Lição 13 – A redenção

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Primeiro Trimestre de 2016

Tema geral do trimestre: Rebelião e redenção

O amor verdadeiro deve ser uma iniciativa de cada pessoa, nunca uma obrigação imposta por poder ou iniciativa externa. Exemplificando, digo que amo minha esposa. Será amor real se de fato esse for o meu pensamento genuíno. Mas não será real, nem autêntico, se o amor que tenho por ela for imposto por outra pessoa, o pai ou o sogro, ou outra pessoa. Temos que ser livres para amar, ou para deixar de amar. Obviamente, quando existe genuíno amor, nunca se deixa de amar.

O amor entre as pessoas não é apenas um sentimento de boas práticas para com elas. É uma disposição incondicional de querer o bem às pessoas, e de fazer qualquer coisa que seja necessária para que as pessoas se sintam felizes, ou que tenham seus problemas resolvidos. E isso deve ser uma iniciativa da pessoa, uma iniciativa livre dela, sem imposição de outra pessoa, nem daquela a quem esteja dedicando seu amor.

Exemplo real de liberdade para a amar é JESUS. Na verdade, Ele poderia ter eliminado o primeiro casal, logo após o pecado. Estavam avisados das consequências de comer do fruto proibido, que o efeito seria a morte. Não seria ilegal tê-los exterminado. Porém, qual o pai ou a mãe que faria isso com seus filhos? Ninguém é frio a ponto de agir só pela justiça, nunca pelo amor. Então é que entra o amor de DEUS, o amor autêntico. Ele foi morrer em lugar de Suas criaturas, para ter o direito de perdoá-las e de tê-las consigo para sempre. Essa foi uma excelente ideia: pagar pelo pecador para poder perdoá-lo.

E a providência de solução para a questão do pecado foi tão bem organizada que todos reconhecerão a autenticidade da justiça e do amor de DEUS, e nunca mais outra vez o mal questionará o governo celeste.

 

  1. Primeiro dia: Satanás amarrado

Em Apocalipse 20:2 e 3 a Bíblia informa que satanás será preso por mil anos, durante o tempo em que os salvos permanecerão no Céu. Nesse tempo os salvos examinarão os livros dos perdidos. Não é para verificar se DEUS Se enganou em algum caso ou se houve alguma injustiça, mas por que DEUS é absolutamente transparente. Ele quer que todos os seres inteligentes tenham absoluta certeza de que foi feita justiça em todos os casos dos que se perderam. Esse julgamento oportunizará debates sobre a vida na Terra, momentos em que ocorrerá grande aprendizado sobre os inconvenientes da rebelião e do pecado.

Durante esse tempo, satanás e seus anjos estarão presos na Terra. Essa prisão não é ficar enclausurado em quatro paredes. A prisão é no planeta. Ele e seus anjos não terão nenhuma das seguintes possibilidades:

  1. Ir a algum outro planeta para recomeçar o conflito por lá;
  2. Ir ao Céu como príncipe desse mundo para acusar os salvos ou interferir no julgamento em andamento por lá;
  3. Durante esse tempo ninguém terá oportunidade de defesa;
  4. Enganar seus próprios anjos mais uma vez, pois nada muda para eles;
  5. Tentar e enganar pessoas, pois estarão mortas.

O principal ponto é o seguinte: Satanás é o pregoeiro da imortalidade da alma. Ele diz ao mundo todo que ninguém morre. Portanto, ele agora tem milhões de mortos na Terra, e não poderá falar com quem quer que seja. Onde fica, então, a sua mentira de que não há morte? A que amarga situação o levou sua mentira mais poderosa!

Outro ponto vital é que esses mortos já foram enganados por ele, e estão perdidos, como ele, na Terra, enquanto outros, que deram ouvidos a JESUS, estão salvos no Céu. Isso causa um ódio indescritível em satanás. O seu exército é uma multidão de corpos apodrecendo pela face da Terra, saciando a fome das aves como os corvos e os urubus.

Portanto, estar preso, é não tem ninguém para enganar. Vai ter um milênio para refletir e sofrer com essa reflexão, sobre os seus atos e respectivas consequências. Vai sofrer de modo horrível. É o fim dele e de seus anjos.

Nesse tempo, satanás e seus anjos, os que se deixaram enganar por ele, terão tempo para brigas e conflitos terríveis. Eles se acusarão uns aos outros, e por certo, os anjos acusarão o demônio por sua sorte e destino, selado e determinado pela justiça divina, com base na lei de DEUS. Bem que eles poderiam estar junto ao trono de DEUS, com os salvos, mas estão aqui, nesse maldito planeta, esperando pelo fogo do inferno. Esse é um corredor da morte de mil anos, um ansioso e angustiante tempo de insuportável sofrimento. Eles não conseguem nem mesmo aplacar suas angústias por meio do trabalho de enganar os outros. Não há na Terra a quem possam enganar.

Ali estarão aqueles anjos-demônios que JESUS expulsou do homem de Gadara, e que entraram nos porcos. Ali estarão os maus anjos que JESUS expulsou do rapaz do pai suplicante, que os discípulos não conseguiram expulsar. Ali estarão os demônios que insuflaram a multidão contra JESUS para que fosse crucificado. E assim por diante. Cada um meditando e refletindo sobre sua vida passada, sobre as consequências de seus atos, vendo no chão, os ossos dos mortos cobrindo a Terra. As consequências de seus atos são morte e mais morte. Sim, a morte nesse tempo será a única companheira deles todos, e bem logo, ela será também a experiência de todos eles, dos anjos e de satanás. Isso não sem um terrível sofrimento pelo calor do fogo.

“A memória recorda o lar de sua inocência e pureza, a paz e contentamento que eram seus até haver condescendido em murmurar contra Deus e ter inveja de Cristo. Suas acusações, sua rebelião, seus enganos para ganhar a simpatia e apoio dos anjos, sua obstinada persistência em não fazer esforços a fim de reabilitar-se quando Deus lhe teria concedido o perdão – tudo se lhe apresenta ao vivo. Revê sua obra entre os homens e seus resultados – a inimizade do homem para com seu semelhante, a terrível destruição de vidas, o surgimento e queda de reinos, a ruína de tronos, a longa sucessão de tumultos, conflitos e revoluções. Recorda-se de seus constantes esforços para se opor à obra de Cristo, e para rebaixar cada vez mais o homem. Vê que suas tramas infernais foram impotentes para destruir os que depositaram confiança em Jesus. Olhando Satanás para o seu reino, o fruto de sua luta, vê apenas fracasso e ruína. Levara as multidões a crer que a cidade de Deus seria fácil presa; mas sabe que isto é falso. Reiteradas vezes, no transcurso do grande conflito, foi ele derrotado e obrigado a capitular. Conhece muito bem o poder e majestade do Eterno” (O Grande Conflito, 669).

 

  1. Segunda: Perguntas inquietantes

A destruição final da Terra será pelo fogo sim. Mas antes disso, já haverá o que poderíamos chamar de destruição prévia, a que ocorre por meio das pragas, que atingem as obras dos seres humanos. Resumindo, não são todas as pragas que destroem o planeta, mas a segunda, terceira, quarta e sétima. Quatro das sete pragas exercem poder destrutivo. A segunda e a terceira arruínam o sistema de navegação e de geração de energia elétrica necessária para o funcionamento do planeta. A quarta praga arruína com todas as plantas que existem no planeta. E a sétima praga, destrói as cidades, as construções e toda obra dos seres humanos.

Por sua vez, o milênio sem seres humanos por aqui, faz também sua destruição, por degeneração da ação do tempo. O que sobrou de aço, por exemplo, enferruja e tudo o mais se deteriora durante esse longo tempo. Por certo aqui continuarão os terremotos, cada vez mais intensos e fortes. Também devemos imaginar grandes catástrofes, vendavais hoje impensáveis, tsunamis, tempestades de ventos, granizo e raios como hoje não se vê, e assim por diante. A Terra sofrerá fortemente a fúria da natureza durante esse tempo. A deterioração natural da Terra continuará sem a menor interferência de DEUS para amainar. O coitado do planeta seguirá piorando o curso natural, efeito da ação do pecado que reinava aqui durante os seis mil anos anteriores. Tentem imaginar o efeito das pragas e do que vai ocorrer aqui, resultante no final do milênio: uma Terra “sem forma e vazia”, como antes da criação? Não, mas uma Terra “sem forma e vazia”, cheia no entanto de entulho, de lixo, de destroços deteriorados, sobre a superfície e também muita coisa enterrada. A Terra será um grande cemitério de mortos deteriorados e de restos destruídos das obras dos homens comandados pelo demônio.

Inclusive haverá restos das obras do bem, que nesse tempo já não servem mais para nada. Por exemplo: muitos templos onde pessoas foram batizadas, muitas casas onde ocorreram pequenos grupos e que serviram para a salvação de pessoas, tudo estará destruído. Essas obras do bem estarão destruídas como as demais, não terão mais utilidade alguma, pois os que desejaram a salvação já estarão salvos, para sempre.

Repetimos, será em meio a esse caos, uma Terra sem forma, vazia de gente, mas cheia de destroços, um cemitério do mal e da morte, que estarão vivos, satanás e seus anjos. Imagino-os sentados, cotovelos nos joelhos, cabeça baixa, remoendo sobre a situação a que chegaram. Duro resultado, e sendo contemplados pelo Universo – que vergonha. A essa altura dos acontecimentos, transcorrendo o julgamento dos ímpios, dos anjos de satanás e dele mesmo, não haverá criatura viva, nem entre as hostes de satanás, nem entre os seres fiéis a DEUS, que ainda tenha alguma dúvida sobre quem é mau e quem é bom, entre satanás e DEUS.

Uma questão que se levanta e que é deveras interessante: vai ser esse cemitério de lixo do pecado que o Salvador do mundo, por meio do fogo e de Seus atos recreativos, transformará em uma Terra linda tal como foi na criação original. E vai tornar no centro do Universo, pois será daqui que Ele governará tudo o que criou no passado, e o que ainda criará no futuro.

 

  1. Terça: Juízo final

Hoje estudaremos sobre os mil anos, no Céu. Durante esse tempo ocorrerá o juízo confirmativo, como já vimos. Os ímpios serão novamente julgados, pois estão mortos porque já foram julgados por DEUS e Seus anjos. Dessa vez, no milênio, serão julgados, pelos seus conhecidos, do tempo de vida na Terra. DEUS já os condenou, por isso eles estão mortos sobre a Terra, onde está também satanás. Os santos examinarão, nome por nome, caso a caso, para verificar por que se perderam. Essa é uma parte do julgamento que garante a transparência do que DEUS já julgou e decidiu. Não existe possibilidade de DEUS ter-Se enganado em Sua decisão de juízo, e nem é isso que será conferido. Como dissemos, a participação dos milhões de salvos em examinar os livros é para que no futuro ninguém tenha razão para levantar alguma observação sobre esse juízo. É assim que DEUS está agindo para que “o mal não se levante a segunda vez”. E certamente os seres inteligentes do Universo acompanharão esse julgamento, como já devem ter acompanhado o que DEUS já terá feito. Tudo totalmente transparente, nada com a menor fagulha de fazer algo escondido ou secreto. Governos hoje estão tentando ser transparentes, por meio de “portais da transparência”. Imagine então, como é confiável o reino de DEUS.

Todo ser inteligente, de todos os lugares do Universo, seja anjo, sejam seres como nós, incluindo satanás e os seus anjos, incluindo os salvos e os perdidos, após a ressurreição depois do milênio, tendo satanás cercado a cidade santa para tentar tomá-la à força, levantando-se o trono branco do rei do Universo, tendo o Rei pronunciado o juízo sobre cada um, mediante as provas incontestáveis, todo ser inteligente proclamará que DEUS é justo. Os salvos dirão que foi pela morte de JESUS que foram salvos, eles mesmos não mereciam, e isso é verdade. Os perdidos admitirão que sua morte eterna, por condenação, é correta. Os anjos maus não contestarão, também concordarão quanto à justiça de DEUS. Até satanás, pela primeira vez em todo esse tempo de rebelião contra DEUS, admitirá que Ele é justo, correto e santo, e que seu castigo é legal e merecido.

Um grupo contestará, por um tempo. É o grupo dos falsos pastores, de muitas, ou de todas as igrejas, e dos falsos mestres. O caso destes está relatado em Mateus 7:22 e 23. Eles argumentarão que profetizaram em nome de JESUS, expulsaram demônios em Seu nome, e fizeram muitos milagres. A resposta será: nunca vos conheci. Eles verão sua vida, os ensinamentos errados e também os corretos, o seu mau testemunho, etc. Então até estes admitirão que sua condição de condenação é justa. Está em Filip. 2:9 a 11.

 

  1. Quarta: Novo Céu e nova Terra

O que escreveremos aqui, sobre aquilo que os olhos não viram, e não esteve nunca na imaginação da mente humana? Quem sabe se recorrermos a algumas citações de Ellen G. White, tenhamos alguns vislumbres a mais, sobre o que nos é impossível sequer imaginar.

“E vi um novo céu e uma nova Terra. Porque já o primeiro céu e a primeira Terra passaram, e o mar já não existe. Apoc. 21:1.

“O Céu é uma escola; o campo de seus estudos, o Universo; seu professor, o Ser infinito. Uma ramificação desta escola foi estabelecida no Éden; e, cumprindo o plano da redenção, reassumir-se-á a educação na escola edênica. …

“O profeta de Patmos assim descreve a localização da escola do além:

“”Vi um novo céu e uma nova Terra. Porque já o primeiro céu e a primeira Terra passaram. … E eu, João, vi a Santa Cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do Céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido.” Apoc. 21:1 e 2. …

“A concessão da árvore da vida, no Éden, era condicional, e finalmente foi retirada. Mas os dons da vida futura serão absolutos e eternos. …

“Restabelecidos à Sua presença, de novo os homens serão, como no princípio, ensinados por Deus: “O Meu povo saberá o Meu nome, … porque Eu mesmo sou o que digo: Eis-me aqui.” Isa. 52:6. …

“Todos os tesouros do Universo estarão abertos ao estudo dos filhos de Deus. Com indizível deleite unir-nos-emos na alegria e sabedoria dos seres não caídos. Participaremos dos tesouros adquiridos através dos séculos empregados na contemplação da obra de Deus. E enquanto os anos da eternidade se escoam, continuarão a trazer-nos mais gloriosas revelações. “Muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos” (Efés. 3:20) será, para todo o sempre, a concessão dos dons de Deus. …

“O trabalho aqui é o preparo para o trabalho lá. O que hoje somos no caráter e serviço santo, é o prenúncio certo do que seremos. Educação, págs. 301, 302 e 307” (A Fé Pela Qual Eu Vivo, MM 1959, 360).

Por enquanto, o que podemos fazer é apreciar lindos cartões postais dos lugares mais belos do planeta. Esses lugares são lindos, sabemos disso, mas são pouco, ou quase nada, se comparados ao que veremos no lugar que JESUS já nos preparou. Aliás, teremos para ver, não só um planeta, mas o Universo inteiro. E iremos estudar sobre a maravilha da criação de DEUS durante toda a eternidade, e o assunto não se esgotará. Pois bem, como estaremos deslumbrados, por exemplo, daqui a um bilhão de anos de estudos? Nesse tempo a fronteira de assuntos para estudar somente se terá ampliado.

Como iremos entender um Ser infinito, por completo? Como iremos descrever os feitos de um ser assim? Ainda mais hoje, na situação em que nos encontramos, num mundo aviltado, destroçado, desgastado pela ação do pecado, em que estamos em meio a uma natureza aquém das belezas que DEUS criou originalmente. Só vendo para saber!

 

  1. Quinta: Não mais lágrimas

DEUS enxugará dos olhos toda lágrima, no final do milênio, depois da extinção dos ímpios e da purificação da Terra. Ele não vai passar um lenço nos rostos dos salvos. Nem precisará tocar seus rostos. Ele desfará as causas da dor, do sofrimento, da tristeza, do medo, da insegurança, da incerteza, do ódio, da doença, da morte, etc. Não vai mais haver motivo para o choro, só motivos para alegria e felicidade.

Importante, não teremos mais como assistir noticiários com notícias de pessoas sofrendo pelos mais diversos motivos. Veremos o que é um reino onde todos se amam. Será isso algo que hoje não podemos imaginar. Não há sequer como afirmar alguma coisa sobre a Nova Terra. É inimaginável! É supremamente superior a nossa melhor hipótese, que sempre seria influenciada pelas condições do pecado. Inclusive a profetiza do Senhor, Ellen G. White, disse que não devemos gastar tempo levantando especulações sobre como será a Nova Terra. “É presunção condescender com suposições e teorias a respeito de assuntos que Deus não tornou claros para nós em Sua Palavra. Não precisamos entrar em especulação quanto ao nosso estado futuro” (Medicina e Salvação, págs. 99 e 100).

“Os obreiros de Deus não devem gastar tempo especulando quanto às condições que hão de reinar na Nova Terra. É presunção ocupar-se com suposições e teorias relativamente a assuntos que o Senhor não revelou. Ele tem tomado todas as providências para nossa felicidade na vida futura, e não nos compete especular quanto a Seus planos a nosso respeito.

“Nem devemos calcular as condições da vida futura pelas desta vida” (Obreiros Evangélicos, 314).

Mesmo assim, algo foi revelado à profetiza do Senhor, e ela escreveu um pouco sobre esse assunto. Algumas linhas, mas que já nos fazem sentir vontade de estar lá.

“Foi-me revelada a glória do mundo eterno. Quero dizer-vos que vale a pena alcançar o Céu. Deve ser o objetivo de vossa vida habilitar-vos para o convívio dos remidos, dos santos anjos, de Jesus, o Redentor do mundo. Se tão-somente nos fosse dado uma visão da cidade celestial, nunca mais quereríamos habitar outra vez na Terra. Há belas paisagens na Terra, e deleito-me em todos esses aspectos de beleza natural. Associo-as com o Criador. Sei, porém, que se amo a Deus e observo os Seus mandamentos, há no Céu reservado para mim um inexcedível e eterno peso de glória.

“A Terra… purificada pelo fogo, será então muito mais bela. A relva será de um verde vivo, e nunca murchará. Haverá ali rosas e lírios, e todas as espécies de flores. Elas jamais ficarão definhadas, nem perderão sua beleza e fragrância.

“O leão, que aqui tanto precisamos respeitar e temer, deitar-se-á, então, com o cordeiro, e tudo na Nova Terra será paz e harmonia. As árvores da Nova Terra serão retas e altaneiras, sem deformidades.

“Os santos terão coroas de glória à cabeça e harpas de ouro nas mãos. Tangerão as harpas de ouro e cantarão do amor redentor, entoando melodias a Deus. Suas antigas provas e sofrimentos neste mundo serão esquecidos e se dissiparão entre as glórias da Nova Terra.

“Deixemos que tudo quanto é belo em nosso lar terrestre nos lembre o rio de cristal e os campos verdejantes, as árvores farfalhantes e as fontes vivas, a cidade resplendente e os cantores vestidos de vestes brancas de nosso lar celestial – aquele mundo de beleza que nenhum artista pode pintar, nenhuma língua mortal descrever.

“Representai-vos na imaginação o lar dos remidos, e lembrai-vos de que ele será mais glorioso do que o pode pintar vossa mais brilhante imaginação.

“A linguagem humana não é adequada para descrever a recompensa dos justos. Será conhecida apenas dos que a contemplarem” (Maranata o Senhor vem, MM, 1977, 353).

 

  1. Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Síntese dos principais pontos da lição
  • Qual o foco principal?

O foco principal certamente é a justiça de DEUS, Sua transparência, Seu amor. Ao final do milênio fica ratificado que DEUS é justo e amor ao mesmo tempo. Ele consegue ser isto, demonstrou na cruz e no juízo. Na cruz, JESUS, o Filho de DEUS demonstrou que ama até a morte; no juízo demonstrou que é justo, inocentando aqueles que aceitaram a intercessão da graça de JESUS e Seu perdão, e condenando os outros que preferiram permanecer em estado de rebelião, que terão a regalia dos seus casos revisados por outros seres humanos, observados por seres de todo o Universo. No final, tudo será relatado perante os salvos e condenados. Todas as criaturas, incluindo satanás e seus anjos, concluirão que DEUS é perfeito, justo e também que ama. Será impossível contestar a retidão do juízo e a amplitude do amor de DEUS! Como alguns terroristas de hoje, eles assumirão o fracasso da rebelião.

  • Quais os tópicos relevantes?

Primeiro, satanás ficará inativo durante mil anos, sem ter como acusar nem desencaminhar alguma criatura. Irá, por força das circunstâncias, refletir sobre as suas obras e os efeitos delas, a ele e a multidão de seres inteligentes criados por DEUS.

A Terra será toda purificada e recriada. Aqui será então o centro do Universo. Enquanto na Idade Média muitos sábios pensavam ser a Terra o centro, o que era uma falácia naquele tempo, depois do milênio se tornará verdade. E os salvos viverão no planeta em que serão instalados o trono de DEUS e a cidade santa, a capital do Universo.

Após o juízo final, nunca mais nós passaremos por motivos que nos levarão às lágrimas. Para sempre, só haverá motivos para sermos felizes. É como se diz nas histórias dos contos de fadas: “e foram felizes para sempre”. Só que, dessa vez, não será um mero conto, e sim, a pura realidade.

  • Você descobriu outros pontos a acrescentar?

_________________________________________________________________________

 

  1. Que coisas importantes podemos aprender desse estudo?

Podemos aprender que a Lei de DEUS, os Dez Mandamentos, é justa, que Seu amor é eficaz, e Ele mesmo, completamente confiável. Pelo Seu amor muitos foram salvos, e pela Sua justiça, todos aqueles que recusaram a salvação, foram condenados conforme seus atos e conforme a lei. Nada foi feito de modo ilegal, nem a salvação, nem a condenação.

  • Que aspectos posso acrescentar a partir do meu estudo?

_________________________________________________________________________

 

  1. Que providências devemos tomar a partir desse estudo?

Nesta semana, cremos que a fé se salienta. Podemos confiar em DEUS, pois todo amor necessário para nos salvar Ele possui, e já demonstrou na cruz. Cada um que for salvo, será por causa do amor de DEUS e cada um que se perder, será pela exclusiva decisão do próprio perdido.

  • O que me proponho a reforçar, se for bom, ou mudar se for mau, em minha vida?

_________________________________________________________________________

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“”E aquele sobre quem ela cair ficará reduzido a pó”. O povo que rejeitou a Cristo, teria de ver em breve destruídas sua cidade e nação. Sua glória seria despedaçada, espalhada como o pó diante do vento. E que foi que destruiu os judeus? Foi a rocha que, houvessem eles edificado sobre ela, teria sido sua segurança. Foi a bondade divina desprezada, a justiça maltratada, e menosprezada Sua misericórdia. Os homens deliberaram opor-se a Deus, e tudo quanto teria servido para sua salvação foi voltado para sua destruição. Tudo quanto Deus ordenara para vida, acharam ser para morte. Na crucifixão de Cristo pelos judeus, estava envolvida a destruição de Jerusalém. O sangue derramado sobre o Calvário, foi o peso que os fez abismar na ruína para este mundo e o mundo por vir. Assim será no grande dia final, quando o juízo cair sobre os que rejeitam a graça divina. Cristo, para eles a pedra de escândalo, aparecer-lhes-á então como vingadora montanha. A glória de Seu rosto, que para os justos é vida, será para os ímpios um fogo consumidor. Por causa do amor rejeitado, da graça desprezada, será destruído o pecador” (O Desejado de Todas as Nações, 600).

 

  1. Conclusão geral

“Os tremendos assuntos da eternidade exigem de nós algo mais que uma religião imaginária. Uma forma de culto majestosa e altas cerimônias devocionais não constituem luz para o mundo; e, todavia, a verdade que é contemplada e admirada assim como um belo quadro ou uma linda flor, e não é levada ao santuário interior da alma, é considerada por muitos como tudo quanto se requer do adorador. …

“Seremos salvos eternamente quando entrarmos pelas portas para a cidade. Então poderemos nos regozijar de estar salvos, eternamente salvos. Até então, porém, precisamos atender à exigência do apóstolo, e temer “que, porventura, deixada a promessa de entrar no Seu repouso, pareça que algum de vós fique para trás” (Heb. 4:1). Ter certo conhecimento de Canaã, cantar os hinos de Canaã, regozijar-se na perspectiva de entrar em Canaã, não levou os filhos de Israel às vinhas e olivais da terra prometida. Eles só os podiam tornar realmente seus pela ocupação, cumprindo as condições, exercendo fé viva em Deus, apoderando-se de Suas promessas” (Para Conhecê-Lo, MM 1965, 162).

  • Qual é o ponto mais relevante a que cheguei com este estudo?

_________________________________________________________________________

 

Assista o comentário clicando aqui.

Lição em espanhol: www.escuela-sabatica.com/comentarios.html

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira Como é fácil enganar! As 4 primeiras pragas, enfoque econômico

 

 

estudado e escrito entre: 12  e  18/02/2016

corrigido por Jair Bezerra

 

 

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

 

2 comments for “Lição 13 – A redenção

  1. Vander
    Março 19, 2016 at 3:59 pm

    Prof. Sikberto,

    Deus seja louvado pelo dom maravilhoso que te deu em escrever numa linguagem tão facil de entender. Vejo seus comentários a mais de 13 anos e como aprendo com estas inspiradas licões!
    Que Deus continue te usando até Jesus voltar.

    • Sikberto Marks
      Março 22, 2016 at 3:13 pm

      Muito obrigado, meu irmão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *