Lição 10 – Fazendo discípulos de todas as nações

Print Friendly

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Primeiro Trimestre de 2014

Tema geral do trimestre: Discipulado

Lição 10 – Fazendo discípulos de todas as nações

Semana de  1º a 8 de março

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário é meramente complementar ao estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com - marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar: “A Minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos” (Isa. 56:7).

 

Introdução de sábado à tarde

O livro de Isaías profetiza bastante sobre JESUS. Por exemplo, o capítulo 53 descreve as cenas da cruz de modo dramático, a ponto de chamar a atenção do eunuco etíope, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, que lia o livro durante uma viagem. Os mestres judeus liam todos os livros do Antigo Testamento (só havia esse), e deveriam ter entendido que JESUS viria não para combater os romanos, mas para atrair os romanos e os demais povos para a salvação. Aliás, o povo de DEUS deveria ter entendido que eles mesmos foram estabelecidos por DEUS para levar a sua fé ao mundo todo. DEUS já havia dito a Abração: “sê tu uma bênção a todos os povos”. O texto encontra-se em Gên. 12:1 a 3 – “Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.” Era para se formar um povo para atrair todas as nações a DEUS.

Contudo, o povo de DEUS não cumpriu com a missão, e encerrou a bênção somente para si. Várias vezes foram os judeus antigos dispersos entre os povos para assim cumprirem ao menos parcialmente o mandado de evangelizar todas as pessoas do mundo. E quando veio o Messias, aguardavam, erroneamente, um libertador do Império Romano, ou mais ainda que isso, um guerreiro que lutasse contra esse império e o dominasse, fazendo dos judeus o povo dominador. Queriam dominar politicamente quando DEUS lhes havia encarregado de dominar o mundo pela fé.

Hoje temos idêntica missão, a que JESUS nos deu como igreja. Em Mateus 24:14 diz que o evangelho será pregado a todo mundo, pois essa é a vontade de DEUS. Em Apocalipse 14:6 diz que o evangelho será pregado a cada nação, tribo, língua e povo. Como trata a lição dessa semana, nos compete fazer discípulos de todas as nações.

 

  1. 1.      Primeiro dia: Os profetas predisseram

Como é difícil trabalhar com superiores que centralizam demais as coisas neles mesmos. Os efeitos de sua gestão são negativos. Eles pensam que nada funciona sem que estejam controlando. Não confiam nem delegam atividades a outros, e quando o fazem, exigem excesso de relatórios e fazem supervisão cerrada. Quando isso acontece na liderança da igreja, isso tem-se demonstrado um desastre. Não surgem novos líderes e as atividades ficam atravancadas.

Ellen G. White pronunciou-se sobre esse ponto: “A alguns é natural ser mordazes e ditatoriais, para dominar sobre a herança de Deus. E devido à manifestação desses atributos, tem a causa perdido preciosas almas. A razão desses homens terem manifestado essas desagradáveis características, é não terem estado ligados com Deus.” (Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 223). O antigo povo de DEUS agiu assim. Centralizara DEUS para si, as bênçãos para si, a mensagem para si, e ainda para completar, criaram tantas normas sobre a santificação do sábado que esse dia, que era para ser para alegria, tornou-se um fardo impossível de ser obedecido. Em vez do que fizeram, deveriam ter-se aberto às nações do mundo, convidando-as para também servirem a DEUS. Mas frequentemente, em razão da centralização egoísta, acabavam eles mesmos servindo a outros deuses, pelo que atraíam os juízos de DEUS, com grandes perdas e sofrimentos. Preocupavam-se com as necessidades do presente que não sobrava interesse para com a obediência ao DEUS verdadeiro.

O que Israel deveria ter feito? DEUS queria favorece-los por meio de bênçãos, a fim de que obtivessem progresso, seja nos indivíduos, seja nacional. Era para ser uma nação forte e rica com cidadãos saudáveis e de bem com DEUS e com a vida. Em vez de guerrear com as outras nações, exceção para os depravados cananeus, e talvez mais alguma outra nação, deveriam conquistar outras nações para também servirem a esse DEUS que a eles dava tantas bênçãos.

Naqueles tempos cada nação possuía seus deuses, eram politeístas. E acreditavam que esses deuses faziam alguma coisa pelo povo. Eram deuses pagãos, e sabemos que simplesmente é ridículo adorar e esperar algo de um deus fabricado por mãos humanas. É tão ridículo crer nisso como seria crer num deus criador que a própria criatura fabricou. Portanto, como os israelitas possuíam o DEUS verdadeiro, o Criador, aquele capaz de tirar um enorme povo do Egito pelo meio do deserto, deveriam testemunhar sobre a superioridade desse DEUS. Se assim fizessem, em algum tempo o mundo todo creria como eles, pois quem gostaria de permanecer com deuses ineficazes se havia Um capaz de ser DEUS? Mas infelizmente a responsabilidade de anunciar a salvação ao mundo teve que ser posta sobre a responsabilidade de outra organização, a igreja. Digo infelizmente porque Israel, como nação, abandonou por completo ao DEUS que os constituiu. E a igreja, não sendo uma nação, espalhou-se pelo mundo, e atualmente prepara-se para finalizar a pregação do evangelho.

 

  1. 2.      Segunda: Ai de ti!

Hoje tratamos da incoerência na vida cristã. É o tal “faça o que eu digo mas não faça o que eu faço.” Ou seja, viva você conforme eu ensino, mas não se guie pelo meu procedimento.

Certa vez um pregador fez um empolgante sermão sobre seguir princípios de vida. Ilustrou bem o assunto e convenceu quem ouvia sobre o dever de seguir os princípios de nossa fé e todos os demais bons princípios de vida. Ainda lembrou que devemos cuidar em seguir os princípios gerais de vida para que sejamos bons exemplos aos outros. Terminou o programa, depois de conversarem em frente da igreja por mais de meia hora, alguns até elogiando o sermão, todos foram embora. Sabe o que o pregador fez? Agiu de modo incoerente. Entrou em seu carro, e numa rótula (rotatória) mais adiante não fez o contorno, mas passou pelo lado esquerdo. Tendo olhado, não viu nenhum outro veículo, muito menos um guarda. Num trecho de reta, andou bem acima da velocidade permitida. Chegando em casa, estacionou em cima da calçada e na contramão. Agora pergunto a todos: como um pregador assim pode ter o poder do ESPÍRITO SANTO? Totalmente incoerente, cometendo quatro infrações de trânsito. E a pregação dele sobre princípios nem ele aproveitou! Alguém assim se salva? Só se mudar!

Aqueles que conhecem a JESUS devem viver como Ele viveu. Se não vivem de acordo, estão se enganando. Estão rejeitando o Salvador, pois sabem mas não fazem, ouvem mas não entendem. Não vivem de acordo com o conhecimento que possuem. Estão vivendo em desaprovação por DEUS; assim se tornam joio, não trigo.

Pessoalmente tenho medo de estar dando um mau testemunho e nem perceber. Isso acontece com muito frequência com as pessoas, mais do que imaginamos. Quase todos estão percebendo nossos erros, mas nós não, e achamos que somos bons filhos de DEUS quando estamos sendo reprovados. Tenho orado para que isso não aconteça, para que seja humilde a fim de aceitar observações ou até repreensões, e aproveitar para mudar. Nós, adventistas, não devemos ser cegos quanto às nossas fraquezas e pecados, mas devemos viver pelo poder e pelos ensinamentos do ESPÍRITO SANTO. Daí, sim, seremos transformados. Ai de nós se, por nosso estilo de vida, outros se perderem. Ai de nós se nos tornarmos pedra de tropeço. Ai de nós se o conceito da igreja for denegrido pelo nosso proceder. Ai de nós, se pessoas abandonam a fé vendo a incoerência do que somos. Ai de nós, se em casa somos semelhantes ao diabo e na igreja somos parecidos a um anjo. Sabem que certa vez uma mulher apareceu na igreja com duas malas, querendo morar ali. Isso foi um tanto constrangedor, mas ela estava encenando um grito de socorro. Depois de muito bate boca, o marido já tendo chegado e se mostrando todo gentil, ela disse: aqui na igreja ele é um anjinho, mas em casa é o diabo em pessoa, grita comigo e me bate. Por isso preferia morar na igreja, a vida seria muito boa. Ai de nós…

 

  1. 3.      Terça: “Queremos ver JESUS”

As pessoas querem ver a quem adoram, ou a quem idolatram. Por exemplo, pesquisando no facebook, se descobre coisas reveladoras sobre esse ponto. Na página do Pelé seus fãs já o curtiram mais de 2,1 milhões de vezes. Ele é uma celebridade, ou melhor, um ídolo. O cantor brasileiro Michael Teló, tem mais de 8,1 milhões de curtidas. Esse sim é um ídolo da juventude. E o fiasquento do canadense Justin Bieber, tem mais de 2,1 milhões de curtidas, aliás, seu perfil no Google Trends está em baixa. Veja só a presidente Dilma, que tem só 200 mil curtidas… Mas há outros ídolos maiores que os de acima. Os antigos Beatles, por exemplo, tem mais de 38,5 milhões de curtidas. Isso é mais gente que muitas nações do mundo. E o falecido Michael Jackson, tem mais de 69,2 milhões de curtidas!

Esses são alguns dos muitos ídolos atuais; mortos ou vivos, eles atraem multidões. E para onde atraem essa gente toda? Certamente não para a salvação de vidas, mas sim, para a exploração do dinheiro que os fãs possuem, pois esses ídolos enriquecem espantosamente. Nada diferente de muitos pastores de igrejas pentecostais que vivem no alto luxo às custas de suas ovelhas enganadas. Nos tempos antigos satanás levava o povo a construir ídolos de madeira, pedra e ferro; hoje esses aí são os ídolos. Sempre existem ídolos para distrair as pessoas do verdadeiro DEUS.

A quem essas pessoas todas querem ver? Jogadores? Cantores? Artistas?

Uma pergunta delicada é: será que eu, ou você meu amigo ou amiga, temos alguma atração por tais celebridades? Quanta gente, irmão ou irmã da igreja, se fascinam por jogadores de futebol, lutadores de box, artistas de novela, etc.!

Aqui não é uma questão de a quem amamos mais, se a JESUS ou se a algum desses ídolos. A questão é bem diferente, pois amar algum ídolo desses, mesmo que menos que se ama a JESUS, é fazer uma divisão do coração não aceitável a DEUS. Há coisas que não devemos dedicar nenhuma atenção, nem um minuto por mês. Por exemplo, planejar um assalto a banco não devemos nem pensar como por brincadeira, por uns instantes de um ano. Isso jamais deve entrar em nossa mente, nem mesmo por passatempo. Assim também um servo de DEUS não deve idolatrar, mesmo que só um pouquinho, esses ídolos do mundo, pois essa foi a estratégia utilizada por satanás para derrubar dezenas de vezes os filhos de Israel. Essa ainda é uma estratégia válida para os nosso dias, e ela está derrubando muitos, até mesmo bons pregadores e mestres na igreja.

O que queriam os gregos, que foram adorar em Jerusalém? Eles queriam ver JESUS! Chegaram a Felipe, que tinha nome grego, e pediram um favor especial: queriam ver o Mestre. Tinham ido a Jerusalém e não queriam retornar à sua pátria distante sem ver a quem foram adorar. Eles ouviram falar de JESUS, agora queriam conhecê-Lo.

“Cristo ouviu o ansioso e faminto clamor: “Queremos ver Jesus.” João 12:21. Esses gregos representavam as nações, tribos e povos que se despertariam para a sua grande necessidade de um poder exterior e acima do poder finito. Por um momento, Cristo olhou ao futuro e ouviu vozes proclamando em todas as partes da Terra: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” João 1:29. Esta antecipação, a consumação de Suas esperanças, é expressa nas palavras: “É chegada a hora de ser glorificado o Filho do homem.” João 12:23. Mas Cristo não Se esqueceu da maneira e métodos pelos quais essa glorificação devia ocorrer. O mundo podia ser salvo somente por Sua morte. Como o grão de trigo, o Filho do homem devia ser lançado na terra, morrer e ser sepultado fora da vista de todos, porém Ele viveria outra vez!” (Olhando Para o Alto, MM 1983, p. 104, grifos acrescentados). Então eles ouviram a voz do Céu: “Eu já O glorifiquei (no batismo) e ainda O glorificarei (na ressurreição e vitória ao entrar no Céu).” Os gregos viram JESUS e ouviram a voz de Seu Pai. Eles tiveram aumentada a sua fé, e voltaram às suas casas. Era o início da pregação a todo mundo, para além dos judeus.

A pergunta que se faz é esta: onde estamos clicando nossa preferência, onde estamos curtindo? Na Bíblia, para conhecer JESUS, que trabalha para nos salvar? Ou no Facebook para conhecer alguma celebridade, que trabalha para se enriquecer?

 

  1. 4.      Quarta: Derrubando barreiras

Há uma enorme quantidade de barreiras de interação entre as pessoas atualmente. Por exemplo, a cor, a cultura, o nível acadêmico, a profissão, o poder, a religião, a etnia, a origem do nascimento e também a naturalidade, o sobrenome, o automóvel, o curso superior, a casa e ou o bairro onde mora, os amigos que possui, o time de futebol, e assim por diante. Já vi aparecerem barreiras contra pessoas por serem vegetarianas, outras porque querem seguir bons princípios ou serem honestas. Muitos os chamam de santinhos, ou que querem aparecer. Dentro da igreja, lamentavelmente, existem barreiras contra pessoas que estudam a Bíblia e leem e seguem os escritos proféticos.  Mas nós, cristãos adventistas, não devemos nos deixar influenciar por nenhum tipo de coisa que crie algum constrangimento com outras pessoas. Pelo contrário, como JESUS, devemos nos interessar por todas as pessoas, pois, como diz a Bíblia, para DEUS não há acepção de pessoas.

Nós, seres humanos, é que inventamos as barreiras, ou escolhemos algumas e nos apegamos a elas, que muitas vezes são preconceitos sem sentido contra determinadas pessoas. Trago a história de um político, candidato a reeleição. Ele visitava bairros pobres à caça de votos. Era muito gentil com todos, distribuindo sorrisos e acenos. Até entrava na casa deles, tomava crianças no colo e as beijava, porém, quando chegava ao hotel ou em casa, logo tomava um banho e se purificava, pois tinha “nojo” de fazer isso, como dizia aos amigos. Mas precisava dos votos daquelas pessoas, queria a reeleição, por esse motivo ia ao sacrifício.

Nós, adventistas, devemos ser autênticos. Não podemos nem por um instante agir como esse político, tratando bem os pobres, ou quem detestamos, só para preencher o alvo de batismos. Verdadeiros cristãos não detestam pessoas, mas amam a todas elas.

JESUS enquanto vivia aqui, passava por uma situação contraditória. Ele havia formado aquele povo judeu, descendentes de Jacó e suas esposas, por sua vez, descendentes de Noé, que veio de Adão e Eva, casal que fora criado por DEUS. Portanto, somos todos irmãos, filhos de um mesmo pai e mãe, e de um único Criador. Contudo, os líderes de Seu povo não só O desprezavam como O perseguiam, e queriam matá-Lo. Diziam ser filho do diabo, ou seguidor do demônio. Ele que veio para salvá-los, ser recebido dessa maneira, é desestimulante. Mas Ele foi até o fim, até à morte por eles, e por todos. De braços abertos na cruz, demonstrava disposição de salvar a todos, não importava quem fosse. “Aquilo que, unicamente, vale a pena obter, é a grandeza de espírito à vista do Céu. Talvez nunca venhais a saber a verdadeira e exaltada natureza de vossa obra. O valor de vosso próprio ser só podereis apreciar pelo valor daquela Vida que foi dada para salvar a todos os que a queiram receber” (O Cuidado de DEUS, MM 1995, 180).

 

  1. 5.      Quinta: A Grande Comissão

JESUS, no último capítulo de Mateus, nos incumbe de irmos a todas as nações do mundo, e fazer discípulos para Ele: “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que Eu vos tenho mandado; e eis que Eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos.” Mat. 28:19 e 20. Também Mateus 24:14 diz que o evangelho do reino será pregado a todas as nações, então virá o fim. Poderíamos dizer: só então virá o fim. Em outras palavras, todos devem saber sobre a segunda vinda de CRISTO JESUS. Não quer dizer que todos devam se converter, mas sim, que tenham a oportunidade da conversão. O apóstolo Marcos diz: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” Mar. 16:15.

“Assim deu Cristo aos discípulos sua missão. Tomou plenas medidas para a sequência da obra, assumindo Ele próprio a responsabilidade do êxito da mesma. Enquanto Lhe obedecessem à palavra e trabalhassem em ligação com Ele, não poderiam falhar. Ide a todas as nações, ordenou-lhes. Ide às mais longínquas partes do globo habitado, mas sabei que Minha presença ali Se achará. Trabalhai com fé e confiança, pois nunca virá tempo em que Eu vos abandone.

“A comissão do Salvador aos discípulos incluía todos os crentes. Abrange todos os crentes em Cristo até ao fim dos séculos. É um erro fatal supor que a obra de salvar almas depende apenas do pastor ordenado. Todos a quem veio a celestial inspiração, são depositários do evangelho. Todos quantos recebem a vida de Cristo são mandados trabalhar pela salvação de seus semelhantes. Para essa obra foi estabelecida a igreja, e todos quantos tomam sobre si os seus sagrados votos, comprometem-se, assim, a ser coobreiros de Cristo” (O Desejado de Todas as Nações, 822).

Dois comentários importantes. Primeiro, como já dissemos, essa comissão não quer dizer que se converterão todas as pessoas, mas sim, que todas saberão a respeito do evangelho. Portanto, antes que o fim venha, todos poderão tomar a decisão de sua vida, seja pela vida eterna, seja pela morte eterna, uma decisão consciente, baseada em conhecimento suficiente.

O segundo comentário é derivado do primeiro. Não há de acontecer que, ocorrendo a segunda vinda, alguém possa dizer: eu não sabia. Antes das pragas começarem, todos saberão da vinda de JESUS, mas nem todos irão aceitar e se converter. Essa é a questão: a nossa responsabilidade é levar a mensagem, e a responsabilidade de cada pessoa é decidir, se aceita ou se rejeita. Muitos rejeitarão preferindo os atrativos do mundo, que deverão deixar de lado se optarem por CRISTO.

 

  1. 6.      Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:

a)      Síntese dos principais pontos da lição

  • Qual o foco principal?

Temos a lição que JESUS nos ensina pela parábola do bom samaritano. Um judeu que fora assaltado e que não foi socorrido por outros judeus bem posicionados, um sacerdote e um levita, mas por um samaritano, que os judeus odiavam e tratavam como inferiores. Essa ilustração nos diz que não devemos fazer acepção por qualquer classificação de pessoas que exista, mas devemos nos interessar por todos para salvá-los, como já estamos estudando em lições anteriores.

Conclamo aos jovens de nossa igreja, pois eles podem fazer um lindo trabalho por meio da internet, por exemplo, que eles gostam tanto. Podem utilizar o facebook, ou um blog. Podem especializar-se em dar estudos sobre temas bíblicos virtuais. Alguns poucos já fazem algo assim, mas são poucos. E o alcance desse tipo de recurso é mundial. Sei disso porque tenho um site e recebo e-mails de diversas partes do mundo.

  • Quais os tópicos relevantes?

A rigor, no mundo atual, há um aumento do desejo de conhecer a JESUS. Muitos oportunistas já perceberam isso e estão se enchendo de dinheiro pela oportunidade. Mas nós devemos salvar essas pessoas sedentas de algo superior.

  • Você descobriu outros pontos a acrescentar?

_________________________________________________________________________

 

b)      Que coisas importantes podemos aprender desse estudo?

O que podemos aprender principalmente é que JESUS morreu por todos e nos enviou a todas as pessoas do mundo, sem deixar quem quer que seja de fora.

  • Que aspectos posso acrescentar a partir do meu estudo?

_________________________________________________________________________

 

c)       Que providências devemos tomar a partir desse estudo?

Devemos agir com sabedoria para elaborar planos, com DEUS, e ir atrás das pessoas de todos os lugares, por diversos meios de ação.

  • O que me proponho a reforçar, se for bom, ou mudar se for mau, em minha vida?

_________________________________________________________________________

 

d)     Comentário de Ellen G. White

“O mundo todo é um vasto campo missionário, e nós, que há longo tempo temos sido estabelecidos na verdade, deveríamos ser encorajados com o pensamento de que lugares outrora de difícil acesso são agora facilmente penetrados. Cada igreja em nosso país deveria buscar o avivamento do espírito missionário. Elas deveriam buscar constante crescimento no zelo e atividade. Todos devem orar para que seja banida a indiferença que tem feito com que tanto homens como recursos tenham sido retidos da obra, e para que Cristo habite na alma” (E Recebereis Poder, MM 1999, 174).

 

e)      Conclusão geral

“Como pode ser concluída a grande obra da mensagem do terceiro anjo? Em grande parte pode sê-lo mediante esforço perseverante e individual, pela visitação do povo em seus lares. Um dos meios mais eficazes de se comunicar a luz é pelo trabalho particular, pessoal. No círculo familiar, no lar do vizinho, à cabeceira do doente, de uma maneira tranquila podeis ler as Escrituras e falar sobre Jesus e a verdade. Lançareis assim preciosa semente, que germinará e produzirá fruto” (Beneficência Social, 97).

  • Qual é o ponto mais relevante a que cheguei com este estudo?

_________________________________________________________________________

 

Assista o comentário clicando aqui.

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples

Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira O decreto dominical O alfa e o ômega Como é fácil enganar!      

 

 

estudado e escrito entre  24 e  30/01/2014

revisado em:  31/01/2014

corrigido por Jair Bezerra

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

Outros artigos de interesse;

Add Comment Register



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *