Lição 12 – O conflito cósmico sobre o caráter de DEUS

Print Friendly

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Quarto Trimestre de 2013

Tema geral do trimestre: O Santuário

Lição 12 – O conflito cósmico sobre o caráter de DEUS

Semana de  14 a 21 de dezembro

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário é meramente complementar ao estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com - marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar: “Ouvi do altar que se dizia: Certamente, Ó Senhor DEUS, Todo-poderoso, verdadeiros e justos são os Teus juízos” (Apoc. 16:7).

 

Introdução de sábado à tarde

A justiça de DEUS tem três objetivos: a) Resolver o enorme problema causado pelo pecado e dar um final nessa história, para que nunca mais reapareça; b) Revelar que o caráter de DEUS realmente é amor e justiça, e que ambas as características podem coexistir perfeitamente no reino de DEUS, quer seja em tempos de absoluta obediência quer seja em tempos de pecado; c) Revelar a natureza de satanás, que ele está mentindo, é mentiroso e falso, e sua conduta não é confiável por ninguém, nem pelos seres bons, nem por aqueles que a ele se associaram.

“A família humana transgrediu a lei de Deus e Lhe desafiou a vontade. Essa lei revela ao mundo os atributos do caráter de Deus, e nem um jota ou til se pôde mudar dela para justificar a humanidade em sua condição caída. Mas Deus deu a homens e mulheres evidências inequívocas de que os ama, e de que a justiça é o fundamento de Seu trono e a evidência de Seu amor. Ele executou a penalidade da transgressão, mas permitiu que recaísse sobre um Substituto, seu próprio Filho unigênito” (CRISTO Triunfante, MM 2002, 278).

“Os princípios do caráter de Deus eram o fundamento da educação mantida constantemente diante dos anjos celestiais. Esses princípios eram bondade, misericórdia e amor. A luz manifesta devia ser reconhecida e livremente aceita por todos os que ocupavam um cargo de confiança e autoridade. Deviam aceitar os princípios divinos e convencer a todos os que se encontravam a serviço de Deus, mediante a apresentação da verdade, justiça e bondade, de que esse era o único poder a ser usado. Nunca deveria ser adotada a força” (CRISTO Triunfante, MM 2002, 13).

 

  1. 1.      Primeiro dia: Revolta no santuário celestial

A mais elevada criatura do Universo, Lúcifer, por algum motivo estranho, manifestou a vontade (atributo dado pelo Criador) de ser mais que DEUS, dando origem a uma revolta celestial. Ele sentiu inveja de CRISTO, semelhante a DEUS. Ele sentiu orgulho por seus dotes, que DEUS lhe dera; não os havia conquistado. Era assim elevado porque cuidava da adoração a DEUS bem como do louvor. Envolvido na adoração, aos poucos se imaginava sendo adorado, como se fosse DEUS. Não sabemos explicar, mas, enfim, nessa criatura da perfeição, líder entre os anjos, ele mesmo um anjo cobridor, aquele que assiste no lugar santíssimo, viu-se sentindo inveja do Ser Criador. Embora ele fosse o ser criado mais elevado, havia um abismo de qualidades e capacidades entre ele e o Criador, coisa que ele, devido a sua inveja e a arrogância que se formava, não pôde mais avaliar. Ele jamais poderia ser adorado como se fosse Criador, pois não havia como transformar uma criatura em DEUS. Jamais poderia ser DEUS, mas isso já não importava.

Começou sua campanha política celestial. Atacou a Lei de DEUS, isto é, o caráter do Criador. Essa foi uma revolta originada do lugar santíssimo do santuário celestial. O impacto de sua campanha foi impressionante. Muitos anjos lhe deram ouvidos, e entenderam que a sua argumentação era lógica. Ele dizia que a Lei de DEUS não era justa, e que era inviável. Desde a eternidade DEUS se revelava como um Criador de amor, que amava as Suas criaturas. E isso era muito bom, todos gostavam, os anjos amavam essa situação. Mas havia o outro lado do caráter de DEUS, a Sua justiça. Lúcifer e todos os anjos, bem como os outros seres inteligentes criados sabiam, por revelação, que o caráter de DEUS era amor mais justiça. Assim era a Lei de DEUS, que Ele mesmo seguia como líder Criador. Mas o grande argumento de Lúcifer era o seguinte: esse princípio do amor mais justiça é inviável. Não há como sempre DEUS ser os dois. Portanto, se tornava necessária uma reforma no governo celeste, e ele estava com o conhecimento para fazer essa reforma e inserir melhorias no governo celeste. Insinuava assim que ele merecia um lugar ao lado do DEUS Pai.

Os anjos deram ouvidos; afinal, a ideia vinha da criatura mais elevada, que assistia junto ao trono de DEUS. Como não dar crédito a alguém assim? As inovações propostas na Lei pareciam ser excelentes para aumentar a liberdade no Céu. Enfim, seres inteligentes como eles não necessitavam mais que o amor de DEUS, nunca da justiça, pois eram seres perfeitos. Por que a justiça para seres perfeitos, não basta o amor?

O que ele argumentava? O mesmo que argumenta ainda hoje, e sabemos o que é. Basta o amor, não precisa a justiça. Se todos se amam, para que a justiça? E se alguém errar, o amor perdoa, e está resolvido. Hoje é o que as igrejas propagam, basta o amor, não queremos a justiça, ela foi cravada na cruz. Isso foi abolido. Pregam os antigos argumentos de Lúcifer.

Então aconteceu no Céu o fato desencadeador de sua revolta. DEUS decidiu criar a vida no planeta Terra. Participaram do planejamento do planeta DEUS Pai, o ESPÍRITO SANTO e o Filho. Obviamente Lúcifer não foi convidado, e se sentiu excluído; achava que ele deveria fazer parte, pois tinha o apoio de uma grande parte dos anjos (era muito bem representativo). Foi então que aconteceu a guerra no Céu, Lúcifer e seus anjos contra JESUS, o Filho e Seus anjos. É evidente que a vitória foi da parte do Filho de DEUS.

Que coisa horrível aconteceu no Céu! Uma guerra, algo jamais imaginado. E foram expulsos. Nisso tiveram seus argumentos fortalecidos, pois estava ficando explícito que DEUS não poderia ser amor e justiça ao mesmo tempo. Ele não os perdoou, Ele os expulsou. Formava-se uma dúvida a respeito do caráter de DEUS no Universo. Ele não agiu dessa vez por amor, mas pela justiça. Assim pensavam, pois assim parecia. Mas eles não mereciam ali uma nova oportunidade, pois agiram conscientemente depois de muitos conselhos divinos sobre o caminho no qual enveredavam. A esta altura, o que queriam era poder, e a sede por poder corrompe. Estavam corrompidos, ao contrário do que aconteceu a Adão e Eva, que foram enganados, portanto, o amor os poderia perdoar.

Então ocorreu a primeira de duas quedas de Lúcifer, que se tornou satanás, a queda do Céu para a Terra. A sua segunda queda ainda está por ocorrer, será da Terra para o inferno, onde será extinto, para sempre, ele e seus seguidores. “Depois que Satanás foi expulso do Céu, decidiu estabelecer seu reino sobre a Terra. Por meio dele o pecado entrou no mundo, e pelo pecado, a morte. Dando ouvidos às suas falsas acusações contra Deus, Adão caiu de seu elevado estado e as comportas da miséria se abriram sobre nosso mundo” (CRISTO Triunfante. MM 2002, 19).

Foi na cruz que o mundo e o Universo entenderam que o caráter de DEUS, que é amor mais justiça, é perfeitamente viável e correto para governar o Universo. Ninguém esperava que o próprio Filho de DEUS viesse a esta Terra, Se tornasse um simples ser humano, e morresse em lugar dos seres humanos. Para isto JESUS teve que Se esvaziar de Suas prerrogativas divinas, e assumir a condição humana. Foi na cruz que o amor e a justiça se encontraram e mostraram que DEUS é perfeito e inquestionável.

Pelo amor que DEUS tem, muitos serão salvos, pela Sua justiça, o mal será extinto para sempre.

 

  1. 2.      Segunda: As acusações

Pode-se estudar, como na lição de hoje, quais as intenções de Lúcifer, agora satanás, ao fazer suas acusações. Vejamos alguns casos.

A Adão e Eva ele enganou. Fê-los pensar que DEUS estava escondendo alguma coisa muito boa deles, que se conhecessem, seriam bem mais completos. Ele insinuou que seria bem bom que eles conhecessem também o mal, não só o bem. E isso parece que pegou tão forte que hoje, muitos ainda vendem produtos, como filmes de cinema ou televisão, oferecendo sempre o mal junto. E isso atrai a curiosidade, e as pessoas assistem lixo, porque querem lixo. Lúcifer levou Eva a duvidar do caráter de DEUS, assim como conseguiu isso com muitos anjos. Talvez ela pensasse: ‘Como seria positivo conhecer o outro lado, o mal.’ Pois então bastava comer daquele fruto, e assim foi. Descobriram o mal, e também descobriram que ele nunca deveria ter sido descoberto.

Satanás havia plantado uma dúvida em Eva sobre o caráter de DEUS. DEUS estaria escondendo algo deles, algo muito bom, sensacional, que era o fascinante mal. Portanto DEUS não seria íntegro, mas parcial.

No caso do sacerdote Josué, satanás o acusava de muitos pecados. Nesse tempo já havia pecados, e o sacerdote era exatamente o intercessor pelos pecados do povo. Mas que intercessor DEUS tinha, que também cometia pecados, e estava sujo, imundo por causa deles? Queria ver o que o Senhor faria nesse caso (assim como queria ver o que o Senhor faria no caso de Jó). E DEUS providenciou outras roupas limpas para o sacerdote Josué, e o perdoou. Ao trocar suas roupas DEUS mostrou Sua justiça, que pode perdoar, e ao perdoar, DEUS demonstrou amor por Josué e Seu povo.

Os ataques de satanás são sempre de alguma forma contra o caráter de DEUS. Conseguisse ele provar isso e estaria com a vitória do seu lado. De tanto que tentou, e falhou todas as vezes, vem sendo derrotado em todas as vezes, mas nunca desiste. E qual seria sua outra escolha?

Como escrevemos ontem, o que satanás quer provar e não consegue é a impossibilidade do caráter de DEUS ser amor e justiça ao mesmo tempo. As acusações aqui na Terra são feitas nesse sentido. Ele quer dizer que as pessoas pecam por esse motivo, DEUS é exigente demais. E quando ocorre o pecado, então DEUS não consegue mais ser as duas coisas. No entanto, na cruz, JESUS estava pagando pelos pecados, justamente para poder perdoar. Derrotado ali, continua insistindo na mentira. É evidente que ele usa de sutilezas, de enganos, fazendo, por meio de muitas igrejas, parecer que adoram a DEUS enquanto tributam a ele, o inimigo de DEUS.

 

 

  1. 3.      Terça: Vindicação na cruz

A cruz é o centro da história da salvação. Nela tudo a respeito de DEUS se revelou. Se houvesse alguma dúvida a respeito do caráter de DEUS, foi na cruz resolvido.

Na cruz o caráter de DEUS foi vindicado. O que é vindicar? É recuperar, reclamar legalmente, defender, justificar, requerer reconhecimento, exigir restituição, reclamar justiça. Isso foi feito com o caráter de DEUS, vejamos como:

Havia alguma dúvida a respeito do caráter de DEUS. Seres perfeitos tinham reservas quanto à possibilidade de DEUS agir ao mesmo tempo por amor e por justiça. Parecia que satanás tinha razão: que em casos como o de Adão e Eva, ou DEUS perdoa e não mata, ou DEUS mata e não perdoa, isto é, ou DEUS age por amor ou DEUS age pela justiça. Como poderia DEUS agir por amor e por justiça, ao mesmo tempo, num mesmo caso? Parecia impossível!

De onde veio a possibilidade de DEUS agir nessas duas frentes, ao mesmo tempo? Veio da cruz. Por um único sacrifício. Como foi isso?

Na cruz JESUS fez o inimaginável. Ele, DEUS Se tornou um ser humano. Estava sujeito às restrições dos seres humanos, tinha que trabalhar, poderia adoecer, poderia sentir dores, e tudo o mais de um ser humano. Poderia até morrer.

Isso ninguém esperava, que Ele, o Rei do Universo viesse para esta Terra viver em humildade como um ser humano, e se expusesse às tentações de satanás. A execução da justiça que deveria cair sobre os seres humanos acabou sendo posta sobre JESUS, ou seja, Ele foi morto na cruz, e sofreu a morte eterna. Mas Ele ressuscitou desta morte para viver para sempre.

Aqui que está o segredo, a explicação de tudo. Aqui está a verdade: JESUS substituiu o ser humano na aplicação da justiça de DEUS. O que nós deveríamos ter sofrido, Ele foi quem sofreu. Houve uma substituição.

Então a justiça de DEUS não deixou de ser executada, mas redirecionada para outro ser, JESUS CRISTO. Por esse recurso DEUS não deixou de ser amor e justiça ao mesmo tempo, pois enquanto sofria injustamente, JESUS disse para todos ouvirem: “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem”.

 

  1. 4.      Quarta: Vindicação no juízo

Estamos na fase do juízo investigativo desde 1844. Depois dela vem a fase das pragas, que deverão durar provavelmente um ano. Então vem a segunda vinda de CRISTO que dá início ao milênio do povo santo no Céu, e de satanás com seus anjos, aqui na Terra.

Durante esses mil anos, na Terra satanás não terá nada para fazer, senão contemplar o fracasso de sua aventura. Nem ele nem seus anjos terão por esses anos algum ser humano para buscar seu apoio. Não haverá ser humano vivo aqui. Os que estiverem vivos estarão no Céu, os outros estarão aqui na Terra, porém, todos mortos. Aqui tudo terminou.

Mas na Terra haverá uma atividade, por parte de satanás. Será a atividade de reflexão. Vendo os resultados de suas mentiras, ele compara com o que imagina passar-se no Céu, entre os salvos. Ele que se acostumou tanto a enganar, não terá como tentar enganar, pois não haverá ninguém aqui para ser enganado. E no Céu ocorrerá o juízo judicativo, isto é, dos ímpios mortos e de satanás com seus anjos.

No final do milênio os ímpios terão sido julgados. Falta apenas aplicar a sentença. Quando isso for feito, antes um pouco do fim de todo mal, a começar por satanás, seus anjos e os seres humanos ímpios, dobrarão seus joelhos e admitirão que estão errados e que tanto a Lei de DEUS quanto a Sua justiça e o Seu amor são corretos e incontestáveis. Admitirão seu erro e sua derrota completa. Depois se levantarão para tentar tomar a cidade santa, mas nesse ato serão interrompidos para serem eliminados de vez. Os santos anjos não enganados, os outros povos de outros planetas, e os santos salvos da Terra também, todos, em unidade, com seus joelhos dobrados ao chão atestarão que DEUS é justo, bom e verdadeiro.

Desse ponto em diante nunca mais haverá motivo para duvidar do amor e da justiça de DEUS. O Seu caráter foi confirmado como sendo perfeito.

 

  1. 5.      Quinta: O espetáculo cósmico

“Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos Céus” (Mat. 5:16). Veja toda a situação. Tentemos descrevê-la. Houve acusação de Lúcifer contra DEUS, como já estudamos nesta semana e nas anteriores. Essa é também uma situação que precisa ser resolvida no Universo. Como é, afinal, o caráter de deus? É confiável, ou não é? Ele realmente serve para dirigir o que criou? Se não serve, quem poderia ser o Rei do Universo?

Ah, se DEUS não fosse confiável para ser o Rei do Universo, então estaríamos perdidos, pois outro não existe que possa ser. Aí se faz pertinente a pergunta de Pedro: “Senhor, para quem iremos?”.

É necessário provar perante o Universo que o único Ser capaz de dirigir é também o único confiável, que respeita a sua lei que é boa!

Essa comprovação, ou vindicação, somos nós que devemos propiciar. DEUS deve ser capaz de, mediante nossa vontade, nos transformar de seres imperfeitos para seres perfeitos, obedientes e espiritualmente saudáveis. Se DEUS fizer isso, Ele estará retirando pessoas do lodaçal do pecado para elevá-las ao estado de perfeição de Sua criação original. Então serão pessoas obedientes por livre e espontânea vontade, sem uso de força e sem constrangimentos. E DEUS está fazendo isso, veja: “O Senhor Jesus está provando os corações humanos, por meio da concessão de Sua misericórdia e graça abundantes. Está efetuando transformações tão admiráveis que Satanás, com toda a sua vanglória de triunfo, com toda a sua confederação para o mal, reunida contra Deus e contra as leis de Seu governo, fica a olhá-las como a uma fortaleza, inexpugnável aos seus enganos. São para ele um mistério incompreensível. Os anjos de Deus, serafins e querubins, potestades encarregadas de cooperar com as forças humanas, veem, com admiração e alegria, que homens decaídos, que eram filhos da ira, estejam por meio do ensino de Cristo formando caráter segundo a semelhança divina, para serem filhos e filhas de Deus, e a desempenharem um papel importante nas ocupações e prazeres do Céu.” (A Igreja Remanescente, 14; Vida e Ensinos, 208 – 209, grifos acrescentados).

Assim sendo, somos espetáculo para o Universo. Olhares de todos os cantos da criação estão atentos para ver essa transformação ocorrendo. A comprovação feita na cruz, quando se provou que é para DEUS viável ser amor e justiça ao mesmo tempo, se completa ao transformar seres aviltados em seres perfeitos. Que eu e você sejamos uma prova do poder regenerador de DEUS, que Ele faz por meio de Seu amor.

 

  1. 6.      Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:

a)      Síntese dos principais pontos da lição

  • Qual o foco principal?

O ataque de Lúcifer, o mais alto ser criado por DEUS, o mais honrado, foi contra o caráter de DEUS. Dizia que a Sua lei não poderia ser obedecida em todas as circunstâncias, pois não havia como, sempre, DEUS ser amor e justiça ao mesmo tempo. Essa foi uma filosofia nova no Céu, que embaralhou a mente de um terço dos anjos. E era palavra contra palavra. Uns diziam que DEUS podia ter ambas as características, outros entendiam que isso era impossível. Até então tudo funcionava perfeitamente bem, pois jamais se haviam formadas as condições em que fosse impossível DEUS ser as duas características. Então, quando Lúcifer foi expulso do Céu, ele teve os fatos que necessitava para seus argumentos: ou DEUS perdoava Lúcifer e não seria justiça, ou DEUS o castigava e não seria amor. Esse argumento se fortaleceu com o pecado de Adão e Eva, mas caiu quando JESUS amou até a morte, na cruz, para perdoar os pecadores.

  • Quais os tópicos relevantes?

DEUS pode perdoar (isto é, ser amor) sem deixar de ser justo (requerer a obediência à Sua Lei pelo fato de que JESUS carregou sobre Ele os nossos pecados. Um outro pagou por tudo, e isso permite DEUS ser justo e amor ao mesmo tempo. Satanás ficou desmascarado em suas mentiras.

  • Você descobriu outros pontos a acrescentar?

_________________________________________________________________________

 

b)      Que coisas importantes podemos aprender desse estudo?

Que DEUS é bondoso e misericordioso sem no entanto deixar de ser exigente no cumprimento de Sua Lei, que é amor mútuo.

  • Que aspectos posso acrescentar a partir do meu estudo?

_________________________________________________________________________

 

c)       Que providências devemos tomar a partir desse estudo?

Devemos continuar amando mesmo que os outros nos ofendam e nos prejudiquem. Devemos ter o mesmo caráter de DEUS, mesmo que sejamos injustiçados. E confiar sempre em DEUS.

  • O que me proponho a reforçar, se for bom, ou mudar se for mau, em minha vida?

_________________________________________________________________________

 

d)     Comentário de Ellen G. White

“De que maneira Se reconcilia Deus com o homem? Pela obra e os méritos de Jesus Cristo, que… pôs de parte tudo quanto poderia se interpor entre o homem e o amor perdoador de Deus. A lei transgredida pelo homem não foi mudada a fim de ir ao encontro do homem em sua decaída condição, mas se manifesta como o transcrito do caráter de Jeová – o expositor de Sua santa vontade – e é exaltada e ampliada na vida e no caráter de Jesus Cristo. Todavia é provido um meio de salvação; pois o imaculado Cordeiro de Deus é revelado como aquele que tira o pecado do mundo. Jesus está no lugar do pecador, e toma a culpa do transgressor sobre Si. Olhando ao Substituto e Fiador do culpado, o Senhor Jeová pode ser justo, e ainda justificador daquele que crê em Jesus. Ao que aceita Cristo como sua justiça, como sua única esperança, é dado o perdão; pois Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo. A justiça, a verdade e a santidade de Cristo, aprovadas pela lei de Deus, formam um conduto pelo qual pode ser comunicada a misericórdia ao pecador arrependido e crente” (Filhos e Filhas de DEUS, MM 1956, 239).

 

e)      Conclusão geral

“A graça de Cristo e a lei de Deus são inseparáveis. Em Jesus a misericórdia e a verdade se encontraram, a justiça e a paz se beijaram. Em Sua vida e caráter Ele não só revela o caráter de Deus, mas a possibilidade do homem. Era Ele o representante de Deus e o exemplo da humanidade. Apresentou ao mundo o que a humanidade poderia tornar-se quando, pela fé, unida à divindade. O Filho unigênito de Deus tomou sobre Si a natureza do homem, plantando Sua cruz entre a Terra e o Céu. Pela cruz o homem foi atraído para Deus, e Deus para o homem. A justiça transferiu-se de sua elevada e respeitável posição, e as cortes celestiais, os exércitos da santidade, achegaram-se à cruz, prostrando-se com reverência; pois junto da cruz foi satisfeita a justiça. Pela cruz o pecador foi atraído para fora da fortaleza do pecado, da confederação do mal, e a cada nova aproximação da cruz seu coração se abranda e em penitência ele brada: “Foram meus pecados que crucificaram o Filho de Deus.” Junto da cruz abandona ele seus pecados, e pela graça de Cristo transforma-se o seu caráter. O Redentor ergue do pó o transgressor e coloca-o sob a guia do Espírito Santo” (Mensagens Escolhidas, v.1, 349).

  • Qual é o ponto mais relevante a que cheguei com este estudo?

_________________________________________________________________________

 

Assista o comentário clicando aqui.

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples

Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira O decreto dominical O alfa e o ômega Como é fácil enganar!      

 

Vídeos sobre saúde integral de palestras proferidas pelo Dr. Rogerio Frossard

 

Título

Duração em minutos Gb e link

O funcionamento do corpo humano

42:17

1,82

Os desafios da saúde na sociedade moderna

54:34

2,33

Saúde integral I

39:19

1,67

Saúde integral II

28:02

1,19

Saúde integral III

30:25

1,29

Saúde diária I

48:59

2,09

Saúde diária II

46:48

2,00

O funcionamento do corpo I

45:01

1,92

O funcionamento do corpo II

45:43

1,95

Dieta saudável I

40:19

1,72

Dieta saudável II

25:26

1,08

 

estudado e escrito entre:  08 e 14/11/2013

revisado em:  15/11/2013

corrigido por: Jair Bezerra

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

Add Comment Register



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *