Lição 04 – Salvação

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Terceiro Trimestre de 2014

Tema geral do trimestre: Ensinos de JESUS

Lição 04 – Salvação

Semana de   19 a 26 de julho

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário é meramente complementar ao estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br– Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar: “Porque DEUS amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” João 3:16.

 

Introdução de sábado à tarde

Sermos salvos é uma questão de fé, de crer em DEUS e em JESUS CRISTO. Estamos no mundo onde se desenvolveram inúmeras teorias, ideologias e outras ideias. As pessoas têm tanta coisa para acreditar que a promessa da salvação torna-se apenas mais uma delas. Há explicações, quase todas falsas, sobre a vida e a morte. Há a crença de que as pessoas não morrem, apenas se libertam de seu corpo. Outros creem que ocorrem reencarnações, e assim vai.

Mas a Bíblia ensina que existe a morte, e ela vem por causa do pecado. O pecado é o extremo oposto da obediência. O reino de DEUS é de obediência, e o exemplo vem de cima; DEUS mesmo é o maior de todos que obedecem. Assim como Ele obedece requer que todos o façam. E de fato, só em condições de perfeita obediência que se pode usufruir de um reino onde vigora o amor. O amor requer que sejamos obedientes às cláusulas dele, como por exemplo, servir aos outros, não impondo a nossa vontade.

Pois DEUS, desde a eternidade, estabeleceu um reino de amor, onde, a partir dEle todos são obedientes. Por isso este é um reino perfeito, onde a felicidade é o resultado natural. Agora, aqui na Terra, onde vigora o ódio com a respectiva morte, temos apenas duas escolhas: crer em DEUS e em Seu Filho, para podermos ser salvos, ou não crer, sendo que, nesse caso, estaremos optando pela morte, pois estaremos separados de DEUS, e vinculados a satanás, que é incapaz de assegurar vida eterna.

 

  1. Primeiro dia: A salvação é dom de DEUS

Há três atitudes possíveis: (1ª) sermos salvos pela graça; (2ª) permanecermos salvos pela obediência, isto é, obras; (3ª) voltarmos à perdição ou permanecermos na perdição pela desobediência. Hoje o assunto é a salvação. Ela é um dom gratuito de DEUS, isto quer dizer, é um presente. Mas esse presente tem uma característica essencial: não o merecemos.

Quando alguém faz aniversário, recebe presentes por esse motivo. Quando alguém se casa, recebe presentes por tal motivo. E assim por diante. Sempre há motivo para se dar presentes. Mas qual seria o motivo que levaria o ser humano a merecer presente de DEUS, sendo ele pecador? O presente de DEUS é o perdão mediante a morte de JESUS. Mas, sinceramente, o que temos nós, que mereçamos tal presente? Pelo contrário, o que merecemos é a morte, não o perdão. E o que nos está sendo ofertado, é a vida, não a morte.

E tem mais uma coisa relevante: todo presente certamente é oferecido a alguém, mas ele deve também ser aceito. A pessoa aceita se gosta do que lhe está sendo ofertado mesmo gratuitamente. Se aceita o presente, vai poder usufruir seus benefícios, se não aceita, não há benefício algum.

Portanto, analisando, DEUS está nos oferecendo um presente, a vida eterna, que evidentemente nem merecemos, porque a nós, por natureza, por rebelião, o que nos é devido é a morte eterna. Teremos a vida eterna caso aceitarmos o presente de DEUS. Aceitar significa submeter-nos a mudança de vida operada pelo poder de um dos seres da Trindade, o ESPÍRITO SANTO. É assim, resumidamente, que se completa o procedimento da salvação: há uma oferta gratuita de perdão e deve haver desejo de ser perdoado.

 

  1. Segunda: Salvação: iniciativa de DEUS

Algumas parábolas explicam a atitude de DEUS para nos salvar, e o nosso comportamento. Na parábola da ovelha perdida, ela sabia que estava nessa situação, mas não sabia como retornar. Na parábola da dracma perdida, ela não tinha consciência da situação e também não sabia como retornar. Já na parábola do filho pródigo, ele se perdeu, sabia que estava perdido, e sabia como retornar. Nos três casos temos semelhanças, isto é, alguém ou foi atrás ou preparou o retorno, mas sempre atuou no sentido da reincorporação de quem se havia perdido.

DEUS é quem tomou a iniciativa de nos restaurar. Nem ocorreu em nosso pensamento a possibilidade de retornar. Alienados da situação, de como resolver, Adão e Eva na verdade se esconderam, eles não chegaram a perceber a possibilidade de falar com DEUS e interceder para que os perdoasse. Fugiram de DEUS. Quem foi atrás foi DEUS, não eles que O buscaram. Hoje já é um pouco diferente, pois já existe a pregação do evangelho, existe muito conhecimento sobre a possibilidade do retorno; então, muitos, como o filho pródigo, tomam a iniciativa por conta e retornam. Porém, a primeira iniciativa, que ocorreu ainda no Éden, foi tomada por DEUS.

O Pai enviou Seu Filho para buscar a Adão e Eva e seus descendentes. JESUS, mesmo enviado, tomou a iniciativa de vir em nosso socorro. Como o Pai e o Filho agem em harmonia, eles fazem tudo sob uma única motivação, um envia mas o outro já decidiu ir. “Os anjos desejam que aprendamos que “o Filho do homem veio buscar e salvar o perdido”. Luc. 19:10. Cristo não veio para salvar os bons e justos, mas os perdidos. Irmãos e irmãs, quando virdes alguém se desviando da verdade, e colocando em perigo sua esperança de salvação eterna, achegai-vos ao seu lado, e procurai ajudá-lo de todas as formas que puderdes. Perguntai-lhe a respeito de suas necessidades; orai com ele; trabalhai bondosa e pacientemente com ele; jamais desistais de ajudá-lo” (Refletindo a CRISTO, MM 1986, 242).

 

  1. Terça: Morte exigida

“Chegara a hora da glorificação de Cristo. Ele Se achava à sombra da cruz, e o pedido dos gregos mostrou-Lhe que o sacrifício que estava para fazer traria muitos filhos e filhas a Deus. Sabia que os gregos O haviam de ver em breve numa posição que mal sonhavam agora. Vê-Lo-iam colocado ao lado de Barrabás, ladrão e assassino, cuja liberdade seria preferida à do Filho de Deus. Ouviriam o povo, inspirado pelos sacerdotes e principais, fazer sua escolha. E à pergunta: “Que farei então de Jesus, chamado Cristo?” a resposta dada: “Seja crucificado.” Mat. 27:22. Jesus sabia que, fazendo essa propiciação pelos pecados dos homens, Seu reino seria aperfeiçoado, e se estenderia pelo mundo. Ele operaria como Restaurador, e Seu Espírito havia de prevalecer. Olhou, por um momento, o futuro adiante, e ouviu as vozes que proclamavam em toda parte da Terra: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” João 1:29. Viu nesses estrangeiros as primícias de uma grande colheita, quando a parede divisória entre judeus e gentios fosse derribada, e todas as nações, línguas e povos ouvissem a mensagem de salvação. A antecipação desse fato, a consumação de Suas esperanças, acham-se expressas nas palavras: “É chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado.” O caminho pelo qual essa glorificação se havia de operar, porém, não estava nunca ausente do espírito de Cristo. A reunião dos gentios devia seguir Sua morte próxima. Unicamente por Sua morte podia o mundo ser salvo. Como um grão de trigo, o Filho do homem devia ser deitado no solo e morrer, e ser enterrado fora das vistas; mas havia de viver outra vez” (O Desejado de Todas as Nações, 622-623).

 

  1. Quarta: Livres do pecado

Vamos viajar um pouco, no pensamento, a partir do relato que estudamos sobre o paralítico perdoado, da mulher que lavou os pés de JESUS, perdoada, da prostituta que deveria ser apedrejada, perdoada.

Tempos atrás assisti uma reportagem da Rede Globo sobre a prostituição de rua, no Rio de Janeiro. Eles entrevistaram várias prostitutas, e naqueles dias fora feita uma pesquisa sobre essa prostituição. O que me impressionou é que essas mulheres, à margem da sociedade, 80% delas queriam sair da prostituição, e estavam nisso por contingência. Ou continuavam ou passariam fome. Elas diziam que ganhavam muito dinheiro, mas também tinham que gastar muito, e que envelheciam rápido, devido a trabalharem todas as noites e terem que beber bebida com álcool. E as que ficavam mais velhas, por volta dos 30 anos, tinham pouca procura, e sem aposentadoria, passavam necessidade e eram humilhadas.

Dias atrás li uma reportagem do que acontecia na Coreia do Sul. Lá senhoras idosas passaram a se prostituir. E sabem qual a razão? Abandono pelos filhos, que viviam na correria do trabalho, das responsabilidades e das exigências burocráticas. Os idosos, abandonados, passaram a padecer necessidade, e para sobreviver, as mulheres vendiam alimento na rua e também seu próprio corpo, a qualquer preço. Diziam: os homens são muito curiosos, e querem ver como é o corpo feminino de mais idade.

Quão grande é a necessidade de JESUS estar em nosso meio e dizer a essas pessoas que seus pecados estão perdoados e lhes dar uma nova vida, uma mudança radical!

Dentre as entrevistadas estava uma mulher, jovem, que tinha uma filha pequena. Essa prostituta vendia seu corpo para o ganha-pão, para pagar aluguel e pagar o curso superior que ela fazia. Fazer uma faculdade era o trampolim para sair da prostituição. O drama dela era explicar o que aconteceu com o pai, que ela desconhecia, e educar sua filha para que tivesse uma vida diferente. Como JESUS teria prazer em perdoar essa mulher!

Como nós, adventistas do sétimo dia, temos grande tarefa pela frente em libertar milhões de pessoas, em situação desesperada que, tudo o que querem, mais que o alívio das doenças, é o perdão! Quantas pessoas têm câncer, já se arrependeram dos descuidos, e almejam ser perdoadas, para descansarem em paz! Quantas têm problemas cardíacos por alimentação inadequada, vivem à beira da morte, estão arrependidas, e necessitam de uma palavra de perdão!

Muitas pessoas são boas, bem intencionadas, e precisam só de conselho para acertar sua vida. Veja o caso real que publico abaixo, um adolescente que aproveitou seu estado terminal para ajudar os outros. Alguém assim merece ou não merece compreensão e perdão, para ser salvo?

“Adolescente em estado terminal arrecada mais de R$ 3,7 mi para caridade

Atualizado em  24 de abril, 2014 – 06:23 (Brasília) 09:23 GMT

Sutton criou uma lista de desejos para ajudar a levantar fundos e motivar outras pessoas.

Um blogueiro britânico de 19 anos com câncer terminal arrecadou mais de 1 milhão de libras (R$ 3,7 milhões) para a caridade e postou uma última mensagem para seus seguidores.

Quando Stephen Sutton foi diagnosticado com câncer de intestino aos 15 anos, ele começou a levantar fundos para a Teenage Cancer Trust, instituição na Grã-Bretanha dedicada à adolescentes com câncer.

Na terça-feira, Sutton postou no Facebook: “Esta é minha última mensagem. Acho que já fui muito longe.”

Em reação à notícia de que o total de arrecadações ultrapassou 1 milhão de libras, Sutton tuitou: “Muito obrigado à todos”.

“Essa situação é de tirar o fôlego de várias maneiras!”, ele adicionou.

Dezenas de pessoas responderam dando parabéns, incluindo uma que descreveu Sutton como uma “verdadeira inspiração”, enquanto outra disse que ele tinha “mudado a vida de milhares de pessoas”.

No dia anterior ele disse a seus milhares de amigos e seguidores no Facebook que aquele seria seu último post, e que qualquer novidade viria de seus familiares.”

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/04/140424_britanico_cancer_terminal_caridade_an.shtml

Há muitas pessoas desejosas de perdão, porque, pela atuação do ESPÍRITO SANTO, elas passaram a sentir o desejo de mudança. Ainda há pessoas honestas e boas nesse mundo, às quais a morte de JESUS pode ser muito útil, e a atuação do poder divino pode transformar a vida.

 

  1. Quinta: CRISTO oferece vida eterna

“Jesus veio para “desfazer as obras do diabo” I João 3:8. “NEle estava a vida” (João 1:4) e Ele diz: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” João 10:10. Jesus é “espírito vivificante” I Cor. 15:45. E possui ainda o mesmo poder vitalizante que tinha quando na Terra curava o doente, e assegurava o perdão ao pecador. “Perdoa todas as tuas iniquidades”, “sara todas as tuas enfermidades.” Sal. 103:3” (O Desejado de Todas as Nações, 270).

“Ainda procurando dar a verdadeira direção à sua fé, Jesus declarou: “Eu sou a ressurreição e a vida.” Em Cristo há vida original, não emprestada, não derivada. “Quem tem o Filho tem a vida.” I João 5:12. A divindade de Cristo é a certeza de vida eterna para o crente. “Quem crê em Mim”, disse Jesus, “ainda que esteja morto viverá; e todo aquele que vive, e crê em Mim, nunca morrerá. Crês tu isto?” João 11:25 e 26. Cristo olha aqui ao tempo de Sua segunda vinda. Então os justos mortos ressuscitarão incorruptíveis, e os vivos serão trasladados para o Céu, sem ver a morte. O milagre que Cristo estava prestes a realizar, em ressuscitar a Lázaro dos mortos, representaria a ressurreição de todos os justos mortos. Por Suas palavras e obras, declarou-Se o Autor da ressurreição. Aquele que estava, Ele próprio, prestes a morrer na cruz, retinha as chaves da morte, vencedor do sepulcro, e afirmou Seu direito e poder de dar vida eterna” (O Desejado de Todas as Nações, 530).

“Eis que Ele ainda convida: “Se alguém tem sede, venha a Mim e beba. Quem crê em Mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.” João 7:37 e 38. “A água que Eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna.” João 4:14 (Educação, 83).

“Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em Mim tem a vida eterna. Eu sou o Pão da vida. Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. Este é o pão que desce do Céu, para que todo o que dele comer não pereça. Eu sou o Pão vivo que desceu do Céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o Pão que Eu darei pela vida do mundo é a Minha carne” (João 6:47-51).

 

  1. Resumo e aplicação – Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:

a)      Síntese dos principais pontos da lição

  • Qual o foco principal?

A salvação é um dom gratuito de DEUS. Por um lado, está totalmente fora de nosso alcance, pois nós mesmos, por algo que venhamos a fazer, não podemos restaurar nossa condição de perfeição. Nada no Universo consegue se erguer de uma situação de degeneração rumo à perfeição, isso é impossível. Por outro lado, o que DEUS fez por nós tem um preço tão elevado que está fora de nosso alcance o pagamento. O custo foi a vida do Filho de DEUS. Quem poderia fazer algo que compensasse esse custo?

  • Quais os tópicos relevantes?

A morte de JESUS na cruz revela que DEUS é tanto justo como misericordioso (amor). Por ter havido desobediência, o mesmo que rebeldia, pela infinita justiça de DEUS em Seu governo, não poderia ter havido perdão sem que houvesse condenação. Logo, Adão e Eva deveriam ser condenados à morte, e assim foi. Ao pecarem, já estavam condenados. Porém, o reino de DEUS, e Seu governo, são ao mesmo tempo também amor. Logo, para poder exercer o amor, e não deixar de ser justo, DEUS mesmo pagou pelo que Adão e Eva e seus descendentes deveriam pagar. Um de seus descendentes, JESUS CRISTO, também DEUS O fez na cruz. Então sim, DEUS demonstrou na prática que não brinca com o pecado, mas também não condena em definitivo sem dar uma segunda oportunidade ao pecador.

  • Você descobriu outros pontos a acrescentar?

_________________________________________________________________________

 

b)      Que coisas importantes podemos aprender desse estudo?

Embora haja a graça, o perdão gratuito de DEUS mediante o pagamento na cruz, embora não possamos nem devemos pagar algo para usufruirmos a graça do perdão, ainda assim devemos nos apropriar da graça, e isto quer dizer ter o desejo de sermos perdoados e também ter o desejo de sermos transformados. Isto ainda quer dizer que, depois de perdoados, devemos querer não pecar mais, o que será conseguido somente com o poder do ESPÍRITO SANTO.

  • Que aspectos posso acrescentar a partir do meu estudo?

_________________________________________________________________________

 

c)       Que providências devemos tomar a partir desse estudo?

Tanto nós mesmos quanto as demais pessoas devem ver em nossa vida que ela está sendo transformada pelo poder do ESPÍRITO SANTO. A cada tempo, por exemplo, sugestivamente a cada três meses, é prudente fazermos uma avaliação de nossa vida espiritual, profissional, familiar, etc., para ver se estamos sendo transformados ou não. Se sim, é importante continuar; se não, é importante tomar uma iniciativa para que se inicie o processo de transformação. Isso se faz com oração e com a vontade de querer.

  • O que me proponho a reforçar, se for bom, ou mudar se for mau, em minha vida?

_________________________________________________________________________

 

d)     Comentário de Ellen G. White

“O Senhor Jesus comunica todo o poder, toda a graça, toda a penitência, toda a inclinação, todo o perdão dos pecados, ao apresentar Sua justiça para que o homem dela se apodere por meio de fé viva – a qual também é o dom de Deus. Se juntássemos tudo que é bom e santo, nobre e belo no homem, e apresentássemos o resultado aos anjos de Deus, como se desempenhasse uma parte na salvação da alma humana ou na obtenção de mérito, a proposta seria rejeitada como traição. Encontrando-se na presença de seu Criador e contemplando a glória insuperável que envolve Sua Pessoa, eles consideram o Cordeiro de Deus dado desde a fundação do mundo a uma vida de humilhação, a ser rejeitado por homens pecaminosos, e a ser desprezado e crucificado. Quem pode avaliar a imensidão desse sacrifício!” (Fé e Obras, 24).

 

e)      Conclusão geral

“Quando o Senhor fala de perdão à pessoa arrependida, ela está cheia de ardor, cheia de amor a Deus, cheia de fervor e energia, e o Espírito vivificante que ela recebeu não pode ser impedido. Cristo é nela uma fonte a jorrar para a vida eterna. Seus sentimentos de amor são tão profundos e ardentes como eram sua aflição e angústia. Sua alma é como uma fonte das profundezas da Terra, que se abre, e ela emite suas ações de graça e louvor, sua gratidão e alegria, até que as harpas celestes também emitam notas de regozijo. Tem uma história para contar, mas não de maneira precisa, comum e metódica. É uma alma resgatada pelos méritos de Jesus Cristo, e todo o seu ser se empolga com o reconhecimento da salvação efetuada por Deus” (E Recebereis Poder, MM 1999, 29).

  • Qual é o ponto mais relevante a que cheguei com este estudo?

_________________________________________________________________________

 

Assista o comentário clicando aqui.

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira O decreto dominical O alfa e o ômega Como é fácil enganar!      

 

 

estudado e escrito entre  07 e 12/06/2014

revisado por Jair Bezerra

 

 

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *