Lição 7 – O povo especial de DEUS (Miqueias)

Print Friendly

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Segundo Trimestre de 2013

Tema geral do trimestre: Busque ao Senhor e viva! Grandes lições dos profetas menores

Estudo nº 07 –  O povo especial de DEUS (Miqueias)

Semana de  11 a 18 de maio

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS).

Este comentário é meramente complementar ao estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com.br - marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar:Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é que o Senhor pede de ti; que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com teu DEUS” (Miqueias 6:8).

 

Introdução de sábado à tarde

Num período de auge da apostasia em Israel, DEUS não para de convidar o povo para voltar a Ele, pois quer favorecer sua condição para melhor. Está estendido o convite para todos andarem humildemente com DEUS.

A humildade é a principal condição de cidadania celestial. DEUS é humilde, JESUS também é. Mesmo sendo DEUS o rei do Universo, Ele é humilde. Para amar as criaturas, para fazer o bem, para servir aos outros há que se ser humilde. A lei de DEUS só funciona perfeitamente na humildade. JESUS conseguiu vencer porque era humilde. No Céu, ser humilde não é ser inferior, mas ser perfeito cidadão que sabe como utilizar os princípios do amor para viver em harmonia e felicidade.

Quando a humildade desaparece outras coisas ruins entram, como a desconfiança, o egoísmo, a vontade de tirar do outro, a violência, e assim por diante. Não há como ter vida eterna onde falta humildade, e sem ela, nada funciona bem.

Ainda hoje pela manhã ouvi no noticiário que na ONU tomaram uma decisão: de que a produção de armas e sua comercialização tem que ocorrer com ética. Não devem usar as armas para massacres nem para atos de opressão, etc. Ora essa, como é que o ser humano pôde ter chegado a um estado tão degenerado de entender que é possível fabricar armas, pois isso dá muito dinheiro e muito emprego, e exigir que elas sejam utilizadas com o princípio do amor pelo próximo? Esse é o ser humano sem humildade, portanto, sem amor, pensando que pode resolver as coisas do seu jeito.

Miqueias olhou para o futuro, e ele viu a vinda do Messias. Viu que esse era verdadeiramente humilde, que possuía a verdadeira nobreza. Viu que Ele seria o Salvador, e para poder perdoar, teria que ser mesmo humilde, pois teria que amar Seus inimigos. Ou não nos perdoaria. E mais, teria que ser capaz de nos restabelecer à condição original.

“Em Sua sabedoria e misericórdia, Deus prova os homens e mulheres aqui, a ver se Lhe obedecerão à voz e respeitarão Sua lei, ou se rebelarão como fez Satanás. …

“O objetivo de Deus ao dar a lei à raça caída, era que o homem, por Jesus, pudesse erguer-se acima da baixa condição em que estava, e tornar-se um com Deus, que se pudessem realizar as grandes mudanças morais em sua natureza e seu caráter. Esta transformação moral precisa acontecer, do contrário o homem não seria um seguro súdito do reino de Deus; pois se levantaria em revolta. …

“Aqui, nesta vida, é o tempo de prova. Os anjos de Deus estão observando o desenvolvimento do caráter, e pesando o valor moral. Toda a questão assenta nisto: É ele obediente ou desobediente aos mandamentos de Deus? Tem o pecador se transformado neste mundo, pelos méritos de Cristo, em um servo obediente, de maneira a estar apto a juntar-se à sociedade celestial e ser aceito como coerdeiro de Cristo? Caso essa feliz obra tenha sido efetuada em nós, então podemos cantar os louvores dAquele que nos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz” (Filhos e Filhas de DEUS, MM 1956, p. 50).

 

  1. 1.      Primeiro dia: A agonia do profeta

Os profetas são pessoas escolhidas diretamente por DEUS. São chamados por DEUS para ações por Ele indicadas, como predições, ensinamentos, alertas, censuras, condenações, orientações, escritos, mensagens a alguém, etc. Não são intermediários entre DEUS e homens, mas mensageiros de DEUS, assim como os anjos; porém, são seres humanos, com seus limites e fraquezas. Os profetas são escolhidos dentre as pessoas que tenham um nível de fidelidade a DEUS aceitável para as obrigações que virão. Grande parte da obra dos profetas tem sido de admoestação em tempos de crise espiritual, para salvar o povo que quer seguir o mundo. É de se atentar que sempre houve conflito entre os líderes políticos com os profetas e entre os líderes religiosos e os profetas. Assim foi com JESUS, que chegou a ser crucificado e quem estava fomentando sua morte foram líderes religiosos. Assim foi com a moderna profetiza Ellen G. White, que foi mandada para a Austrália, mais ou menos como José foi mandado para o Egito, pensando os líderes religiosos da época que assim se livrariam dela.

Ser profeta nunca foi fácil. Ele ou ela é um ser humano que tem sentimentos como todos os demais, porém, tem conhecimento maior que os demais. Um profeta pode saber com absoluta certeza qual será a história futura de seu povo, como foi o caso de Miqueias, que sabia sobre o futuro de Jerusalém, que seria destruída pelos babilônios, e de Samaria, que seria destruída pelos assírios. Mas felizmente DEUS também revelou a eles que no futuro mais distante Ele próprio viria como Messias, redentor e rei eterno na pessoa JESUS. No entanto, ter esse conhecimento gera grande angústia para o profeta. Ele é parte do povo, do mesmo sangue, parente, e tem sentimentos, ama o povo, e não quer um futuro trágico, como DEUS também não quer. Mas muitas vezes o povo prefere cegar os olhos, e ignorar a tendência.

“Em todos os séculos, por amor dos que permaneceram leais, bem como em virtude do Seu infinito amor pelo transviado, Deus tem manifestado tolerância para com os rebeldes, e tem-nos admoestado a que abandonem seu mau caminho, e tornem para Ele. “Mandamento sobre mandamento, regra sobre regra, um pouco aqui, um pouco ali” (Isa. 28:10), Ele tem ensinado aos transgressores o caminho da justiça por intermédio de homens por Ele indicados.

“E assim foi durante o reinado de Acaz. Convite sobre convite foi enviado ao extraviado Israel para que retornasse à submissão a Jeová. Ternas foram as súplicas dos profetas; e ao estarem diante do povo, fervorosamente exortando ao arrependimento e reforma, suas palavras produziam fruto para a glória de Deus” (Profetas e Reis, 323 a 324). Como faz bem ao profeta quando as pessoas atendem e se volta para o bom caminho! Mas em geral não é assim.

Outros profetas também sofreram a ingratidão do povo ou de seus líderes. Moisés foi um dos que mais sofreu. Também lembramos de Elias, que chegou a desistir de enfrentar Jesabel, que vendo claramente que estava no caminho errado, queria matá-lo. E o povo, que é massa de manobra, como é fácil de ser enganado! O povo segue qualquer líder que aparece, em geral não questiona, e por costume, prefere sempre seguir a quem é mal intencionado, e que leva para a perdição. Por isso é tão fácil manobrar multidões para conduzí-las a erro e morte. Não seja como um indivíduo na multidão, que vai com a tendência do presente. Seja como um indivíduo que segura na mão do Mestre Salvador.

 

  1. 2.      Segunda: Aquele que trama iniquidade

Qual era a condição a que o povo de Judá havia caído, nos tempos de Isaías? Vamos resumir, mas é chocante:

ð  Ao dormir, imaginavam o que fariam no dia seguinte para aumentar seu patrimônio;

ð  Tramavam como iriam tirar os bens dos outros, por exemplo, de quem lhes devia; como iriam tomar sua terra, ou sua casa, ou seu gado, coisas assim;

ð  Ou seja, tornaram-se amigos da maldade, e inimigos do bem.

Quem agia assim?

ð  O rei Acaz, que deveria ser exemplo de fidelidade a DEUS;

ð  Os príncipes, que eram pessoas de influência nas decisões nacionais;

ð  Os sacerdotes, que se corromperam, e que já não mais ensinavam a pura verdade;

ð  E até surgiram falsos profetas, para apoiar o rei, os príncipes e os sacerdotes.

Agora tente imaginar uma nação assim constituída: o que seu povo iria fazer? Não se corromperia também? O povo, em geral, com raras exceções, segue seus líderes. Não questiona se esses líderes estão corretos ou se estão errados. Há relatos raríssimos na Bíblia de povo que fez o contrário, que averiguou o que lhes era ensinado, para ver se conferia com os escritos. Aliás, há somente uma exceção, os bereanos. Atenção: nós, Adventistas do Sétimo Dia, devemos ser conferidores do que se tem dito nos sermões. Não quer dizer que sempre iremos procurar erros, não é isso, mas que devemos confirmar a veracidade do sermão e nos aprofundar neles, pesquisando sobre o assunto na Bíblia, no Espírito de Profecia, e outras boas fontes. E eventualmente, se for o caso, se descobrirmos algum erro ou heresia, que hoje tem bastante, abordar a pessoa que fez isso e corrigi-la. E também defender os mais fracos na fé e os que estão chegando. É tudo o que não estamos fazendo. “Se há um ponto de verdade que não compreendeis, com o qual não concordais, pesquisai, comparai um escrito com o outro. Penetrai bem fundo na mina da verdade da Palavra de Deus. Deveis colocar tanto a vós como as vossas opiniões no altar de Deus, abandonar vossas ideias preconcebidas, e deixar que o Espírito do Céu vos guie em toda a verdade” (Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, 476).

Em que situação nacional o povo de DEUS chegou naqueles tempos, com tal cultura de vida que levavam? Continuemos o esquema:

ð  Achavam que pelo fato de terem o DEUS verdadeiro, estavam vacinados contra catástrofes da natureza, de castigos divinos e das ameaças das nações estrangeiras;

ð  Se imaginavam superiores às demais nações, viviam numa situação especial que DEUS lhes dera, chamado ‘status peculiar’.

Mas, onde foi que chegaram?

ð  Faziam cultos mecânicos, rotineiros, sem sentido e sem entrega do coração;

ð  Adoravam ídolos e deuses falsos, esses mesmos das nações estrangeiras, que eles tanto criticavam;

ð  Viviam afastados de DEUS e de Seus bons princípios;

ð  Praticavam injustiça contra os pais pobres e menos favorecidos, explorando-os e tomando os seus bens.

ð  Por terem a verdade, tornaram-se mais repreensíveis que as nações pagãs.

E por agirem assim, as boas promessas de DEUS tornaram-se em dificuldades bem graves. Eles tiveram que amargar a ação da pesada mão inimiga, exatamente das nações inimigas que desprezavam e que julgavam inferiores. Tiveram que se submeter a elas, e estas passaram a dominar o povo de DEUS. De seu constante relaxamento para com as coisas de DEUS tornaram-se escravos daqueles que deveriam atrair para DEUS. Foram atraídos para os desprezíveis deuses que valiam absolutamente nada.

Nunca esquecer: hoje nosso problema não é a adoração de ídolos de ferro, de madeira, de concreto, de gesso, ou coisas assim. Disso não precisamos nos preocupar. O nosso problema é a aceitação do mundanismo que as outras igrejas toleram tanto. Vai um exemplo do que deveríamos evitar. O tal do MMA, que atrai servos de DEUS de todos os níveis entre nós. Por que tão poucos pregam contra esse tipo de luta que não passa de uma cruel baixaria?

 

  1. 3.      Terça: O novo Rei de Belém

Davi foi um grande rei em Israel. O filho mais humilde de uma família também humilde foi chamado para ser rei em Israel. Deveria substituir o rei que os israelitas pediram, que foi Saul, um redundante fracasso. O Profeta Miqueias, na trajetória da nação rumo ao fracasso total, antevê o futuro, e prediz que um Filho de Davi seria o novo Rei, um rei eterno. Ele estava profetizando a vinda do Messias, que reinaria sobre aquele povo e sobre todos os que aceitassem a Sua liderança.

Os dois reis vieram de Belém, e JESUS era descendente de Davi, por parte de José, ao mesmo tempo que JESUS era DEUS com Seu Pai celeste. Ele veio do Céu para o lar de José e Maria, para dar continuidade à linhagem de Davi. Que notícia excelente.

“Anjos assistiam José e Maria enquanto viajavam de seu lar, em Nazaré, à cidade de Davi. O decreto de Roma Imperial acerca do alistamento dos povos de seu vasto domínio, estendera-se aos habitantes das montanhas da Galileia. Como outrora Ciro fora chamado ao trono do império do mundo a fim de libertar os cativos do Senhor, assim César Augusto se tornara o instrumento para a realização do desígnio de Deus em levar a mãe de Jesus a Belém. Ela é da linhagem de Davi, e o Filho de Davi deve nascer na sua cidade. De Belém dissera o profeta: “De ti é que Me há de sair Aquele que há de reinar em Israel, e cuja geração é desde o princípio, desde os dias da eternidade.” Miq. 5:2. Mas na cidade de sua real linhagem, José e Maria não são reconhecidos nem honrados. Fatigados e sem lar, atravessam toda a extensão da estreita rua, da porta da cidade ao extremo oriental desta, buscando em vão um lugar de pousada para a noite. Não há lugar para eles na apinhada hospedaria. Num rústico rancho em que se abrigam os animais, encontram afinal refúgio, e ali nasce o Redentor do mundo” (Desejado de Todas as Nações, 44).

 

  1. 4.      Quarta: O que é bom

Afinal, agora perguntamos: qual é a adoração que DEUS deseja e aprova? Que culto é agradável a DEUS? Conforme o povo de DEUS antigo, seriam ofertas de animais perfeitos? Quem sabe o bom culto seria o aperfeiçoamento das linhagens e as raças para se ter animais superiores somente dedicados a DEUS, para as ofertas a Ele? Seria uma quantidade maior de ofertas? Seria um culto mais longo com orações profundas e que inserissem tudo o que pudesse ser lembrado, algo bem preparado há dias? Hoje, quem sabe, seria a devolução de dízimo de mais de dez por cento? Seria a entrega à igreja de bens para fins missionários? Seria nunca perder culto algum, sempre estar lá e participar ativamente? Seria estudar todos os dias a lição da Escola Sabatina, ensinar a outros e dar um bom testemunho? Seria, após se aposentar, e não mais ter o trabalho profissional diário, dedicar todo o tempo a ações pela salvação de pessoas para o reino de DEUS?

Que mais se poderia dizer sobre, afinal, qual é o culto ou a adoração que DEUS mais deseja? Muitas coisas certamente, porém, o que DEUS deseja é nada disso. O que Ele deseja como um culto racional, que produz efeito salvador, é bem pouca coisa.

Tudo isso, acima, pode fazer parte, mas não é a essência. Pode ser a periferia de um culto a DEUS; pode ser até importante, mas não é o núcleo, sem o qual, mesmo fazendo tudo isso, a pessoa certamente se perderá. Por essa via pode acontecer que salvemos a muitos, e nós mesmos poderemos nos perder, amargando apenas a morte eterna. Que coisa, não? São apenas formalidades exteriores.

O que então DEUS deseja, que é a essência da adoração, e que deve fazer parte de nosso culto? Ele deseja uma religião prática do bem e da justiça, do amor e da obediência. Ele deseja que andemos humildemente diante dEle, que sejamos como CRISTO, o nosso exemplo, que entreguemos a Ele, ao nosso Salvador, tudo o que somos. Ele não deseja tanto o que temos, mas o que somos. Ele não quer tanto as coisas, mas o ser do que somos formados. Como diz a lição, “o supremo desejo do Senhor era ter um povo que fosse justo para com seus semelhantes, com devoção constante e amor para com o Senhor.” A verdadeira religião é a da intimidade com DEUS, amando-O e sendo amados por Ele. Assim é que ocorre a transformação, por vivermos como CRISTO viveu, nos tornando à imagem e semelhança com o nosso Criador, como quando em Adão e Eva fomos criados. É a religião do restabelecimento às origens. Aí então, faremos tudo o mais, de menor importância, porque amamos a DEUS, e não para por meio delas agradar a DEUS e quem sabe ser salvos dessa maneira.

Ilustremos essa questão. Imagine uma família que tenha dois filhos. Eles são obedientes aos pais, fazem tudo o que os pais pedem, e até fazem mais que isso. São bons estudantes, tiram boas notas e são comportados, como pede a etiqueta. Mas, não amam seus pais, são frios, formais, sem intimidade. É bom isso? O que esses pais iriam desejar. Quem sabe filhos um pouco menos formais, talvez um tanto travessos, mas que se sentassem no colo, que os abraçassem, que demonstrassem amor real. As máquinas são absolutamente fiéis. O celular desperta exatamente na hora marcada, e quase nunca falha. Não queremos que nossos filhos sejam como essas máquinas, fazendo tudo certo mas sem sentimento. Queremos que eles sejam como gente, que interajam espontaneamente e com amor, alegria, juntos e felizes. É assim que DEUS imagina que seja o nosso culto a Ele.

Existem filhos formais como os acima? Talvez, alguns poucos. Mas que existem muitos adoradores com esse perfil, isso é fato. Temos que sair do formalismo e entrar na adoração por meio da humilde intimidade com DEUS.

 

  1. 5.      Quinta: Nas profundezas do mar

O costume de o ser humano pensar é assim: “comigo isso não acontece”. É muito comum em caso de abusos de velocidade nas estradas. São somente os outros que se acidentam. Até o dia em que experimentamos, também, como os outros, a dura realidade de um acidente. Muitas vezes com feridos graves ou com morte.

Os israelitas caíram nessa armadilha. Pensavam, temos o DEUS verdadeiro e temos a verdade, conosco nada pode acontecer. Os outros deuses não são nada, o nosso é infinitamente poderoso, e isso era verdade, mas pensar que pode desobedecer e ainda assim ser imune às ocorrências negativas, daí surge um grande e terrível engano. Há uma sucessão de fatos até o desastre, é verdade, mas ele vem, se não houver arrependimento. Primeiro DEUS envia mensageiros, depois já aparecem algumas dificuldades, e os mensageiros continuam vindo. As dificuldades aumentam, e os mensageiros trazem mensagens duras. E, não havendo mudança, vem o desastre, como foi para Israel e uns cem anos mais tarde, para Judá. Ou DEUS faz alguma coisa, ou o povo deixa de ser dEle.

Desses estudos dos profetas menores podemos aprender algo maravilhoso. Aliás, podemos constatar duas coisas impressionantes. A primeira é que DEUS não quer nos perder, e faz tudo para que a nossa morte eterna seja evitada. Em segundo lugar, se teimosamente entrarmos pelo caminho da morte eterna, Ele faz tudo para que retrocedamos. E nesse caso, o que Ele deve fazer muitas vezes é algo bem amargo para nós, o que chamamos de provações.

É bem verdade que muitas vezes vêm provações para pessoas que não estão se afastando de DEUS. Mas nesses casos é bem diferente, é para que tais pessoas se fortaleçam na fé, e nos outros casos é para que deem meia-volta em sua direção espiritual. E quando nos arrependemos, ocorre algo maravilhoso: DEUS perdoa e esquece aqueles pecados. Por aqueles jamais nos perderemos, e se nos perdermos, será por pecados novos dos quais não nos arrependemos.

O perdão de DEUS é maravilhoso, é diferente do perdão do ser humano. “O perdão de Deus não é meramente um ato judicial pelo qual Ele nos livra da condenação. É não somente perdão pelo pecado, mas livramento do pecado. É o transbordamento de amor redentor que transforma o coração. Davi tinha a verdadeira concepção do perdão ao orar: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto.” Sal. 51:10” (O Maior Discurso de Cristo, 114).

“Se aproximar-se um passo que seja, em arrependimento, Ele se apressará para cingi-lo com os braços de infinito amor. Seu ouvido está aberto ao clamor da alma contrita. O primeiro anseio do coração por Deus Lhe é conhecido. Jamais é proferida uma oração, por vacilante que seja, jamais uma lágrima vertida, por mais secreta, e jamais alimentado um sincero anelo de Deus, embora débil, que o Espírito de Deus não saia a satisfazê-lo. Antes mesmo de ser pronunciada a oração, ou expresso o desejo do coração, sai graça de Cristo para juntar-se à graça que opera na pessoa” (A Fé Pela Qual Vivo, MM 1959, p. 129).

 

  1. 6.      Resumo e aplicação do estudo Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:

a)      Síntese dos principais pontos da lição

  • Qual o foco principal?

A história dos filhos de Israel poderia ter sido bem diferente ao longo dos anos. Eles poderiam ser ainda o povo de DEUS. Jerusalém poderia ser o centro econômico, intelectual e religioso do planeta. O país poderia irradiar inteligência e sabedoria para o mundo. A sede da Igreja Adventista do Sétimo Dia poderia ser ali. Seria uma nação muito rica, baseada em alta tecnologia e fundamentada no petróleo que atualmente está nas mãos de outros povos. A pequena nação que hoje existe na Palestina não é mais o povo de DEUS. Felizmente, como indivíduos podem pertencer a esse povo, que é a última igreja aqui na Terra. Mas a nação vive em tensão política com os árabes e palestinos. Esse nunca foi o plano de DEUS; eles deveriam ter sido luz para esses povos, e hoje deveriam viver em paz uns com os outros. No Brasil, país em grande parte exemplo para outras nações, os árabes e os judeus, muçulmanos e judeus vivem misturados e se dão muito bem. Assim era para ser por lá. Mas a história foi bem diferente, e ao longo dos séculos podemos ver os efeitos da astuta ação de satanás.

Mas há um povo de DEUS aqui na Terra. É a Igreja Adventista do Sétimo Dia. É a igreja profética prevista por Daniel e por João no Apocalipse. Enfrenta lutas como os israelitas, sempre enfrentando os atrativos do mundo em todos os lugares onde se encontra. Mas tem permanecido vitoriosa, embora os fracassos particulares de parte de muitas pessoas. Esta é a igreja única de DEUS aqui na Terra, aquela por meio da qual o Senhor JESUS concluirá a Sua obra para então voltar e resgatar a muitos, sejam judeus, sejam de outras nações, aliás, de todas elas. E nós, que já pertencemos a esse lindo povo, que não aconteça de nos perdermos dentro da igreja.

  • Quais os tópicos relevantes?

DEUS quis ter um povo especial, separado dos demais povos quanto à adoração, mas exemplo de fidelidade às nações para conquistá-las, todas, para junto de DEUS.

O povo de DEUS era rebelde, sentia-se atraído pelos fascínios e mistérios da idolatria dos povos pagãos.

Profetas eram enviados ao povo, mas poucos atendiam, e a situação piorava a cada ano.

Quando o pobre profeta Miqueias andava desesperado por não conseguir nada junto ao povo e à liderança nacional, que preferiam fazer sua própria vontade, DEUS lhe revelou que no futuro viria o Messias, o Filho de DEUS, como descendente de Davi, para ser o rei eterno e para salvar a nação.

DEUS revelou ao profeta que não queria adoração por meio de cultos formais, burocráticos e rotineiros, mas queria a entrega de cada um para ser transformado e se tornar justo, um ser capaz de amar e de obedecer.

  • Você descobriu outros pontos a acrescentar?

_________________________________________________________________________

 

b)      Que coisas importantes podemos aprender desse estudo?

Podemos aprender que devemos confiar em DEUS e em Seus profetas, pois por nós mesmos, assim como o antigo Israel e Judá, sempre erraremos, mesmo pertencendo à igreja verdadeira. Pertencer ao verdadeiro povo de DEUS não é igual uma vacina contra a perdição.

  • Que aspectos posso acrescentar a partir do meu estudo?

_________________________________________________________________________

c)      Que providências devemos tomar a partir desse estudo?

Buscar a humildade, na vida prática, para que o ESPÍRITO SANTO nos transforme em verdadeiros cidadãos celestes, para que quando JESUS voltar, sejamos salvos para a vida eterna.

  • O que me proponho a reforçar, se for bom, ou mudar se for mau, em minha vida?

_________________________________________________________________________

d)     Comentário de Ellen G. White

A força de Moisés era sua ligação com a Fonte do poder, o Senhor Deus dos exércitos. Ergueu-se ele acima de todo atrativo terrestre e se entregou inteiramente a Deus. Considerou que pertencia ao Senhor. Embora estivesse ligado aos interesses oficiais do rei do Egito, estudava constantemente as leis do governo de Deus, e assim crescia a sua fé (CRISTO Triunfante, MM, 2002, 97, grifos acrescentados).

 

e)      Conclusão geral

Assim como Moisés, podemos ser vitoriosos se nos desligarmos dos atrativos terrestres e termos em mente que pertencemos a DEUS, o nosso Criador.

  • Qual é o ponto mais relevante a que cheguei com este estudo?

_________________________________________________________________________

 

Assista o comentário clicando aqui.

O comentário em vídeo tem ênfase evangelística.

Talvez necessite segurar control mais um clike sobre o link.

 

escrito entre  03 e 09/04/2013

revisado em  16/04/2013

corrigido por Jair Bezerra

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

Outros artigos de interesse;

2 comments for “Lição 7 – O povo especial de DEUS (Miqueias)

  1. farofino78
    maio 12, 2013 at 7:41 pm

    Boa Noite Prof. Sikberto. Aprecio muito os videos e os comentários das lições que o senhor postas aqui e no Youtube, e procuro acompanhar todas as semanas.Eles são de grande valia na melhor compreensão da lição. Gostaria de fazer um pedido, se fosse possivel, que os videos fossem postados juntamente, no Youtube e no Vimeo. Sou militar, e no quartel o site Youtube é bloqueado, o Vimeo liberado. Sendo possivel sou muito agradecido, se não der sem problemas. Deus continue abençoando seu ministério até a volta de Jesus. Maranatha!

  2. DIEGO LOPEZ
    maio 13, 2013 at 11:25 am

    Me gustó el cambio en el formato del día viernes, con un bosquejo que nos sirve para los que somos maestros de clase. Bendiciones para usted y su familia Profesor Sikberto.

    Saludos desde México, DF

Add Comment Register



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *