Lição 09 – Nenhuma condenação

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Quarto Trimestre de 2017

Tema geral do trimestre: Salvação somente pela fé: o livro de Romanos

Lição 09 – Nenhuma condenação

Semana de 25 de novembro a 2 de dezembro

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar:Agora, nenhuma condenação há para os que estão em CRISTO JESUS, que não andam segundo a carne, mas segundo o ESPÍRITO” (Rom. 8:1).

 

Introdução de sábado à tarde

O capítulo 7 de Romanos foi difícil porque descrevia a condenação do ser humano como um miserável pecador contumaz. Quando tem o desejo de fazer o bem, quando percebe, já fez o mal. Descreve como o ser humano é apegado ao pecado que o domina como um ditador cruel. É o campo de batalha interno, na mente, onde o senhor do mal semeia dependência de tudo o que é mau e que vai contra a lei de DEUS.

Mas no capítulo 8 de Romanos Paulo inicia com uma declaração que resolve o problema descrito no capítulo anterior. É uma continuação. Antes, apresenta o problema; agora, a solução.

Nesse verso Paulo está dizendo, e na verdade já estudamos esse assunto, que aqueles entregues a JESUS CRISTO estão livres de condenação. Eles estão sendo transformados; não andam mais segundo a sua vontade incontrolável descrita antes. Eles foram perdoados pela graça fundamentada na morte de JESUS. O perdão DEUS o concede porque JESUS CRISTO pagou todos os nossos pecados. Por isso, de antemão, DEUS Pai perdoa independente se queremos ou não o perdão. Para recebermos esse perdão, precisamos aceitá-lo, arrepender-nos do que éramos e desejar viver não mais segundo as inclinações da carne, como diz o verso, mas segundo o ESPÍRITO. Leia o que diz em Romanos 8:1: “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito”.

Aqueles que não andam segundo a carne, mas segundo o ESPÍRITO, são as pessoas que aceitaram o perdão de DEUS, seguem a JESUS (seguem Sua vontade, ou, Sua lei, os Dez Mandamentos) e vivem nova vida, a vida em transformação após o batismo.

“Não espereis até que sintais que estais curado, mas dizei: “Creio-o; assim é, não porque eu o sinta, mas porque Deus o prometeu.”

“Diz Jesus: “Tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis e tê-lo-eis.” Mar. 11:24. Esta promessa tem uma condição: que oremos segundo a vontade de Deus. Mas é vontade de Deus purificar-nos do pecado, tornar-nos Seus filhos e habilitar-nos a viver uma vida santa. Podemos, pois, pedir essas bênçãos, crer que as havemos de receber e agradecer a Deus havê-las já recebido. É nosso privilégio ir a Jesus e sermos purificados, e apresentar-nos perante a lei sem pejo nem remorso. “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Rom. 8:1.

“Doravante não sois mais de vós mesmos; fostes comprados por preço. “Não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados… mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado.” I Ped. 1:18 e 19. Por este simples ato de crer em Deus, o Espírito Santo gerou em vosso coração uma nova vida. Sois agora uma criança nascida na família de Deus, e Ele vos ama como ama a Seu próprio Filho” (Caminho a CRISTO, 51 e 52).

 

  1. Primeiro dia: Em JESUS CRISTO

“Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte” (Romanos 8:1,2).

Essa é mais uma afirmação conclusiva de Paulo. Ele disse que não existe mais nenhuma condenação contra os que andam segundo o ESPÍRITO SANTO. São pessoas que obedecem a JESUS, portanto, são dirigidas pelo Ser divino deixado para esse fim. É a lei do ESPÍRITO de vida. Mas que lei, afinal, é essa? É a lei moral dos Dez Mandamentos, a lei do amor (DEUS é amor), pela qual, seguindo-a, DEUS elaborou o plano de salvação da humanidade. Por essa lei DEUS criou todas as coisas, inclusive a vida, e é por essa lei que Ele dirige o Universo. Também é por essa lei que Ele perdoou os nossos pecados, assim como foi por ela que JESUS desceu até nós em forma de ser humano. Por essa lei DEUS já havia elaborado o plano de salvação da humanidade bem antes da queda de Adão e Eva.

Foi essa lei que livrou Paulo, e todos nós, do pecado, ou, de seu poder dominador (como já estudamos, o senhor cruel que quer exercer controle sobre nós), para nos levar à condição de seres livres no amor. O amor é vida, cria vida e devolve vida a quem quer, pois o amor é DEUS.

“Os Dez Mandamentos procedem do Deus do Céu, cujo coração é cheio de amor, que é infinito em sabedoria, que jamais erra. … A bênção seguirá os que obedecem à lei do Senhor, e a ministram. … A felicidade e a tranquilidade dos pais e dos filhos nesta vida, e seu máximo bem, serão produzidos por andar nos caminhos de Seus preceitos; pois assim fazendo estão em harmonia com o Deus do Céu” (Nossa Alta Vocação, MM, 1962, 260).

“Aquele que espera em Cristo é aperfeiçoado no amor de Deus, e seus propósitos, pensamentos, palavras e ações estão em harmonia com a vontade de Deus expressa nos mandamentos da Sua lei. No coração do homem que espera em Cristo não há nada que guerreie contra algum preceito da lei de Deus. Se o Espírito de Cristo está no coração, o caráter de Cristo será revelado, e haverá mansidão sob provocação, e paciência sob provação. “Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém; aquele que pratica a justiça é justo, assim como Ele é justo.” I João 3:7. A justiça pode ser definida unicamente pela grande norma moral de Deus, os Dez Mandamentos. Não há outra regra pela qual medir o caráter” (Refletindo a CRISTO, MM 1986, 51).

 

  1. Segunda: O que a lei não pode fazer

Vamos estudar o texto de Romanos 8:3 e 4, texto transcrito para preencher, na lição. Analisemos por partes.

  • “O que fora impossível à lei, …” O que era impossível à lei? Perdoar o pecador. Já estudamos diversas vezes que não é objetivo da lei, qualquer lei, perdoar transgressões. A lei é um princípio estabelecido pelo Legislador, DEUS. Não pode ser ela a decidir se perdoa ou não; ela nem mesmo tem capacidade de raciocínio, é apenas lei para orientar pessoas, e no caso, se as pessoas a desrespeitam, informar que necessitam de um Salvador, ou condenar. Lei é apenas um texto; o Legislador é quem estabeleceu esse texto (DEUS escreveu com Seu dedo), portanto, só o Legislador pode perdoar.
  • “estava enferma pela carne…” ou, em outras palavras, houve pecado, e a lei precisava condenar os pecadores. Isso é algo estranho para a lei de DEUS que está baseada no princípio do amor. Como o amor vai condenar alguém? Pecado é uma situação estranha no reino de DEUS, e coloca a Sua lei num dilema também estranho: ou conduzir a JESUS para a salvação eterna, ou condenar para a morte eterna.
  • “DEUS enviou Seu próprio Filho, em semelhança de carne pecaminosa no tocante ao pecado…” Aqui se começa a criar o fundamento do perdão de DEUS. O próprio Legislador veio para demonstrar perante o Universo o cumprimento da lei, em lugar de Adão e nosso, assim possibilitando a concessão gratuita do perdão. É bem simples isso: O Legislador (e Criador) foi obediente à lei em tudo. E essa obediência é creditada a nós por amor de nós, assim, estamos perdoados. Daí que se diz, perdoados não por nossos méritos ou merecimentos, mas pela obediência de JESUS, que Se fez carne sujeita ao pecado como nós.
  • “com efeito condenou DEUS na carne o pecado, a fim de que o preceito se cumprisse em nós, que não seguimos segundo a carne, mas segundo o ESPÍRITO.” DEUS condenou JESUS CRISTO em nosso lugar, Ele foi morto por nós, em nosso lugar. Assim se cumpriu o preceito da lei, ou seja, como já andamos segundo o ESPÍRITO, obedecendo a lei, sendo transformados, podemos ser perdoados e purificados dos pecados. O perdão já existe de antemão para todos, mas apropriam-se dele aqueles que vivem não mais segundo a carne (apreciando pecados) mas segundo o ESPÍRITO (detestando pecados).

Esse assunto continua amanhã. Aprofundaremos a questão da vida segundo a carne ou segundo o ESPÍRITO.

 

  1. Terça: A carne ou o Espírito

O texto para hoje não é difícil. Já estudamos bastante a esse respeito. Logo, fica fácil destrinchar o texto de hoje. Foi marcado em itens para facilitar a análise.

“(1) Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. (2) Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. (3) Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. (4) Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus” (Romanos 8:5-8).

Na realidade, aqui, Paulo repete sempre as mesmas coisas, em síntese: a carne não segue a DEUS, só o ESPÍRITO.

  • Quem anda segundo a carne, isto é, na velha natureza, do pecado, aprecia e pratica o pecado e, ao mesmo tempo, detesta o bem, que é de cima. Não há como agradar os dois senhores ao mesmo tempo, ou segue a DEUS ou a satanás.
  • O resultado de ambos é oposto: a inclinação (ou a tendência) da carne é a morte (o salário do pecado) porém, a inclinação do ESPÍRITO é vida e paz, isto quer dizer, ambos seguem em direções contrárias.
  • Continuando o raciocínio, a inclinação da carne, obviamente, é inimizade contra DEUS, porque se mantém rebelde. Essa inclinação não é sujeita à lei de DEUS, nem pode estar. Isto quer dizer: esses não obedecem aos mandamentos, porque estão em oposição a DEUS, querem ser libertinos, insubmissos a DEUS.
  • Logo, esses que seguem as inclinações ou desejos da carne, assim não agradam a DEUS. O Legislador Se agrada com o bem, com o amor, com a bondade, e coisas assim. Para chegar a essas situações, temos que obedecer a lei de DEUS. DEUS ama a todos, porém, Se desagrada com aqueles que praticam o mal. Nem poderia ser diferente.

O que significa inclinação para a carne? É a tendência natural herdada de Adão e Eva, e que foi piorando ao longo dos séculos. Nascemos de nossos pais pecadores, e essa é a condição da carne. Ser espiritual significa o efeito do novo nascimento, espiritual, que passa a detestar o mal, e se liga cada vez mais ao bem de DEUS.

“O Espírito de Deus conserva o mal sob o controle da consciência. Quando as pessoas se exaltam acima da influência do Espírito, colhem uma messe de iniquidade. … As advertências têm sobre elas cada vez menos poder. Perdem gradualmente seu temor a Deus. Semeiam para a carne; colherão corrupção. A messe da semente que semearam está amadurecendo. Seu coração de carne torna-se um coração de pedra. A resistência à verdade confirma-os na iniquidade. … Todos deveriam ser inteligentes acerca da força pela qual a alma é destruída. Não é por causa de algum decreto que Deus tenha emitido contra homens ou mulheres. Ele não os torna espiritualmente cegos. Deus dá luz e evidências suficientes para capacitá-los a distinguir a verdade do erro. Mas não os força a receber a verdade. Deixa-os livres para escolher o bem ou escolher o mal. Se as pessoas rejeitam evidências suficientes para guiá-las em seu juízo na direção correta e escolhem o mal uma vez, fá-lo-ão mais prontamente na segunda vez. Na terceira, afastar-se-ão de Deus ainda mais ansiosamente e escolherão permanecer ao lado de Satanás. E nesse curso continuarão até serem confirmadas no mal e crerem na mentira que acalentaram como verdade” (CRISTO Triunfante, MM 2002, 102).

 

  1. Quarta: CRISTO em você

O centro do texto bíblico abaixo é JESUS CRISTO vivendo em nós. Temos que entender o que isso significa. Por certo não é o caso, como as mamães canguru, que têm um  espaço para carregar fisicamente seus filhos pequenos. É outra coisa. Vejamos por partes, conforme marcado:

“(1) Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. (2) Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dEle. (3) E, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça. (4) E, se o Espírito dAquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, Aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo Seu Espírito que em vós habita. (5) De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. (6) Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus” (Romanos 8:9-14).

  • Nós, os que se entregaram a JESUS, não vivem mais ao sabor dos desejos da carne, ou, do velho homem, mas vivem segundo as orientações de DEUS, que habita em nós.
  • Por exclusão, quem não tem o ESPÍRITO, esse não pertence a DEUS.
  • Logo, aqueles que não pertencem a DEUS, seu corpo, ou, sua carne, ou ainda, seus velhos hábitos de fazer o mal e de transgredir a lei, ainda dominam e comanda, e esses tais levam uma vida miserável, em degeneração e indo de mal a pior. Mas muitas vezes eles nem percebem essa situação, até a apreciam.
  • Porém, se o ESPÍRITO habita em nós, então nós que estávamos mortos (por causa da transgressão) somos vivificados, e temos a promessa certa da vida eterna; é só uma questão de tempo.
  • Por isso somos devedores a DEUS da vida renovada que temos, que não é mais segundo a carne, ou, segundo nossas velhas tendências carnais. Pelo contrário, tendo em nossa vida o ESPÍRITO, se mesmo assim morrermos, será por algum tempo, pois certamente reviveremos para nunca mais ser mortais.
  • Enfim, todos aqueles que são guiados, ou orientados pelo ESPÍRITO, estes pertencem a DEUS, são Seus filhos, ou então, irmãos de JESUS.

“Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”. I Cor. 3:16 e 17. Homem algum pode de si mesmo expulsar a turba má que tomou posse do coração. Unicamente Cristo pode purificar o templo da alma. Não forçará, porém, a entrada. Não vem ao templo do coração como ao de outrora; mas diz: “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa”. Apoc. 3:20. Ele virá, não somente por um dia; pois diz: “Neles habitarei, e entre eles andarei: … e eles serão o Meu povo”. II Cor. 6:16” (O Desejado de Todas as Nações, 161).

 

  1. Quinta: Espírito de adoção

Pois bem, qual é a nossa condição como seres humanos, criados por DEUS, depois da conversão? Paulo explica isso nos versos abaixo. É ler com atenção, quase nem precisa explicar.

“Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo ESPÍRITO testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de CRISTO: se é certo que com Ele padecemos, para que também com Ele sejamos glorificados” (Romanos 8:15 – 17).

Em primeiro lugar, voltando a pertencer a DEUS, isto é, perdoados, não recebemos de DEUS o que satanás nos havia dado, a condição de escravos. De DEUS recebemos a condição de seres livres, com o famoso e valorizado direito ao livre-arbítrio, que em sua plenitude, na realidade só DEUS concede. Então, Paulo aqui explica bem que com DEUS não somos outra vez escravos, mas adotados como filhos de DEUS.

Essa condição de filhos adotivos é particular aos habitantes aqui da Terra. Os seres inteligentes de outros lugares do Universo não foram adotados. Eles são filhos naturais. No nosso caso, temos, assim, até uma vantagem, pois nunca deixamos de ser filhos naturais de DEUS, do Criador, nem poderia ser assim. Mas, tendo-nos extraviados por causa do pecado, no retorno, fomos adotados por DEUS como irmãos de JESUS CRISTO, nosso irmão Salvador. Em nenhum outro lugar no Universo eles são filhos naturais e também irmãos do Criador e Salvador. Deles, Ele é Criador; de nós, é também Salvador, além de Criador. Só pelo amor tal deferência poderia ser dada a uma raça rebelde.

Por esse motivo que clamamos a carinhosa declaração “Aba Pai” que quer dizer “meu Pai”, referindo-se ao DEUS do Universo, ou a JESUS CRISTO. A expressão “Aba, Pai” foi utilizada por JESUS CRISTO no momento de Sua morte quando suplicava a DEUS, chamando-O de Pai, conforme descreve o Evangelho de Marcos, 14:36: “E disse: Aba, Pai, todas as coisas Te são possíveis, afasta de Mim este cálice, não seja, porém, o que Eu quero, mas o que Tu queres”. Essa é uma expressão bíblica derivada do termo com origem no aramaico “ábba” que significa “o pai” ou “meu pai”. Nas línguas semíticas essa expressão é frequente para se referir ao pai ou seu genitor, aqui da Terra. Para algumas religiões (entre elas o cristianismo), a palavra aba é utilizada para se referir à figura paterna sagrada: DEUS ou JESUS CRISTO.

Paulo segue dizendo que o ESPÍRITO SANTO testifica que somos filhos de DEUS, ou seja, Ele concorda e declara essa condição a nosso respeito. E, portanto, se somos filhos de DEUS, por sermos irmãos de JESUS (pois Ele nasceu em carne como um de nós) somos por meio dEle co-herdeiros (herdeiros com JESUS) das mansões celestiais e da vida eterna. Ou seja, herdamos com JESUS o que havíamos perdido por meio de Adão e Eva.

Paulo arremata, no estudo de hoje, que se é certo que padecemos com JESUS (mortos para os pecados), também seremos glorificados como Ele já foi, ou seja, seremos outra vez perfeitos, à imagem e semelhança de nosso Criador.

“Ninguém pense… que é uma condescendência da parte de qualquer homem, por mais talentoso ou erudito ou honrado que seja, aceitar a Cristo. Todo ser humano deve olhar ao Céu reverente e agradecido, e exclamar com assombro. “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai …” I João 3:1” (Para Conhecê-Lo, MM 1965, 60).

 

  1. Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Tema transversal

JESUS CRISTO habitando em nós, o que significa isto? A Trindade é composta por três pessoas, mas são um só DEUS. No casamento, são três, marido, mulher e DEUS, mas são os dois uma só carne. Porque é assim? Porque entre a Trindade há união pelo amor; entre o casal, habita o amor. A isto chamamos intimidade. Logo, entre o ser humano e JESUS, ou entre o ser humano e o ESPÍRITO SANTO, o significado de um ou outro habitar em nós é a intimidade do amor. Disto resulta uma vida coerente com a vontade de DEUS, que é sempre fazer o bem, segundo a lei do amor. Por vontade de DEUS também devemos entender diferente de vontade do homem. Esta está geralmente motivada por interesses pessoais, mas a vontade de DEUS, que inclui o livre-arbítrio, está sempre motivada pelo bem e pela felicidade das criaturas. Que maravilha!

 

  1. Aplicação contextual e problematização

Somos filhos de DEUS pela criação e pela redenção. Só o amor de DEUS é capaz de criar e de recriar. É tanto amor demonstrado nesse desastre da rebelião iniciada por Lúcifer que esse tipo de desvio de conduta jamais se repetirá.

 

  1. Informe profético vinculado com a lição

O crime está tomando conta do controle, em vários lugares, no Brasil. É necessária uma forte ação nacional, para conter a tendência. Algo bastante frisado na análise de Langeani [do Instituto Souza Cruz]: é a organização e uso de mais Inteligência para qualquer ação que seja realizada na área de segurança. “É preciso fazer um combate ao crime de forma qualificada e precisa, com isso acessar e tirar de circulação líderes das estruturas de crime organizado”, afirma. Veja a notícia completa aqui.

Por outro lado, o Ministro da Justiça, Torquato Jardim, está criticando (dia 31/10/2017) a Polícia Militar do Rio de Janeiro por ser conivente com a criminalidade. Os comandantes fazem parte do crime. Pois bem, ele não é Ministro? Não vai fazer nada? Isto demonstra que o crime está chegando aos níveis de antes do Dilúvio, ou como em Sodoma e Gomorra

O Papa Francisco recebeu em audiência na segunda-feira (23/10/2017), no Vaticano, o Patriarca greco-ortodoxo de Jerusalém, Teófilo III. O patriarca chegou a Roma no último domingo (22/10) e permaneceu até a quarta-feira-feira, 25. O papa disse que agora os ortodoxos e os católicos trabalharão, em conjunto, pela unidade religiosa. Veja a matéria nesse link.

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o Seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue tem a vida eterna, e Eu o ressuscitarei no último dia. Porque a Minha carne verdadeiramente é comida, e o Meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue permanece em Mim, e Eu, nele. João 6:53-56.

“Comer a carne e beber o sangue de Cristo é recebê-Lo como Salvador pessoal, crendo que Ele perdoa nossos pecados, e nEle estamos completos. É contemplando o Seu amor, detendo-nos sobre ele, sorvendo-o, que nos havemos de tornar participantes de Sua natureza. O que a comida é para o corpo, deve ser Cristo para a alma. O alimento não nos aproveita se o não ingerimos; a menos que se torne parte de nosso corpo. Da mesma maneira Cristo fica sem valor para nós, se O não conhecemos como Salvador pessoal. Um conhecimento teórico não nos fará bem nenhum. Precisamos alimentar-nos dEle, recebê-Lo no coração, de modo que Sua vida se torne nossa vida. Seu amor, Sua graça, devem ser assimilados” (O Desejado de Todas as Nações, 389).

 

  1. Conclusão

“Não espereis até que sintais que estais curado, mas dizei: “Creio-o; assim é, não porque eu o sinta, mas porque Deus o prometeu.”

“Diz Jesus: “Tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis e tê-lo-eis.” Mar. 11:24. Esta promessa tem uma condição: que oremos segundo a vontade de Deus. Mas é vontade de Deus purificar-nos do pecado, tornar-nos Seus filhos e habilitar-nos a viver uma vida santa. Podemos, pois, pedir essas bênçãos, crer que as havemos de receber e agradecer a Deus havê-las já recebido. É nosso privilégio ir a Jesus e sermos purificados, e apresentar-nos perante a lei sem pejo nem remorso. “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Rom. 8:1” (Caminho a CRISTO, 51).

 

 

Assista o comentário clicando aqui.

As lições estão agora também no Facebook: Lições da Escola Sabatina, link aqui.

Lição em espanhol: www.escuela-sabatica.com/comentarios.html

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira Como é fácil enganar! As 4 primeiras pragas, enfoque econômico

 

 

estudado e escrito entre   20 e 31/10/2017

revisado por Jair Bezerra

 

 

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *