Lição 1 – A primeira vinda de JESUS

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Segundo Trimestre de 2015

Tema geral do trimestre: O evangelho de Lucas

Lição 1 –  A primeira vinda de JESUS

Semana de  28 de março a 4 de abril

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário é meramente complementar ao estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar: “Para DEUS não haverá impossíveis” (Lucas 1:37).

 

Introdução de sábado à tarde

O evangelho segundo Lucas foi escrito, conforme muitos eruditos, pela pessoa do mesmo nome, Lucas o evangelista, médico e historiador. Há outros eruditos que duvidam que fosse Lucas o autor, mas sim, Paulo, mas são minoria. O evangelho relata a vida e o ministério de JESUS de Nazaré, desde o Seu nascimento até a Sua ascensão. É o único que relata fatos como o do bom samaritano e do filho pródigo. A ênfase é na oração, a atividade do ESPÍRITO SANTO e o cuidado de DEUS com Seus filhos, especialmente os pobres, crianças e mulheres. Por exemplo, Lucas enfatiza a preocupação de JESUS com os desprezados samaritanos e os reprováveis gentios; a eles é prometido o reino dos céus. Lucas volta a sua atenção na humanidade de JESUS, como Filho de DEUS. Ele relata o início do cristianismo na história da humanidade, como cumpridor da lei de DEUS, e salvação estendida a todos os povos.

Lucas retrata JESUS CRISTO como um personagem real, humano, mas ao mesmo tempo DEUS, vindo para salvar a humanidade. Ele Se inseriu na história da humanidade, como o Criador e o Redentor. Foi humilde e manso, submisso a Seu Pai, perseguido pelos homens, mas ao mesmo tempo, um gigante diante de DEUS em obediência, mesmo que parecendo ser um fraco diante dos homens. Sabia qual era a Sua missão e que estratégia seguir, e a isso foi fiel. Nisso Lucas nos apresenta um exemplo de vida a ser seguido.

 

  1. Primeiro dia: “Uma exposição em ordem” (Luc 1:1-3; Atos 1:1-3)

Lucas, por certo não conheceu JESUS, porém, encantou-se com esse Mestre e se tornou um seguidor fiel. A tal ponto foi influenciado por JESUS que decidiu escrever sobre Ele. Como era uma pessoa culta, estudada, pois era médico, soube como elaborar um relato com o rigor científico da época. O evangelho de Lucas provavelmente, conforme a crítica bíblica, deve ter-se baseado em três fontes principais: as narrações escritas no evangelho de Marcos, informações obtidas de testemunhas oculares e a tradição oral da pregação apostólica que Lucas ouviu com atenção. Tudo indica que o médico tenha pesquisado cuidadosamente e tenha organizado o seu relato com fidelidade para que, quem lesse, tivesse uma noção cronológica confiável. Por isso que Lucas possui 35% de informações exclusivas suas, enquanto que Marcos possui 3% e Mateus 20%, e esses são os evangelhos sinóticos (evangelhos que contém grande parte de histórias em comum, na mesma sequência, e por vezes, utilizando as mesmas palavras). Por sua vez, o evangelho de João relata a história de JESUS de modo significativamente diferente, também escrito para os gentios.

Esse livro foi escrito por volta do ano 60 depois de CRISTO. Ele apresenta JESUS como um ser humano Filho de DEUS, desde o nascimento até Sua ascensão. Enfatiza na oração, no ESPÍRITO SANTO e no cuidado de DEUS com os pobres e marginalizados da sociedade (como os samaritanos e os gentios). Os estudiosos, se bem que não todos, mas a maioria, afirmam que também foi Lucas quem escreveu o livro de Atos dos Apóstolos.

 

  1. Segunda: “A quem darás o nome de João”

Há pelo menos três nascimentos milagrosos, isto é, que aos olhos humanos seriam impossíveis. Foram os nascimentos de Isaque, de João Batista e de JESUS CRISTO. Isaque foi o filho da promessa, por meio do qual viria uma grande nação-igreja; João prepararia o caminho para que o Rei do Universo viesse como ser humano para salvar a humanidade, o povo do filho da promessa (Isaque); JESUS era o Rei a chegar e se tornar o Salvador do mundo.

Esses nascimentos, dessa maneira, são o atestado de que nós não somos capazes de resolver o problema do pecado, que nós mesmos criamos. Precisamos de DEUS para sermos transformados outra vez na perfeição. Quando grandes providências são necessárias, DEUS precisa fazer tudo.

Adicione-se outro impressionante milagre, que foi a criação de Adão e Eva. Portanto, para dar início à humanidade, para dar início ao povo de Israel e para dar início à igreja de CRISTO na Terra, houve milagres quanto a providência de seres humanos, fora do alcance do ser humano, vindos da parte do Criador.

Adão e Eva deveriam servir de início à humanidade perfeita e sem pecados. Isaque deveria servir de início para um povo que representasse a DEUS na Terra, e fosse testemunha de Suas bênçãos, para salvar os outros povos. João Batista deveria preparar o caminho para o Rei definitivo do povo de DEUS para a eternidade, na formação da igreja de CRISTO. JESUS era o próprio personagem, aquele do qual falavam todas as promessas, e que se tornou o Salvador e Rei de todos aqueles que O aceitassem. Estava, portanto, completada a relação de homens e mulheres dos quais a humanidade dependia para existir, para sempre. João preparou o caminho e JESUS, por meio dos apóstolos, fundou a igreja pela qual o Céu influenciaria a Terra para que muitos fossem salvos.

 

  1. Terça: “A quem chamarás pelo nome de JESUS”

O nascimento de JESUS foi profetizado no Antigo Testamento. É a principal profecia da Bíblia, ao lado da outra que anuncia a segunda vinda de JESUS. No entanto, a segunda vinda estava condicionada à primeira. Esse nascimento foi miraculoso: Ele nasceu de uma mulher virgem. Isto demonstra que JESUS não veio de ser humano, mas era divino, pois quem o gerou em Maria foi o ESPÍRITO SANTO.

Maria foi uma mulher de fé e submissão, como todos nós devemos ser. Ao o anjo Gabriel informar-lhe do nascimento de um menino, ela naturalmente quis saber como isso poderia ocorrer, já que não mantinha relações com homem. Dada a explicação, ela creu. Já não estava duvidando ao receber a notícia, porém, como não poderia deixar de ser, desejou saber como engravidaria sem homem. Pois bem, Maria foi uma mulher, como disse o anjo, bem-aventurada, uma mulher especial, pois foi a única do mundo, em todos os tempos, que engravidou de um ser divino, do terceiro membro da Trindade, e também foi a única mulher que se tornou mãe do ‘Filho de DEUS’, expressão que o anjo lhe ensinou. O nome do menino era para ser JESUS.

O nome “Jesus: Significa “Deus é salvação”, “salvação” ou “Eternidade de Deus.” O nome Jesus é a versão em português do grego Iesous, que é uma adaptação do aramaico Yeshu’a, que por sua vez é a forma contraída do nome Yehoshu’a, que se traduz no português como Josué, Javé​ ou Jeová, equivalentes a Jesus em significado. Jesus também tem origem do hebraico “JHVH“, conhecido como um tetragrama inefável, que significa a “Eternidade de Deus”, pois HVH é o infinitivo hebraico do verbo “ser”, e o prefixo “J“, tem a função de levar os verbos hebraicos para o futuro” (http://www.dicionariodenomesproprios.com.br/jesus/)

 

  1. Quarta: A manjedoura de Belém

No tempo de JESUS, os recenseamentos eram bem diferentes de hoje. Em primeiro lugar, só se contavam os homens entre 20 e 60 anos, os aptos para a guerra. Estes deveriam ir se alistar junto a um órgão do governo, em sua cidade natal. Portanto, não havia recenseadores indo atrás da população; o processo era invertido ao de hoje. Também não se faziam recenseamentos a cada dez anos, como hoje, no Brasil; isso era feito eventualmente, por meio de um decreto, quando alguma autoridade queria saber sobre o tamanho da população. No caso, Maria não seria recenseada, só José, por isso ela acompanhou seu marido, embora estivesse grávida quase a dar a luz a seu filho. Ela, por certo, não queria ficar sozinha com o bebê por chegar. Essa era a vida de gente muito pobre.

Tendo saído de Nazaré, uma vila pobre de 300 a 400 habitantes (Fonte Revista Veja, edição 1783 pag. 104), seguiram até Belém, outra vila um pouco maior, que possuía aproximadamente 600 habitantes. A distância era grande para ser percorrida na época, montado sobre um animal, em torno de 145 km, ou mais, pois o caminho de hoje é mais reto. Portanto, o casal deve ter levado no mínimo dois dias, mas talvez três, diante do tamanho da barriga de Maria. Dá dó só em pensar, uma jovem mulher nessa situação, trazendo dentro dela o Salvador do mundo, tendo que se submeter a tamanho sacrifício. Por outro lado, quem iria crer que nela estava o Messias? Ela tendo que viajar em tais condições, montada num jumento, percorrendo tantos quilômetros, é realmente uma mulher submissa e dedicada. E se a criança viesse a nascer num lugar ermo, na estrada? Porém, tudo estava sob controle, profeticamente falando. DEUS não permitiria que a situação ficasse pior do que a que realmente aconteceu. A pobreza da família de JESUS estava no limite do tolerável.

José e Maria eram tão pobres que não possuíam dinheiro para impressionar os donos de pousadas de moradias particulares, da pequena vila, que estavam lotadas. Mas todos sabemos que, quando aparece um cliente com poder monetário, as coisas mudam, e dá-se um jeito. Os próprios donos das pousadas procuram um lugar para agradar o potencial cliente para o futuro. Mas que proveito econômico eles teriam em se fazer um favor a esse casal, onde ela vinha montada sobre um jumento e ele a pé? E que por certo estavam barganhando algum desconto ou se limitando a algo mais barato?

Pois JESUS teve que dormir numa manjedoura improvisada, e com poucos recursos para abrigá-Lo. Encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura” [Lucas 2.12, NVI]. Isso é notável, pois o Rei do Universo, evidentemente o Ser mais rico do Universo, Se tornou tão pobre como os mais pobres daqueles tempos, tendo que viver sob severas restrições de conforto e dignidade. Ele, no entanto, nos propõe a viver em Sua companhia, em lugares de vastíssima riqueza, por toda a eternidade.

 

  1. Quinta: Os que deram testemunho a respeito do Salvador

Lucas ligou o Antigo Testamento com o Novo Testamento. Como ele fez isso? Ele descreveu a circuncisão de JESUS, ao oitavo dia, conforme o mandamento do Antigo Testamento, o ritual que apontava para o próprio JESUS como Salvador. Ele também deixou bem enfatizado que JESUS era a pessoa profetizada pelo Antigo Testamento, que Se revelaria no Novo Testamento, para os judeus e para os gentios, ligando assim, com Apocalipse 14, na primeira mensagem angélica, em que diz que o evangelho eterno seria pregado a todos os povos do mundo.

Há de chegar o dia, e está bem próximo, da conclusão da pregação do evangelho, isto é, da excelente notícia de que JESUS vai voltar e salvar a todos os que assim decidiram. Em JESUS não há posição neutra. Ou O aceitamos, ou nos perdemos; ou somos a favor dEle, ou somos contra, e nesse caso, não seremos salvos.

A grande diferença em JESUS CRISTO é a cruz. Ela parece que aponta para o Céu em seu pedaço de madeira vertical, e parece que une os povos de todos os tempos e lugares, em seu pedaço de madeira horizontal. Nela JESUS ficou por horas, na mesma posição, abraçando a humanidade, Se estendendo a todos, como determina a ordem de pregação de Mateus 24:14, que este evangelho seria pregado a todas as nações, então, e só então, viria o fim, isto é, toda a obra de JESUS para salvar se teria concluído.

Em JESUS, para que sejamos salvos, há duas forças em ação. A primeira é a aproximação dEle a nós. Ele veio até nós e morreu por nós. A segunda é a nossa resposta, se aceitamos ou se rejeitamos. Conforme a nossa posição, assim será para nós a eternidade, ou mortos, ou vivos, para sempre. A parte de JESUS já está feita, a nossa deve ser decidida enquanto estivermos vivos, e sem demora, pois poderemos acostumar em deixar para depois. Uma vez que decidimos por JESUS, então o ESPPIRITO SANTO trabalhará para nos transformar em cidadãos do Reino de DEUS, e nossa vida, aqui na Terra, já será cada dia diferente.

 

  1. Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Síntese dos principais pontos da lição
  • Qual o foco principal?

O foco da lição desta semana é a primeira vinda de JESUS, como Salvador da humanidade. Ele, como DEUS, tornou-Se também ser humano. Era portanto DEUS infinito e imortal, mas Se desdobrou em mais um ser, um homem comum, mortal, sujeito a pecado, mas sem nunca pecar. Assim Ele tornou-Se nosso modelo, aquele que sofreu a morte eterna em nosso lugar, e foi o único que experimentou a morte eterna e retornou à vida do que é a segunda morte.

  • Quais os tópicos relevantes?

Pois bem, a história de JESUS parece mirabolante, mitológica, fazendo sentido, mas quase não podendo ser real. Nascer de uma virgem (um milagre), ser DEUS mas aqui se apresentava como um ser humano qualquer, tornar-se mortal, viver sujeito a todas as dificuldades dos seres humanos, isso parece realmente uma estória fictícia. Mas, para DEUS não há impossíveis, como diz o verso geral da lição. Essa foi uma história bem real. JESUS existiu, foi profetizado e deixou Suas marcas, das quais a principal é a Sua igreja, também profetizada. Podemos crer que Ele retorna, pois as profecias o anunciam, como anunciaram Sua primeira vinda.

  • Você descobriu outros pontos a acrescentar?

_________________________________________________________________________

 

  1. Que coisas importantes podemos aprender desse estudo?

JESUS CRISTO e João Batista nasceram para cumprir o plano de DEUS para a humanidade. Os dois nascimentos foram milagrosos, JESUS nasceu de uma virgem, e João de uma mulher idosa e não fértil. Coisas que para os seres humanos não são possíveis, mas não para DEUS. Eles foram planejados, isto é, profetizados. Profecia é plano de DEUS, que a nós é revelado para que saibamos o que há de vir. Podemos confiar porque essas coisas foram anunciadas bem antes, e ocorreram conforme o anúncio, e o livro de Lucas é uma das testemunhas dos fatos históricos que realmente aconteceram. Como podemos crer que isso tudo é verdade? Em primeiro lugar, nada é impossível para DEUS; em segundo, tudo foi profetizado; em terceiro, há um conjunto de muitas testemunhas; em quarto, sobrou a igreja de CRISTO ao longo dos séculos, que hoje anuncia a Sua segunda vinda. E também temos as profecias finais que estão se cumprindo a rigor. Dá para duvidar disso tudo?

  • Que aspectos posso acrescentar a partir do meu estudo?

_________________________________________________________________________

 

  1. Que providências devemos tomar a partir desse estudo?

Apesar de muitas evidências históricas da veracidade dos fatos relacionados a JESUS CRISTO, hoje temos um conjunto de profecias relacionadas ao fim dos tempos, a segunda vinda, fenomenal. Esse conjunto está se cumprindo à risca. E vemos que já estamos entrando na fase da manifestação do poder do ESPÍRITO SANTO. Hoje não precisamos mais tanto da Bíblia para saber sobre a vinda de JESUS. Embora devamos ler cada vez mais esse sagrado livro, os sinais na natureza, na política, na religião, na sociedade, etc., anunciam em alta voz que o final dos tempos chegou. Por exemplo, até locutores de televisão, e não poucos, deixam escapar que o mundo está no fim. Quando as profecias se cumprem, mais ainda podemos crer que tudo a respeito de JESUS, personagem central da Bíblia, é real, e vai voltar.

  • O que me proponho a reforçar, se for bom, ou mudar se for mau, em minha vida?

_________________________________________________________________________

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“A mensagem evangélica, pregada pelos discípulos de Cristo, era a anunciação de Sua primeira vinda ao mundo. Trouxe aos homens as boas-novas de salvação pela fé nEle. Apontava para Sua segunda vinda em glória para redimir Seu povo, e deu aos homens a esperança de partilhar da herança dos santos na luz pela fé e obediência. Esta mensagem é dada à humanidade hoje em dia, e, neste tempo, está ligada à anunciação da breve volta de Cristo. Os sinais de Sua vinda dados por Ele mesmo, cumpriram-se; e assim, pelos ensinos da Palavra de Deus podemos saber que o Senhor está à porta” (Parábolas de JESUS, 226 e 227).

 

  1. Conclusão geral

Quanto mais perto do fim, mais fácil é crer que a história de JESUS é real, no entanto, mais fé deveremos ter para nos manter no caminho da salvação, pois maiores serão os desafios que satanás interporá aos que pertencem a JESUS e que Ele quer salvar e utilizar para salvar outros.

  • Qual é o ponto mais relevante a que cheguei com este estudo?

_________________________________________________________________________

 

Assista o comentário clicando aqui.

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira O decreto dominical O alfa e o ômega Como é fácil enganar!

 

 

estudado e escrito entre  20 e 26/02/2015

revisado por Jair Bezerra

 

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

2 comments for “Lição 1 – A primeira vinda de JESUS

  1. Víctor
    Abril 3, 2015 at 10:21 pm

    Eu gostaria de receber comentários semanais. Por favor, envie-me o mesmo.

    • Sikberto Marks
      Abril 28, 2015 at 9:20 pm

      Olá Victor, eu não tenho como fazer esse serviço. Quem fazia era o Advir, mas não faz mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *