Lição 05 – Mordomos após o Éden

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Primeiro Trimestre de 2018

Tema geral do trimestre: Mordomia cristã: motivos do coração

Lição 05 – Mordomos após o Éden

Semana de 27 de janeiro a 3 de fevereiso

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular, sênior, no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar:Visto que fomos APROVADOS por DEUS, A PONTO DE NOS CONFIAR Ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e sim a DEUS, que prova o nosso coração” (1 Tes. 2:4).

 

Introdução de sábado à tarde

Nesta semana estudaremos o importantíssimo conceito sobre mordomia após a queda no Éden. Antes da queda, por exemplo, não havia necessidade de pregação do evangelho nem de preservação da verdade. Também não havia o conceito de posse de materiais. E também nada era comprado ou vendido. E, principalmente, não havia pecado nem tentação, e nem a possibilidade de se cometerem erros. Não havia o conhecimento do mal. Mas havia o conceito de mordomia, em exercício num ambiente de perfeição.

As mudanças impressionantes que ocorreram com a queda de Adão e Eva trouxeram situações novas, situações negativas e outras simplesmente diferentes. Passamos a ter de lutar pela vida, a maldade foi se instalando, os demônios passaram a agir e em especial, DEUS concedeu o plano de salvação da humanidade em contexto de livre- arbítrio. As responsabilidades dos seres humanos fiéis a DEUS mudaram. Apareceu a necessidade de agir pela salvação de outros seres humanos. Por exemplo, Enoque percebeu a necessidade de ser bom pai para salvar ao menos seus filhos. Noé teve que pregar por 120 anos para salvar ao menos sua família numa arca inédita que teve que construir. Abraão teve que deixar seus parentes e amigos para ir a uma terra estranha. E assim por diante. Com a entrada do pecado, tudo mudou por aqui, e DEUS passou a trabalhar de modo diferente que onde há criação ainda perfeita. E nós também tivemos que aprender um modo diferente de nos relacionarmos com DEUS e entre nós. Isso que iremos estudar.

 

  1. Primeiro dia: Mordomos no Antigo Testamento

O que é um mordomo? O que era um mordomo no Antigo Testamento?

O mordomo (do latim major domus, “administrador ou governante da casa”), é um empregado doméstico, no Brasil também conhecido como “caseiro”, o chefe dos serviçais, demais empregados, de uma casa-grande, de alguém de muitas posses. Substitui o dono da casa na administração dela. Em uma casa grande, com propriedade grande, há muito mais a fazer que limpeza, alimentação e conservação. Ali produzem alimento e outras coisas; fabricam alguns instrumentos; compram e vendem bens; há plantações, como de uva por exemplo e horta, etc.; constroem outros imóveis; cuidam dos animais de estimação e outros animais e muitas outras coisas mais. É uma empresa familiar, que precisa de uma administração profissionalizada por ter um grupo de empregados que pode variar de uns cinco a algumas dezenas.

Atualmente mordomos trabalham para pessoas ricas, até bilionárias. Por exemplo, uma empresa especializada em contratar mordomos para essas pessoas, relata atividades bizarras que devem fazer, entre as normais. Essa “empresa recentemente teve de contratar dois mordomos para cuidarem de filhotes de suricatos para um cliente excêntrico e um assistente que topasse viajar com o patrão bilionário para fazer esportes radicais. Seguindo a linha de solicitações estranhas, uma cliente já pediu alguém que deixasse pimenta recém-moída em seu prato em todas as refeições. Alguns empregadores esperam inclusive que seus funcionários gerenciem perfis em redes sociais. “O empregado monitora as mídias sociais das crianças, para se certificar de que estão de acordo com a forma como a família quer projetar sua imagem”, diz Rahmani. “Nós também temos clientes chineses que querem elevar seu status social na internet e contratam alguém para que pareça que eles sabem de tudo. É assim que a rede funciona hoje.”” (Fonte aqui)

Voltando aos mordomos do Antigo Testamento, eles assumiam tudo o que se passava na casa, assim como fez José na casa de Potifar. O dono da casa tinha outras atividades e não queria preocupações com a casa, repassava a responsabilidade a uma pessoa bem qualificada que ganhava bem para fazer isso, e granjeava bom prestígio. Muitos desses mordomos podiam até fazer negócios, nesses casos, sob as ordens e conhecimento do dono.

Por sua vez, mordomia também é a administração responsável dos recursos de uma igreja ou entidade sem fins lucrativos.

 

  1. Segunda: Mordomos no Novo testamento

A lição apresenta as palavras epítropos e oikonomos, do grego antigo. Significam o mesmo, como o mayordomo, procurador, tutor, administrador de uma casa. Oiconomos é, por exemplo, o gerente, ou supervisor, um empregado com a capacidade de administrar e distribuir atividades na casa, em nome de seu dono. Pode ser inclusive o agente fiscal ou tesoureiro da casa. Além disso, tornou-se um pregador do Evangelho.

A palavra ecnônomo, que vem do latim oeconomus (ou oicônomus) deriva de oikos (casa) e nomos (governo, lei, direção, gestor ou mantenedor). No direito canônico, o termo designou o indivíduo nomeado para cuidar dos bens temporais da Igreja numa diocese.

No Novo Testamento JESUS CRISTO ampliou a responsabilidade de um mordomo, mas não tirou nada do que já requeria. Em contraste com o mordomo infiel (parábola de JESUS em Luc. 16:1-15), que administrou mal os bens de seu senhor, e que, temendo perder o emprego, o que certamente logo iria acontecer, para não ficar mal, resolveu beneficiar seus amigos perdoando grande parte do que deviam a seu senhor. É claro, nisso ele foi, mais uma vez, desonesto, mas granjeou amigos que o socorreriam depois. Fez isso com o dinheiro de seu senhor. Mas JESUS ensina diferente. Em primeiro lugar, devemos ser fiéis, como se requeria de qualquer mordomo do Antigo Testamento. E também, agregando, JESUS disse que um mordomo fiel, preparará todos da casa, e a ele mesmo, para a breve volta de JESUS à Terra. Um mordomo assim não pode cair na cilada do “meu senhor tarde virá”, e desleixar as atividades, pois nisso corre grave risco de uma surpresa desastrosa. Vá que o senhor retorne entes do esperado e o pegue despreparado!

Ser mordomo de JESUS é administrar Seus bens – e que bens há mais importantes que as pessoas a serem salvas? Cuidado, muitas vezes quem dirige sobre a obra de DEUS cai na cilada da perda da confiabilidade por parte dos dirigidos. Há pessoas que, com suas atitudes, vão deixando de ser importantes para nós.

Os mordomos do Novo Testamento são despenseiros de DEUS, de Seus mistérios. Portanto, devem ter conhecimento privilegiado a repartir com os semelhantes, devendo ser fiéis ao que conhecem (cf. 1 Coríntios 4:1e2). Devem ser irrepreensíveis e não voltados a si e suas necessidades e desejos. Devem administrar a riqueza de DEUS (seres humanos) com sabedoria e docilidade, cada um conforme o seu dom (cf. Tito 1:7 e 1 Pedro 4:10).

 

  1. Terça: Mordomos dos mistérios de DEUS

“Para que os seus corações sejam consolados, e estejam unidos em amor, e enriquecidos da plenitude da inteligência, para conhecimento do mistério de Deus e Pai, e de Cristo, em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência” (Colossenses 2:2 e 3). “E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória” (1 Timóteo 3:16).

Qual é o mistério de DEUS?

Comecemos alguns outros mistérios na Bíblia. Por exemplo, como foi que se originou na mente de Lúcifer o mal, a revolta contra DEUS? E por que esse anjo, o mais honrado de todos, manteve sua rebelião apesar das advertências do Senhor JESUS? Por que ele desenvolveu tanto ódio contra DEUS?

Outro mistério é: por que tantos, depois de conhecerem bem a verdade, a abandonam, e seguem qualquer outro caminho, menos o da salvação?

E, por que são tantos os que desejam dominar e utilizar os servos de DEUS como seus submissos espirituais, pondo-se no lugar de JESUS?

Ainda, se a salvação é algo tão bom, por que existe tão pouco interesse por ela, em meio ao povo de DEUS, que se interessa bem mais pelas atrações do mundo?

A salvação em si já é um mistério: “Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados” (1 Coríntios 15:51).

Satanás também opera por meio de mistérios: “Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora o retém até que do meio seja tirado” (2 Tessalonicenses 2:7).

Há muitos outros mistérios que não compreendemos completamente, mas o nosso foco hoje é sobre o mistério de DEUS. Porque “falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória” (1 Coríntios 2:7). O mistério de DEUS é a Sua decisão exatamente em sentido contrário ao esperado por satanás. Trata-se do plano da salvação da humanidade. Satanás, em seus pensamentos, jamais imaginaria que o amor de DEUS fosse tão grande a ponto de vir à Terra JESUS CRISTO, transformado em ser humano, para morrer em lugar da morte exigida a todos os humanos, pela queda de Adão e Eva. Esse é o maior de todos os mistérios.

É como escreve João em seu livro Apocalipse, ou seja, revelação: “O mistério que esteve oculto desde todos os séculos, e em todas as gerações, e que agora foi manifesto aos seus santos; aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória; a quem anunciamos, admoestando a todo o homem, e ensinando a todo o homem em toda a sabedoria; para que apresentemos todo o homem perfeito em Jesus Cristo” (Colossenses 1:26-28 grifo acrescentado).

Ainda João reafirma esse mistério: “Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta, se cumprirá o segredo de Deus [mistério], como anunciou aos profetas, Seus servos” (Apocalipse 10:7, grifo acrescentado). “E o sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: os reinos do mundo vieram a ser de nosso Senhor e do Seu Cristo, e Ele reinará para todo o sempre” (Apocalipse 11:15, grifo acrescentado). JESUS voltará a esta Terra e salvará muitos dos que aqui vivem, e depois retornará pela terceira vez, e aqui será o centro do governo celeste. Isso, em grande parte, é um mistério para compreendermos perfeitamente.

Resumindo: O mistério de DEUS é o plano da salvação e o estabelecimento do trono do Universo, justo no lugar onde houve a rebelião contra esse trono. Vá entender tanto amor, única explicação até grande parte, incompreensível a todas as criaturas. Aí vem a pergunta: como subjugar o amor de DEUS? Outra pergunta: haveria algo maior que o amor de DEUS no Universo? Não, porque esse amor é o próprio DEUS, e esse amor é a lei do Universo. Não há nada de estranho nisso, nem há falta de lógica, mas como explicar em sua plenitude tamanho amor. Só se pode dizer: esse amor é infinito.

 

  1. Quarta: Mordomos da verdade espiritual

Normalmente vem à mente a mordomia dos bens materiais, dinheiro, bens tangíveis (casas, terrenos, automóveis, equipamentos, etc.), e mordomia do cuidado do corpo. Mas existem quatro áreas de responsabilidade de mordomia que DEUS nos deu: devemos ter cuidados sobre o nosso tempo, dinheiro, talentos e do corpo. Estivemos estudando alguma coisa até agora sobre a mordomia do dinheiro, ou, dos bens materiais. Hoje veremos algo sobre a mordomia dos talentos, ou, da capacidade intelectual, do conhecimento, do comportamento, da sabedoria racional e espiritual, da inteligência emocional. Essa mordomia tem tudo a ver com os princípios de vida que norteiam o nosso ser, por meio do qual o ESPÍRITO SANTO nos dirige. É principalmente por essa mordomia que tornamos ou não o nosso corpo templo do ESPÍRITO SANTO. Sempre lembrando que a mordomia dos talentos depende da mordomia do corpo, pois a mente se desenvolve no cérebro que funciona melhor ou pior dependendo da saúde do corpo. O cérebro faz parte do corpo, é um órgão dele.

Em Efésios explica muita coisa sobre os norteadores dessa mordomia, pelo que transcrevemos o texto bíblico aqui. “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; e calçados os pés na preparação do evangelho da paz; tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” (Efésios 6:13-17). Digamos que o apóstolo Paulo aqui dá a fórmula da proteção do corpo, ou seja, uma espécie de redoma contra o mal. Nos lombos, a proteção da verdade, no tronco do corpo, vestir uma couraça, a da justiça; nos pés, o evangelho da paz; como defesa, o escudo da fé; na cabeça, o capacete da salvação, e para ataque e também defesa, a espada da Bíblia.

Vejamos isso:

A verdade que nos protege os lombos, (ou seja, os ombros e partes logo abaixo), estão guarnecidos com o conhecimento que vem da Palavra de DEUS, que é também a espada do ESPÍRITO, para defesa e ataque (nesse caso, ataque tem a ver com ações contra satanás).

A couraça da justiça deriva da lei de DEUS, que devemos seguir para sermos pessoas honestas e corretas. Isso é um esquema infalível de proteção, pois, afinal, uma vez perdoado, quem obedece a DEUS não poderá ser condenado.

Os sapatos do evangelho que levamos a todo lugar, é ao mesmo tempo o conhecimento da salvação, em que nos fortalecemos enquanto estamos anunciando a outros sobre a salvação.

O escudo da fé é sinônimo de poder, que vem de DEUS, um poder infinito que não pode ser superado por inimigo algum. Logo, defesa temos para tudo o que vier ao nosso encontro.

O capacete da salvação deve proteger a cabeça, que é o lugar onde temos o interesse pela vida eterna e pela salvação. Ou seja, a salvação é o plano de DEUS para nos tirar dessa miséria em que estamos, e nossa mente deve ter interesse profundo e inabalável por ela.

A espada do Espírito é uma arma de defesa e de ataque. De defesa e ataque em relação às ideologias, falsidades, ideias, crenças, sofismas, etc., contra os quais devemos sempre nos basear na Palavra de DEUS, nosso guia de vida, nosso manual de salvação.

Em resumo, a armadura toda baseia-se num único ponto: o princípio eterno do amor. O amor se entende estudando a Bíblia, por meio dela se forma em nós, a armadura de DEUS, e o ESPÍRITO SANTO desenvolve em nós um poder para nos transformar num templo divino, e para nos proteger da perda da vida eterna. Além disso, nos torna emissários para salvar outras pessoas.

 

  1. Quinta: Nossa responsabilidade como mordomos

O autor da lição, hoje, traz o conceito da responsabilidade pessoal. Vamos analisar, um pouco, esse conceito tendo em mente a situação moderna da gestão e da realização de atividades. Temos hoje uma tendência ao detalhamento, à burocratização. É uma maneira de tentar garantir por meio de normas o bom funcionamento das organizações, sejam empresas, sejam igrejas. Chama-se burocracia, que significa a introdução de regras, às vezes muitas regras, normas, padrões, regulamentos, regimentos, estatutos, padrões, etc., para que as pessoas realizem suas tarefas como que se fossem, cada um, uma máquina. A burocracia, quanto mais se manifesta, mais imagina conseguir a automação das organizações. Porém, como a burocracia recai sobre seres humanos, o que ela na verdade consegue é destruir a criatividade das pessoas e gerar estresse bem como desmotivação. Faça isso na igreja e você acaba com ela, restando apenas aquelas pessoas que por natureza são de pouca ou nenhuma iniciativa. Esse efeito se obtém em todo lugar onde se engessa uma organização por meio da burocracia.

A lição de hoje nos ensina que no Reino de DEUS, e em Sua igreja, deve ser exatamente o contrário. DEUS Se manifesta e dirige por meio de poucas regras. Na verdade a Sua lei se expressa por meio de um único princípio, o do amor. Diante Dele temos a faculdade do livre-arbítrio, pelo que devemos usar da inteligência e do bom senso guiado por princípios, e pelo princípio geral do amor, e decidir em cada situação quais as decisões mais apropriadas para a ocasião. Em DEUS somos livres, pois por meio de DEUS recebemos um cérebro capaz de raciocinar e de decidir com a lógica do amor e da responsabilidade moral, que é o mesmo que responsabilidade pessoal. Significa que sempre responderemos, não em grupo, mas individualmente pelo que decidimos e fizemos.

Por meio desse sistema é que também seremos julgados. Como diz Paulo: “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal” (2 Coríntios 5:10). Ou seja, se DEUS nos julgará pelos nossos atos é porque somos capazes de tomar decisões sábias ou astutas, conforme nossos desejos e hábitos que desenvolvemos ao longo da vida. Para que acertemos nas nossas decisões e nas realizações, temos à disposição nada menos que um dos membros da Trindade, o ESPÍRITO SANTO. Tudo o que precisamos para acertar está disponível, assim sendo, não há desculpa para quem pratica o mal.

 

  1. Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Tema transversal

O tema do estudo dessa semana está sendo a mordomia, definição dessa palavra. Na Nova Terra seremos todos mordomos das riquezas de DEUS. O Criador, a Ele pertence tudo, inclusive nós mesmos. E Ele nos disponibilizará tudo o que criou, o fará com grande alegria. E nós faremos o quê? Administraremos todos os bens, desfrutaremos, e viveremos eternamente dispondo de tudo o que o Criador fez.

A vida de um bom mordomo é algo excelente. Embora ele não seja dono dos bens, os administra como se fossem dele e disfruta como se fossem dele. A ainda vive ao amparo do dono, no caso, sendo DEUS, é um dono com infinita capacidade e poder, e para completar, é puro amor.

 

  1. Aplicação contextual e problematização

O conceito de mordomo envolve responsabilidade e confiabilidade. A lei de DEUS é extremamente simples, resumindo-se a uma única palavra: amor. Essa palavra foi traduzida, para nossa melhor compreensão, já que somos falhos, em Dez Mandamentos. Mesmo os Dez Mandamentos são bastante simples. E por que é assim? É em razão do livre-arbítrio, para que os seres inteligentes sejam capazes de livremente tomar decisões baseadas no princípio do amor e assim viver um relacionamento perfeito com DEUS e com seus semelhantes. E esse é o princípio da mordomia, da gestão das coisas de DEUS, mesmo nesse mundo, onde os bens estão adscritos nos nomes das pessoas, fazendo parecer que elas sejam donas dessas coisas. É bem difícil ser mordomo sob esses conceitos de posse que temos nesse nosso mundo caído.

 

  1. Informe profético vinculado com a lição

“Igreja se divide sob papado de Francisco – O que o argentino Jorge Mario Bergoglio vem fazendo é estimular um relaxamento de visões dogmáticas.

“É um conflito com muitas etapas. Com poucos meses no cargo, Francisco proibiu uma ordem franciscana de rezar missas em latim, algo desencorajado após o Concílio Vaticano 2º, iniciado por João 23 em 1961 e que “abriu as janelas da igreja para o mundo”, como dizia o então pontífice – aliás, feito santo por Francisco no mesmo dia que João Paulo 2º, o conservador que antecedeu Bento 16.

“Formou uma comissão de cardeais para reformar procedimentos da Cúria, prometeu escrutinar as finanças do Banco Vaticano, declarou que a igreja tinha de amar os homossexuais, rejeitou os paramentos medievais que Bento 16 usava ostensivamente e foi morar num quartinho da hospedaria Casa Santa Marta, longe do refinamento do apartamento papal. Foi além: em 2015, falou abertamente que a Cúria sofria de “mal de Alzheimer espiritual” e era infectada por um “rio de corrupção”. […]

“O catolicismo está em declínio, em especial na Europa. Há 1,2 bilhão de fiéis, contudo, a maior denominação cristã do mundo e uma influência sem paralelo na história da humanidade. Segundo pesquisa do Datafolha, 50% dos brasileiros se diziam católicos em 2016; eram 75% em 1994.

“Bento 16 tentou reverter a sangria optando por uma igreja mais ortodoxa, sem sucesso e ao fim sendo engolido pela máquina da Cúria. Francisco foi pelo caminho inverso e, aos 81 anos, há dúvidas sobre quanta força terá para manter o curso.” (leia toda a matéria aqui)

 

“Marco Feliciano criticou duramente o comediante ateu Gregorio Duvivier que chamou Jesus de baderneiro, em um artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo, nesse Natal de 25 de Dezembro de 2017, e disse que irá processar Duvivier…

“No vídeo, Marco Feliciano também não poupou críticas aos cristãos, a quem ele considerou que se calaram diante do ataque do colunista “Nós não vivemos na república das bananas, mas sim numa república de bananas, bananas cristão”, 40 milhões do segmento evangélico, 60 milhões de católicos e a maioria avassaladora se calam neste momento. Nem padres, nem pastores se posicionam, claro que com algumas raras exceções. E os motivos são inúmeros: omissão, medo, vergonha… Se calam! disparou Feliciano.” (A notícia completa pode ser acessada aqui)

Como será quando vier a perseguição? Permanecerão muitos calados, aceitando o que for imposto?

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“De acordo com as condições de nossa mordomia, temos obrigação não somente para com Deus mas também para com o homem. Todo ser humano deve os dons da vida ao infinito amor do Redentor. Alimento, roupa e abrigo, bem como o corpo, o espírito e a alma, tudo são aquisição de Seu sangue. Pelo dever de gratidão e serviço, assim imposto, Cristo nos ligou a nossos semelhantes. Ele nos ordena: “Servi-vos uns aos outros.” Gál. 5:13. “Quando o fizestes a um destes Meus pequeninos irmãos, a Mim o fizestes.” Mat. 25:40” (Educação, 139).

 

  1. Conclusão

“A prova de nosso amor é dada num espírito semelhante ao de Cristo, na boa vontade de partilhar as boas coisas que Deus nos deu na espontaneidade em praticar a abnegação e o sacrifício a fim de ajudar a promover a causa de Deus e da humanidade sofredora. Nunca devemos passar por alto o objeto que solicita nossa liberalidade. Nós mostramos que passamos da morte para a vida quando procedemos como fiéis mordomos da graça de Deus. Deus nos concedeu os Seus bens; deu-nos Sua palavra empenhada de que, se formos fiéis em nossa mordomia, depositaremos no Céu tesouros que são imperecíveis” (Mente, Caráter e Personalidade, volume, 242).

 

 

Assista o comentário clicando aqui.

As lições estão agora também no Facebook: Lições da Escola Sabatina, link aqui.

Lição em espanhol: www.escuela-sabatica.com/comentarios.html

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira Como é fácil enganar! As 4 primeiras pragas, enfoque econômico        

 

 

estudado e escrito entre: 22 e 28/01/2018

revisado por Jair Bezerra

 

 

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *