Lição 04 – CRISTO e a lei no sermão da montanha

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Segundo Trimestre de 2014

Tema geral do trimestre: CRISTO e Sua lei

Lição 04 – CRISTO e a lei no sermão da montanha

Semana de  19 a 26 de abril

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário é meramente complementar ao estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar: “Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra” (Mat. 5:17 e 18).

 

Introdução de sábado à tarde

JESUS foi absolutamente claro e definitivo no que falou em Mateus 5:17 a 19: a lei é eterna. Enquanto houver céu e terra, a lei também existirá. Ele também disse que a lei deve ser observada e ensinada, e ai daquele que ensinar algo errado em relação à lei de DEUS. Depois Ele exemplificou a lei, dando claramente a entender que no conceito de lei estava Se referindo também aos Dez Mandamentos. Ele inclusive mencionou alguns desses mandamentos.

Mas não é incrível que em nosso mundo, inúmeras igrejas estejam ensinando errado, em vez do sábado, mandando guardar o domingo? Com que arrogância postam-se contra o Autor da lei que disse o que foi registrado em Mateus! E com que petulância dizem que JESUS ‘cumpriu’ a lei, por isso ela já não precisa mais ser obedecida.

Agora reflita comigo: por que honrar pai e mãe, não matar, não furtar, não adulterar, não dar falso testemunho, não cobiçar deveria ser abolido? O que há de errado com esses mandamentos? E por que não ter outros deuses, não tomar o nome de DEUS em vão e não fazer imagens para as adorar deveria ser abolido? O que há de errado com esses mandamentos? E por fim, o que haveria de errado com o quarto mandamento, que manda santificar o sábado, a exemplo do que DEUS fez no final da criação? Se DEUS obedeceu ao que Ele mesmo estabeleceu, se JESUS como homem fez o mesmo, se em lugar algum está claramente estabelecido que os Dez Mandamentos devessem ser mudados, se a Bíblia nada diz que por causa da ressurreição se deveria santificar o domingo, por que esse mandamento foi alterado pela Igreja Católica junto com o poder militar do Império Romano? Quem é o Império Romano para se postar em lugar de DEUS e garantir essa mudança? Isso porque o profeta Daniel (7:25) antecipou que essa Igreja faria essa mudança. Aliás, a grande pergunta é: por que tiraram o mandamento que proíbe as imagens e esculturas, e alteraram o mandamento do sábado para o domingo?

Qualquer um que tem pelo menos um pouco de entendimento, e que se preocupa com a fidedignidade das coisas, sabe o por quê. A Igreja católica reverencia imagens, e santifica o domingo. Mas o que é o domingo? É o dia de satanás. Por que razão é o dia de satanás? Porque ele não é o Criador, mas quer se fazer como DEUS (Isa. 14:14).

O DEUS verdadeiro tem o sábado para ser obedecido conforme Ele determinou, porque o sábado é o dia posterior aos dias em que o Criador trouxe tudo à existência. Mas o domingo é o dia em que, antes dele, nada foi criado, por isso esse é o dia de satanás, o “não criador”.

Nós, adventistas “do sétimo dia”, devemos colocar isso às claras. E já estamos fazendo, ainda que com pouco poder, mas o poder é uma questão de tempo, de nos unirmos e de atuarmos como um só ser humano.

 

  1. 1.      Primeiro dia: “Nem um i ou um til”

“Porque em verdade vos digo: Até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra” (Mat. 5:18).

“…a palavra de Deus é infalível e dura para sempre. Cristo declara: “Em verdade vos digo: até que o Céu e a Terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” Mat. 5:18. A Palavra de Deus perdurará através das eras intermináveis da eternidade” (Olhando Para o Alto, MM 1983, 90).

Assim como o próprio DEUS, assim como Seu trono, assim como tudo o que criou e que permanece na perfeição pelo fato de não ter caído em pecado, assim mesmo a lei é permanente. Bem JESUS falou: se o Céu e a Terra duram sempre, a lei também durará sempre. E disse, “até que tudo se cumpra.” O que Ele desejou dizer com isso? Conforme o comentário adventista, significa que DEUS não mudará a Sua vontade, ela se efetivará e prosperará sem mudança alguma, nem por parte de algum ser perfeito, nem por parte do homem. Toda vontade de DEUS se realizará, e com base nessa lei, não outra.

Quanto a alguma possível mudança na Sua lei, veja o alerta de Ellen G. White: “Se a lei de Deus tivesse sido mudada em um só preceito, após a expulsão de Satanás do Céu, ele teria depois de sua queda alcançado na Terra aquilo que não pôde alcançar no Céu antes de sua queda. Teria recebido tudo que desejasse. Sabemos que ele não recebeu. … A lei … permanece inalterável como o trono de Deus, e a salvação de cada pessoa é determinada pela obediência ou desobediência” (Para Conhecê-Lo, MM 1965, 289).

Satanás vinha atacando a lei de DEUS, entre outras coisas, dizendo que precisava ser mudada. Se de fato DEUS a tivesse alterado, satanás teria razão, e DEUS Se sairia perdedor. Por exemplo, a mudança do sábado para o domingo seria um atestado que satanás estava certo. Nesse caso, satanás deveria subir ao trono e DEUS sentar no banco dos réus, em lugar de satanás. Mas isso não aconteceu, e nuca acontecerá, porque DEUS é perfeito e eterno, assim como tudo o que Ele faz bem como Sua lei.

 

  1. 2.      Segunda: Homicídio (Mat. 5:21-26)

Em relação ao homicídio, no tempo de Moisés a lei funcionava assim. Se alguém matasse outra pessoa, havia duas possibilidades: quem matou intencionalmente e quem matou sem o desejo (foi acidente). Na lei está escrito: “não mataras”, e eles tratavam da questão quando havia um morto.

O assassino era morto como pena pelo que fez. Isso metia muito medo, e fazia pensar bastante antes de assassinar alguém. Portanto, para que quem matasse sem intenção, mas por acidente, não fosse morto, ele tinha o direito de rapidamente fugir para uma das seis cidades de refúgio. Ali havia condições de ele permanecer por um tempo, até que o sumo sacerdote falecesse (foi o critério estabelecido); então poderia retornar. Só tinha direito ao refúgio quem matasse não intencionalmente. Portanto, chegando o assassino à tal cidade, se apresentava nos portões da cidade aos anciãos e relatava o que aconteceu. Ele era julgado, e caso fosse achado inocente, isto é, não matou deliberadamente, então era acolhido na cidade e ali protegido pelo resto de sua vida, ou até que falecesse o sumo sacerdote.

A lei no antigo testamento era bem dura, mesmo para quem matasse sem querer. Isso levava as pessoas a pensar muito e terem grande cuidado para que não acontecesse nem mesmo algum acidente fatal. Hoje, em nosso Brasil, a lei é branda, não tem lugar suficiente nas cadeias, e os assassinatos correm quase soltos, com pouco castigo. Não é o único, mas é um dos motivos do elevado índice de violência por aqui.

Quando JESUS esteve na Terra, Ele aprofundou a questão de matar ou não matar. Explicou que, quem tiver um pensamento de matar alguém, ou fizer alguma ameaça, esse já cometeu o pecado desse mandamento. Se alguém chamar outra pessoa depreciativamente, como hoje seria ‘bobalhão’, ou outra coisa pejorativa, ou se irar contra alguém, já estaria sujeito a julgamento, sujeito ao fogo do inferno.

É evidente que JESUS colocou as coisas no lugar, pois, se ninguém matar outra pessoa, mas se houver uma cultura de chamar outros de bobos, ou se houver uma cultura de ira como algo normal, que clima social se teria ali? Essa questão da ira é delicada, e há na Bíblia uma orientação para que ela não se torne em pecado. Está em Efésios 4:20. Diz assim: “irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.” Ou seja, a reconciliação deve ser feita no mesmo dia, evitando que a ira se torne em pecado, sujeito às sansões da lei, conforme JESUS explicou.

Portanto, em síntese, não devemos falar palavras rudes ou pejorativas a alguma pessoa, ou sobre alguma pessoa, isso é tanto quanto matar aquela pessoa. No mínimo estaríamos prejudicando a reputação dela, e quem sabe outros por isso a vissem de forma negativa. Tais coisas é prudente evitar.

 

  1. 3.      Terça: Adultério (Mat. 5:27-32)

No tempo de Moisés, era considerado adultério quando duas pessoas se unissem sexualmente fora do casamento, sendo solteiras ou casadas. Mas JESUS explicou bem como se deve entender adultério. Ele disse que, se um homem ou uma mulher tivessem pensamentos relacionados à prática sexual com outra pessoa, que não seja parceira de casamento, já está adulterando com essa pessoa. Ele disse assim: “qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura no coração já está adulterando com ela” (Mat. 5:28).

E é evidente que a lei precisa ser interpretada assim. Pois, afinal, se fosse permitido ter pensamentos imorais, só não praticá-los, formaríamos um conjunto de escravos dos pensamentos que nunca poderiam ser efetivados. Haveria algo como caminho liberado para o pecado, só não se poderia praticá-lo.

E como JESUS diria hoje, sobre esse mesmo problema? Será que Ele liberaria as revistas sensuais e pornográficas? Será que liberaria os filmes e vídeos com cenas sensuais? E os programas de televisão? E as anedotas sensuais? E as roupas sensuais (refiro-me às que são usadas dentro da igreja, principalmente pelas irmãs)? E as aplicações de silicone, para exagerar as formas femininas, e depois expor para todos os demais membros da igreja? Creio que não devamos condenar aquelas mulheres e homens que fazem alguma operação plástica para corrigir o que a natureza, por várias razões, não fez como o Criador faria, mas há flagrantes exageros. Como estamos nós, povo de DEUS, hoje, longe das orientações de JESUS!

“Há grande necessidade de nossos irmãos vencerem faltas secretas. Sobre eles pende, como nuvem, o desprazer de Deus. As igrejas são fracas. O egoísmo, a falta de caridade, a cobiça, a inveja, as más suspeitas, a falsidade, o roubo, o furto, a sensualidade, a licenciosidade e o adultério, estão registrados contra alguns que dizem crer na solene e sagrada verdade para este tempo. Como poderão essas coisas abomináveis ser tiradas do acampamento, quando homens que pretendem ser cristãos as estão praticando constantemente? São um tanto cuidadosos quanto às suas maneiras diante dos homens, mas são uma ofensa a Deus. Seus puros olhos veem, uma testemunha registra, todos os pecados deles, tanto abertos como secretos; e a menos que se arrependam e confessem os pecados diante de Deus, a menos que caiam sobre a Rocha e sejam quebrantados, seus pecados permanecerão debitados contra eles nos livros de registro” (Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 146).

 

  1. 4.      Quarta: Promessas, promessas […] (Mat. 5:33-37)

Tudo na vida é melhor controlado e gerenciado se for tratado em tempo, logo no início. Por exemplo, é o caso do câncer. Quando for descoberta a doença em estágio primário, é alta a probabilidade da cura. Quando uma pessoa enfarta, se for atendida sem perda de tempo, pode ser salva. Assim também numa briga entre pessoas, se o assunto for administrado no início, e fizerem as pazes logo, mais fácil e duradoura será a solução. As crianças, se forem corrigidas na primeira vez, fácil é mantê-las no bom caminho. Digamos que seja o princípio da ação rápida, o quanto antes, para se obter eficiência.

Do mesmo modo são os pecados. Como é difícil superar um pecado acariciado! Mas quando ele é tratado bem no início, muitas vezes quando ainda é apenas intenção, ou mau pensamento, menos estrago causa e mais fácil e duradoura será a solução.

Foi com base nesse princípio elementar e simples, mas eficaz, que JESUS ensinou que devemos controlar nossas intenções, não deixar que elas se materializem.

Poderíamos reescrever os mandamentos com base nesse princípio. Por exemplo:

Não alimente ódio contra o teu próximo, para que não resulte em vontade de matá-lo;

Não tenhas pensamentos imorais e sensuais, para não adulterar no futuro;

O décimo mandamento já diz, não cobiçarás, assim o sétimo e o oitavo mandamento já ficam mais protegidos, para não querer matar, furtar ou roubar as coisas dos outros;

Não alimentar pensamentos falsos para nunca ser tentado a dizer uma inverdade;

E, nunca cobiçar nada, para impedir a tentação de qualquer tipo.

Foi isso que JESUS ensinou: estar alerta quanto à gênese da tentação e das más práticas.

JESUS explicou mais: cuidar ao fazer votos. Moisés ensinou que cada voto deve ser cumprido. Mas o ser humano é muito fraco para conseguir cumprir seus votos. Facilmente fazemos votos, mas dificilmente os cumprimos tal como fizemos. Portanto, JESUS ensinou que o prudente é não fazer votos ou juramentos. De modo algum jureis, disse Ele, mas que nossa palavra seja “sim, sim, e não, não.” Devemos cuidar com os apelos que se fazem na igreja, principalmente quando o pregador apela para que se levantem ou que vão à frente. Tornou-se comum as pessoas se levantarem e irem à frente, mas em sua vida nada muda, nem mesmo nas coisas mínimas. É uma consagração fictícia, momentânea; em outras palavras, é brincar com as coisas solenes e santas, é brincar com DEUS. Até parece que se levantar e ir à frente, mas sem levar a sério o ato, resolve tudo. Pelo contrário, vicia a mente em uma atitude leviana, sem propósito e sem eficácia.

“Não mais falemos sobre nossa ineficiência e falta de poder. Esquecendo as coisas que atrás ficam, avancemos no caminho para o Céu. Não negligenciemos nenhuma oportunidade que, se aproveitada, nos tornaria mais úteis no serviço de Deus. Então, qual fio de ouro, a santidade se entretecerá em nossa vida, e os anjos, contemplando nossa consagração, repetirão a promessa: “Farei que um homem seja mais precioso do que o ouro puro e mais raro do que o ouro fino de Ofir.” Isa. 13:12. Todo o Céu se regozija quando os fracos e faltosos seres humanos se entregam a Jesus para viver a Sua vida” (Mensagens aos Jovens, 108).

 

  1. 5.      Quinta: Lex talionis (Mat. 5:38-48)

“Os primeiros indícios de consagração da Lei de talião foram encontrados no Código de Hamurabi por volta de 1700 a.C., no reino da Babilônia.” A lei primitiva procurava garantir a justiça no castigo, impedir que este fosse acima do mal causado. O castigo não podia ser mais severo que o delito, nem menos, mas igual. Só para meditar, não estaríamos precisando da Lei do talião no Brasil?

Veja alguns itens da Lei do talião:

“196º – Se alguém arranca o olho a um outro, se lhe deverá arrancar o olho.

197º – Se ele quebra o osso a um outro, se lhe deverá quebrar o osso.

200º – Se alguém parte os dentes de um outro, de igual condição, deverá ter

partidos os seus dentes.

202º – Se alguém espancar outro mais elevado que ele, deverá ser espancado

em público sessenta vezes, com o chicote de couro de boi.”

No Aelho Testamento, em Êxodo capítulo 21, temos uma réplica dessa lei, para o povo de DEUS:

“23 – Mas se houver morte, então darás vida por vida,

24 – olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé,

25 – queimadura por queimadura, ferida por ferida, golpe por golpe.”

Fonte: http://rafaelfernandesonlline.wordpress.com/2012/05/09/a-lei-de-taliao-conceito-e-origem/

JESUS CRISTO retraduziu a Lei do talião de outro modo. É o modo celeste de se fazer justiça. Não era para pagar na mesma moeda, mas de modo oposto. Por exemplo, em Mateus 5:38 a 41:

“38 – Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente;

39 – Eu porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra;

40 – E, ao que quer demandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa;

41 – Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas.”

Esses mandamentos ensinados por JESUS seguem o princípio do amor. Ele disse: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, para que vos tornais filhos de vosso Pai celeste, pois Ele faz nascer o sol e a chuva sobre justos e injustos. JESUS veio para salvar e para estabelecer o Seu reino, que não é de retaliação na mesma moeda, mas de retribuição em forma de amor. É isso que devemos aprender.

 

  1. 6.      Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:

a)      Síntese dos principais pontos da lição

  • Qual o foco principal?

JESUS teve alguns momentos em que dizia grandes verdades, e fazia fortes afirmações. Um desses momentos foi o Sermão da Montanha. Nesse sermão JESUS colocou muitas coisas no lugar. Prevendo como tratariam a Sua lei mais adiante, pois Ele sabia, fora Ele que havia revelado a Daniel que pisariam a lei, afirmou com todas as letras que a Lei jamais passará. Ele foi bem enfático em dizer que enquanto houvesse criação (céu e terra), a lei existira e portanto deveria ser obedecida. Ele enfatizou que jamais alguém deveria mexer no texto da lei, nem num “i” nem num “til”.

  • Quais os tópicos relevantes?

A lei é o amor descrito em forma de texto resumido. Ela tem uma lógica: amar a DEUS acima de tudo, e ao próximo como a si mesmo. Fazer isto é cumprir a lei. Quem ama, como diz nos mandamentos, não mente, não rouba, não mata, não cobiça, e assim por diante. Quem ama, havendo um problema com o irmão, trata de resolver logo, e por bem.

  • Você descobriu outros pontos a acrescentar?

_________________________________________________________________________

 

b)      Que coisas importantes podemos aprender desse estudo?

Devemos aprender que os princípios divinos, por DEUS ser perfeito, são eternos, e que jamais passarão, assim como DEUS não passa. Ora, a pergunta é: porque um Ser perfeito redigiria uma lei moral para durar apenas por um tempo?

  • Que aspectos posso acrescentar a partir do meu estudo?

_________________________________________________________________________

 

c)       Que providências devemos tomar a partir desse estudo?

É importante que sejamos obedientes à lei de DEUS, que amemos nossos semelhantes, vivamos em harmonia uns com os outros e demos um bom testemunho de que somos seguidores de JESUS CRISTO.

  • O que me proponho a reforçar, se for bom, ou mudar se for mau, em minha vida?

_________________________________________________________________________

 

d)     Comentário de Ellen G. White

“Se fordes impulsionados pelo amor para com Deus, tendo como fundamento a Sua lei, fareis obra perdurável. Ao passo que o feno, a madeira e a palha serão consumidos, vossa obra resistirá à prova. Os jovens postos sob o vosso cuidado, tereis de encontrar outra vez em torno do grande trono branco. Se permitirdes que vossas maneiras incultas ou o descontrolado temperamento dominem a situação, deixando assim de influenciar esses jovens para seu eterno bem, devereis naquele dia enfrentar as consequências de vossa obra. Pelo conhecimento da lei divina e a obediência aos Seus preceitos, podem os homens tornar-se filhos de Deus. Pela violação dessa lei, fazem-se servos de Satanás. Por um lado, podem eles erguer-se a qualquer altitude a excelência moral; podem, por outro lado, descer a qualquer profundidade no perverso e degradante” (Conselhos Sobre Educação, 70).

 

e)      Conclusão geral

“A lei de Deus é tão sagrada como Ele próprio. É uma revelação de Sua vontade, uma transcrição de Seu caráter, expressão do amor e sabedoria divinos. A harmonia da criação depende da perfeita conformidade de todos os seres, de todas as coisas, animadas e inanimadas, com a lei do Criador” (Patriarcas e Profetas, 52). A nossa felicidade está em obedecer a mais perfeita lei moral do Universo.

  • Qual é o ponto mais relevante a que cheguei com este estudo?

_________________________________________________________________________

 

Assista o comentário clicando aqui.

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples

Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira O decreto dominical O alfa e o ômega Como é fácil enganar!      

 

 

estudado e escrito entre  14 e 20/03/2014

revisado em  21/03/2014

corrigido por Jair Bezerra

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

7 comments for “Lição 04 – CRISTO e a lei no sermão da montanha

  1. Joaquin Del Castillo
    Abril 20, 2014 at 3:04 pm

    Estimado profesor Sikberto, gracias por sus comentarios de las lecciones de Escuela Sabática, son muy buenos e importantes para comprender mejor cada lección del folleto. Le pido por favor nos ayuden publicando los comentarios en español.

    Gracias por su gentil ayuda.

    Que Dios le bendiga

    • Sikberto Marks
      Abril 21, 2014 at 5:07 pm

      Olá meu amigo, estou sem tradutores do português para o espanhol.

  2. Raquel Carlin
    Abril 23, 2014 at 12:15 pm

    Palavras muito profundas e de peso para nós Cristãos …vou procurar cumprir com a força do Espírito de Deus tudo isso em minha vida ! que Deus me ajude ,orem por mim…

  3. Fernando Cunha
    Abril 25, 2014 at 7:34 am

    Parabens pelo vitorioso trabalho de comentar a liçao. Moro em Belem do Para e tdas as manhas acesso seus abençoados comentarios e videos.

  4. Gilson R Lopes
    Abril 26, 2014 at 2:09 am

    Deus te abençoe, acompanho os comentários e o video, uma benção, ótimas e claras explicações baseada na palavra de Deus.

  5. Janeiro 17, 2017 at 11:03 pm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *