Lição 11 – Nossa mensagem profética

Print Friendly

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Quarto Trimestre de 2013

Tema geral do trimestre: O Santuário

Lição 11 – Nossa mensagem profética

Semana de  7 a 14 de dezembro

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário é meramente complementar ao estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com - marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar: “Vi outro anjo voando pelo meio do Céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a Terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a DEUS e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo;  e adorai Aquele que fez o Céu, e a Terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apoc. 14:6 e 7).

 

Introdução de sábado à tarde

O que a verdadeira igreja de CRISTO deve pregar ao mundo inteiro? Simples: o evangelho eterno. E qual é esse evangelho?

Em primeiro lugar, evangelho significa ‘novidade’, ou ‘notícia boa’, algo bom que devamos saber. E nesse caso, essa notícia ou evangelho é eterno, ou seja, que nunca muda; é o mesmo desde o princípio. E ele diz respeito à adoração. E não é qualquer adoração, mas ao DEUS Criador, Aquele que fez todas as coisas existirem. O evangelho eterno diz assim: “Adorai Aquele que fez”, e o centro dessa adoração é a santificação do sábado. É isso que diz o quarto mandamento da lei de DEUS, ou seja, “lembra-te do sábado para o santificar, … porque em seis dias fez…” (Êxo. 20:8 e 11). O evangelho eterno é a adoração ao Criador de todas as coisas. Essa é a grande verdade que devemos, ainda hoje, pregar para todo o mundo. Essa é a primeira mensagem a ser dada, e ela complementa-se com a terceira mensagem, que é a denúncia do falso sábado, o domingo, perante a santidade eterna do verdadeiro sábado do sétimo dia. Essa é a nossa grande responsabilidade.

 

  1. 1.      Primeiro dia: Tempo de decepção

No dia 22 de outubro de 1844 havia uma grande expectativa, a da vinda de JESUS. Eles não sabiam a hora, portanto, esperaram durante todo o dia. O dia 23 de outubro de 1844 era de amargura. O dia 22 era doce como mel, mas o seguinte, amargo como fel.

O que aconteceu com essa gente, que se enganou tanto? Faltou a esse povo fazer a ligação do verso de Daniel 8:14 com o trecho de Apocalipse 10:6 a 11. Nesse trecho diz que ainda haveria um pouco de tempo para pregar, e que o livrinho seria doce como mel na boca, mas amargo no estômago. Eles se entusiasmaram tanto com a segunda vinda, assim como nós hoje, que deixaram de entender as passagens que dizem, por exemplo, que o dia e a hora não saberíamos. E os que estudavam a Bíblia e que chegaram a essa conclusão, pregavam com tamanha convicção que multidões foram alertadas. Chamou-se aquele movimento de Clamor da Meia-noite.

Mas em Apocalipse 10:11 diz que “é necessário que ainda profetizes a respeito de muitos povos, nações, línguas e reis.” Ou seja, uma certa igreja deveria fazer uma pregação no futuro. Nesta semana estudaremos qual seria esta pregação; ela é a tríplice mensagem angélica de Apocalipse 14:6 a 11 e a última advertência ao mundo, para que quem for povo de DEUS, saia de Babilônia urgentemente. Ainda se teria pela frente a grande controvérsia da terceira mensagem angélica, entre o sinal da besta e o selo de DEUS. Pois bem, hoje já estamos entrando nessa fase do grande conflito. O que temos imediatamente pela frente é o decreto dominical, que inaugura o tempo mais intenso, embora bem curto, da grande controvérsia.

 

  1. 2.      Segunda: Temam a DEUS!

‘Temam a DEUS’ não é o mesmo que ‘tenham medo de DEUS’. Significa uma reverência e respeito solene, honra a DEUS por meio de fidelidade e obediência. Isso porque Ele, mesmo sendo amor, tem o poder da justiça. É Ele quem pode nos salvar, mas também pode nos condenar. Tem todos os direitos. Pode nos transformar como pode nos arremessar para o inferno. Isso depende de nós, se O tememos ou se vivemos despreocupadamente diante dEle.

O que devemos evitar para que sejamos tementes a DEUS? Algumas coisas dentre muitas outras são: uma vida despreocupada com relação aos princípios divinos, muito guiada pelo “eu acho”; falta de reverência dentro da casa de DEUS; falta de cuidado em relação às coisas de DEUS, por exemplo, a Bíblia, os hinários, o material de trabalho missionário, a igreja e seus materiais; mau testemunho; humor de baixa moral; presenciar vídeos ou filmes não recomendáveis, e assim por diante. Fazer essas coisas, por exemplo, é não temer a DEUS, nesse caso, a Sua justiça, que virá, nos condenará, isso é certo.

“Muitos que professam amar e temer a Deus preferem seguir a inclinação de seu próprio espírito, em vez de tomarem conselho com a Sabedoria Infinita. Em uma questão que interessa vitalmente a felicidade e bem-estar de ambas as partes, para este mundo e o porvir, a razão, o juízo e o temor de Deus são postos de parte, permitindo-se que domine o cego impulso, a obstinada determinação” (Cartas aos Jovens Namorados, 87).

 

  1. 3.      Terça: A fúria das nações

DEUS conduz Seu povo aqui na Terra. Satanás conduz, como pode, as nações, e procura jogá-las contra o povo de DEUS e contra a Sua igreja. Assim foi na Idade Média, durante os 1260 anos, e assim tornará a ser depois do decreto dominical e durante as pragas.

Revisando a história. Em 1798 o sistema papal caiu perante o poderio francês. Em 1800 as pessoas começaram a estudar a Bíblia e procurar nela a verdadeira adoração. Houve um movimento forte principalmente na América do Norte, a partir dos escritos bíblicos. Muitas igrejas participaram de um reavivamento baseado nas Escrituras. Então em 1844 JESUS não veio como era esperado. A partir desta data eles redirecionaram os estudos da Bíblia, e descobriram outras verdades impressionantes. Eles descobriram, por exemplo, a Lei pura de DEUS, o sábado, o juízo executivo, e muitas outras verdades mais. Formou-se a última igreja da sucessão de sete, a de Laudiceia. Em 1863 era formada a Igreja Adventista do Sétimo Dia, a que ensina a verdade completa para este tempo, e tem o Espírito de Profecia. É que há um período de paz e de democracia no mundo. Não há por esses dias um império dominando as consciências nem uma igreja ditando dogmas que devem ser seguidos à força. Estamos em tempos de liberdade, e a pregação da verdade prospera.

Mas esse tempo de liberdade terminará com o decreto dominical. Então as nações se enfurecem outra vez contra o pequeno povo de DEUS, que estará pregando com grande voz, pelo poder do ESPÍRITO SANTO. Desse decreto em diante as nações ficarão cada vez mais furiosas, porque a economia e a política vai de mal a pior. Por meio desse decreto elas estarão aliadas com o poder de Roma, da Igreja Católica, e farão tudo para impor o domingo pela força da lei e das armas. Haverá grande perseguição, e milhões de servos de DEUS serão mortos em pouco tempo, porque a duração entre o decreto dominical e o início das pragas é bem pequena. É também o tempo do selamento, isto é, do juízo investigativo dos vivos.

As nações se enfurecerão porque um pequeno grupo não adere a santificação do domingo, e isso, segundo eles pensam, estará prejudicando a economia mundial, o comércio, a produção e as relações políticas. O mundo entrará numa crise tremenda, e os guardadores do sábado serão vistos como os únicos culpados. As nações que já estão se unindo em forma de superpoderes, os blocos econômicos, perseguirão, emitirão o decreto dominical e depois o decreto de morte, imaginando assim estar agradando a DEUS. Essa será uma ideia inventada pela Roma papal. A ira das nações se exasperará durante as pragas, especialmente da quarta praga em diante, como diz o livro do Apocalipse, capítulo 16. As nações formarão a falsa trindade, a união entre os Estados Unidos da América com seu falso protestantismo, mais Roma papal e mais o espiritismo, ou espiritualismo. Esse será o poder político-religioso que comandará as nações do mundo e que se posicionará contra o povo de DEUS, jogando todos os demais poderes da Terra contra o remanescente, aquele que guarda os mandamentos de Deus e têm o testemunho de JESUS.

 

  1. 4.      Quarta: Adorem o Criador

Há duas alternativas de adoração disponíveis, ao DEUS verdadeiro, porque Ele é o Criador (Apoc. 4:11) ou ao deus falso, e ele não é Criador. Podemos demonstrar nossa adoração de duas maneiras, santificando o sábado da Lei de DEUS para dizermos que estamos ligados ao Criador, ou observarmos o domingo (que não é possível santificar, afinal não se pode dedicar a motivos santos de DEUS) ligado ao não Criador.

O sábado é o dia do Criador, porque nos seis dias anteriores tudo foi criado. O domingo é o dia do não Criador, porque nada foi criado nos dias precedentes. Observando o domingo se estará criando vínculo com quem é incapaz de criar alguma coisa do nada. E isso é uma mentira.

Todos devem adorar o Criador. E porque razão deve ser assim? É muito simples: um motivo é a gratidão pela existência. Se DEUS não nos tivesse criado, não existiríamos, portanto, o simples fato de estarmos aqui, rodeados de natureza, é um privilégio que devemos reconhecer. Nossa existência ocorre pelo fato dEle ter criado todas as coisas, e isso certamente merece reconhecimento e gratidão.

Outro motivo de adoração, no caso nosso de terráqueos, é a salvação. Pecamos, mas existe uma saída, o plano da salvação em CRISTO, e esse é o outro motivo importante de adoração. Portanto, adoramos o Criador e o Recriador Salvador. A adoração, em última instância é o reconhecimento da origem de nossa a vida, ou para dizer melhor, a existência com vida, e a esperança de felicidade eterna. Adorar é uma demonstração de gratidão por algo que nos é muito caro: nós existimos e seremos salvos do pecado.

Essa é a nossa pregação sintetizada na tríplice mensagem angélica. Devemos, como povo de DEUS, ensinar ao mundo a guardar o sábado e obedecer aos Dez Mandamentos de DEUS, restabelecer o que significa adoração. Já pregamos as duas primeiras mensagens angélicas, bem logo pregaremos também a terceira, que é a grande controvérsia entre o sábado e o domingo e pregaremos a necessidade de sair de babilônia, aqueles que mesmo estando lá, são sinceros adoradores do DEUS verdadeiro.

 

 

  1. 5.      Quinta: A “perseverança” dos santos

Apocalipse 14:12 apresenta a identificação daqueles que serão salvos: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de DEUS e a fé em JESUS.

São duas as principais características para se identificar o povo de DEUS: Guardar os mandamentos de DEUS e ter fé em JESUS. Isso é tão claro e óbvio que não deveria haver dúvidas a respeito do dia a se santificar e da lei a se guardar, mas o poder de engano de satanás é gigantesco. Bilhões de pessoas estão no erro embora pensem estar corretas. Líderes religiosos inescrupulosos exploram a ingenuidade de bilhões e ganham dinheiro e poder em cima de mentiras. Constroem gigantescas igrejas e por meio de sinais e maravilhas de satanás, levam uma vida boa e cheia de regalias, com folga financeira, se passando por líderes de DEUS. É gigantesca a obra a ser feita para proclamar em pouco tempo a mensagem da verdade para que todos tenham condições de conhecimento a fim de tomarem uma decisão consciente. Essa decisão é: obedecer a DEUS e Sua Lei, ou manter-se na rebeldia.

O que é a perseverança? É manter-se no caminho, ficar firme na fé, continuar obedecendo, continuar pregando e ensinando tudo aquilo que aprendeu de JESUS, que conforme diz o verso, tem tudo a ver com a Lei de DEUS e fé em JESUS. É não desistir nunca, com paciência, ir em frente, a despeito da forte e crescente oposição do inimigo e de suas forças.

O verso define bem como é a perseverança dos santos: é segundo os mandamentos de DEUS e a fé em JESUS CRISTO. Essa é a diferença que distingue os que serão salvos dos que se perderão para sempre.

 

  1. 6.      Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:

a)      Síntese dos principais pontos da lição

  • Qual o foco principal?

O foco dos estudos desta semana é o evangelho eterno, isto é, a necessidade urgente de que todos saibam que devem adorar o Criador de todas as coisas.  E essa adoração deve ser feita do modo como Ele definiu, e isto tem tudo a ver com a santificação do sábado.

  • Quais os tópicos relevantes?

A primeira mensagem angélica de Apocalipse 14 anuncia um evangelho eterno, sobre a verdadeira adoração. A terceira mensagem desse capítulo diz que o sábado é o selo de DEUS, não o domingo. A primeira e a terceira mensagem estão inter-relacionadas, sendo que a segunda mensagem diz que Babilônia começou a cair. Em Apoc. 18:4 diz que todos aqueles que desejam realmente a salvação, devem sair de Babilônia pois ela está caindo em definitivo.

  • Você descobriu outros pontos a acrescentar?

_________________________________________________________________________

 

b)      Que coisas importantes podemos aprender desse estudo?

A coisa mais importante é a adoração correta ao DEUS de verdade.

  • Que aspectos posso acrescentar a partir do meu estudo?

_________________________________________________________________________

 

c)       Que providências devemos tomar a partir desse estudo?

Pelo menos duas coisas: devemos saber defender a nossa fé e devemos viver de acordo com ela. Devemos saber provar pela Bíblia que a IASD é a igreja verdadeira e saber que mensagem importante ela prega: o evangelho eterno. Há mais outra igreja pregando isso?

  • O que me proponho a reforçar, se for bom, ou mudar se for mau, em minha vida?

_________________________________________________________________________

 

d)     Comentário de Ellen G. White

“Na profecia da mensagem do primeiro anjo, no capítulo 14 de Apocalipse, é predito um grande despertamento religioso sob a proclamação da breve vinda de Jesus. É visto um anjo a voar “pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a Terra, e a toda nação, e tribo, e língua, e povo”. “Com grande voz” ele proclama a mensagem: “Temei a Deus, e dai-Lhe glória; porque vinda é a hora do Seu juízo. E adorai Aquele que fez o céu, e a Terra, e o mar, e as fontes das águas.” Apoc. 14:6 e 7.

“É significativo o fato de afirmar-se ser um anjo o arauto desta advertência. Pela pureza, glória e poder do mensageiro celestial, a sabedoria divina foi servida de representar o caráter exaltado da obra a cumprir-se pela mensagem, e o poder e glória que a deveriam acompanhar. E o voo do anjo “pelo meio do céu”, “a grande voz” com que é proferida a advertência, e sua proclamação a todos os “que habitam sobre a Terra”, “a toda a nação, e tribo, e língua, e povo”, evidenciam a rapidez e extensão mundial do movimento” (CRISTO em Seu Santuário, 77).

 

e)      Conclusão geral

Se devemos adorar Aquele que fez, então saibamos que essa adoração segue os requisitos de DEUS, não “o modo como nós nos sentimos bem”. Quem define como deve ser a adoração é o adorado. Portanto, muito cuidado quanto a como adoramos, seja no vestir, seja na música, seja nos pensamentos, seja em nossas atitudes e comportamento.

  • Qual é o ponto mais relevante a que cheguei com este estudo?

_________________________________________________________________________

 

Assista o comentário clicando aqui.

Vídeos sobre   capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples

Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira O decreto dominical O alfa e o ômega Como é fácil enganar!      

 

Vídeos sobre saúde   integral de palestras proferidas pelo Dr. Rogerio Frossard

 

Título

Duração em minutos Gb e link

O funcionamento do   corpo humano

42:17

1,82

Os desafios da   saúde na sociedade moderna

54:34

2,33

Saúde integral I

39:19

1,67

Saúde integral II

28:02

1,19

Saúde integral III

30:25

1,29

Saúde diária I

48:59

2,09

Saúde diária II

46:48

2,00

O funcionamento do   corpo I

45:01

1,92

O funcionamento do   corpo II

45:43

1,95

Dieta saudável I

40:19

1,72

Dieta saudável II

25:26

1,08

 

estudado e escrito entre:  1º e 08/11/2013

revisado em:  12/11/2013

corrigido por: Jair Bezerra

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

2 comments for “Lição 11 – Nossa mensagem profética

  1. NEIDE RODRIGUES DA SILVA
    dezembro 13, 2013 at 5:35 am

    Amei este link. É muito informativo e claro. Qualquer pessoa pode entender. Que Deus continue iluminando este servo.
    Eu que agradeço irmã Neide, que DEUS sempre esteja contigo e teus familiares.

    • Sikberto Marks
      dezembro 13, 2013 at 7:57 am

      Olá Neide
      Muito obrigado e que DEUS sempre esteja contigo e com teus familiares.

Add Comment Register



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *