é baseado no amor. Quando Adão e Eva pecaram, eles o fizeram por desobediência a uma ordem de DEUS. Todo tipo de governo, seja qual for, para funcionar bem, precisa que o povo possa confiar no governo e que esse governo seja confiável. O governo de DEUS, por pressuposto, é sempre confiável, pela própria natureza de DEUS. Ele é bom a partir de Seu caráter, e sempre será, nunca muda, Ele é sando, justo e bom e Sua lei também é assim. Já as criaturas, que como DEUS, à Sua semelhança, tem livre arbítrio, podem fazer escolhas racionais, por duas vezes fizeram escolhas rebeldes, contra DEUS. A primeira foi feita por Lúcifer e a segunda, influenciada por este, foi feita por Adão e Eva. Essa escolha errada é o pecado. Lúcifer e seus anjos não se arrependem, não mudam, e chegaram a comandar a morte de JESUS na expectativa de destruí-Lo. O que conseguiram é que Ele se tornasse o grande vencedor, e Salvador. Adão e Eva, que se arrependeram, e cujos descendentes muitos também se arrependeram ou estão se arrependendo, serão salvos como já sabemos.

 

  1. Aplicação contextual e problematização

Nosso grande problema é sempre parecido, tem uma raiz comum. É \ necessidade de nos desapegarmos das coisas que tanto gostamos, mas que são de natureza inferior e nos afastam do caminho da salvação. Hoje é namorar com o mundanismo.

 

  1. Informe profético vinculado com a lição

“Metade dos padres do Vaticano são gays”: “Krzysztof Charamsa foi expulso do Vaticano por ser homossexual e vem denunciando a homofobia no seio da Igreja.” A afirmação é dele. Vemos que se cumpre a profecia sobre a imoralidade sexual como foi nos tempos de Noé e nos tempos de Ló. Veja a notícia completa aqui.

No mesmo sentido, o Brasil alinhou-se com a ONU favorável ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, ao contrário da boa recomendação do Vaticano. Isso como acima, identifica os tempos em que vivemos, próximos da vinda do Salvador. Veja mais nesses dois links, 1 e 2.

 

A religião está sendo considerado o caminho para a paz no mundo. Como escreveu Ellen G. White há mais de um século. Isso contribui para outro fenômeno religioso que é o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso, a união das igrejas. Mais profecia do fim se cumprindo. Veja sobre essa matéria nesse link.

 

Todos estamos presenciando catástrofes assustadoras por esses dias, relacionadas aos furacões no Mar do Caribe. Destruição como ainda não se viu. É sinal dos tempos precedentes da vida de CRISTO. Diz a profecia: “O refreador Espírito de Deus está mesmo agora sendo retirado do mundo. Furacões, tormentas, tempestades, incêndios e inundações, desastres em terra e mar, seguem-se um ao outro em rápida sequência. A ciência busca a explicação para tudo isso. Os sinais que em torno de nós se avolumam, prenunciando a próxima manifestação do Filho de Deus, são atribuídos a outra causa que não a verdadeira. Os homens não discernem as sentinelas angélicas que retêm os quatro ventos para que não soprem sem que os filhos de Deus estejam selados; mas quando Deus mandar que Seus anjos soltem os ventos, haverá uma cena tal de luta que pena nenhuma pode descrever” (Testemunhos Seletos, v3, pág. 3).

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“A imortalidade, prometida ao homem sob condição de obediência, foi perdida pela transgressão. Adão não poderia transmitir à sua posteridade aquilo que não possuía; e não poderia haver esperança alguma para a raça decaída, se, pelo sacrifício de Seu Filho, Deus não houvesse trazido a imortalidade ao seu alcance. Ao passo que “a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram”, Cristo “trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho”. Rom. 5:12; II Tim. 1:10. E unicamente por meio de Cristo pode a imortalidade ser obtida. Disse Jesus: “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não terá a vida.” João 3:36. Todo homem pode alcançar a posse desta inapreciável bênção, se satisfizer as condições. Todos os que, “com perseverança em fazer bem, procuram glória, e honra e incorrupção”, receberão “vida eterna”. Rom. 2:7.

“O único que prometeu a Adão vida em desobediência foi o grande enganador. E a declaração da serpente a Eva, no Éden – “Certamente não morrereis” – foi o primeiro sermão pregado acerca da imortalidade da alma. Todavia, esta declaração, repousando apenas na autoridade de Satanás, ecoa dos púlpitos da cristandade, e é recebida pela maior parte da humanidade tão facilmente como o foi pelos nossos primeiros pais. À sentença divina: “A alma que pecar, essa morrerá” (Ezeq. 18:20), é dada a significação: A alma que pecar, essa não morrerá, mas viverá eternamente. Não podemos senão nos admirar da estranha fatuidade que tão crédulos torna os homens com relação às palavras de Satanás, e incrédulos com respeito às palavras de Deus” (O grande conflito, 533).

 

  1. Conclusão

“Contemplando o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, ela encontra a paz de Cristo; pois o perdão é aposto a seu nome, e ela aceita a Palavra de Deus: “NEle, estais aperfeiçoados.” Col. 2:10. Quão difícil é para a humanidade, por muito tempo acostumada a acalentar a dúvida, aceitar essa grandiosa verdade! Todavia, que paz ela traz à pessoa, e que vitalidade! Olhando para nós mesmos em busca de justiça, para encontrar a aceitação diante de Deus, olhamos para o lugar errado, “porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Rom. 3:23. Devemos olhar para Jesus, porque “todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na Sua própria imagem”. II Cor. 3:18. Deveis encontrar vossa inteireza contemplando o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Fé e obras, 108).

 

 

Assista o comentário clicando aqui.

As lições estão agora também no Facebook: Lições da Escola Sabatina, link aqui.

Lição em espanhol: www.escuela-sabatica.com/comentarios.html

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira Como é fácil enganar! As 4 primeiras pragas, enfoque econômico

 

 

estudado e escrito entre:      8 a 14/9/2017

 

 

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *