Lição 5 – Vivendo para DEUS

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Segundo Trimestre de 2017

Tema geral do trimestre: “Apascenta as Minhas ovelhas”: 1 e 2 Pedro

Lição 5 – Vivendo para DEUS

Semana de 22 a 29 de abril

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar:Os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os Seus ouvidos estão abertos às suas súplicas, mas o rosto do Senhor está contra aqueles que praticam males” (1 Pedro 3:12).

 

Introdução de sábado à tarde

Nesta semana estudaremos o interessante assunto da transformação da vida depois da conversão. É um tema que por vezes requer que soframos um pouco, ou mais intensamente, justo por causa da mudança. Muitos tem de se separar de antigos amigos. Outros tem de deixar práticas de vida e atitudes, por exemplo, ir a bailes ou pertencer a alguma torcida organizada de futebol. Outros ainda terão de deixar a sociedade que os abrigava e tentar se inserir em outra sociedade, bem menos vibrante, mas mais aconchegante (nem sempre). E assim por diante. Muitas vezes é bem difícil deixar de ser mundano para ser um verdadeiro cristão, e percorrer um caminho bem estreito, quando o anterior era bem largo. A conversão, fique bem claro, não é só uma nova vida, é também uma vida de muitas renúncias e restrições.

E aqueles que enfrentam problemas no emprego? Muitos perdem seu emprego, e nem sempre conseguem algo bom como o que perderam. No Provai e Vede, sempre tudo dá certo, mas na vida real, as provações são duras e muitas vezes decepcionantes. Sei de casos em que as pessoas sofreram muito, ou ainda estão sofrendo dificuldades, embora não larguem de sua nova fé. Outros casos são menos traumáticos. Esse assunto é por certo importante a todos nós, pois, se não tivermos que enfrentar a situação, por certo algum amigo ou conhecido vai enfrentar, como é o caso dos estudantes e matérias e provas em dia de sábado. Eu mesmo perdi 2 anos no segundo grau por essa razão.

 

  1. Primeiro dia: Tendo o mesmo modo de pensar

“E, finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis. Não tornando mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo; sabendo que para isto fostes chamados, para que por herança alcanceis a bênção. Porque Quem quer amar a vida, E ver os dias bons, Refreie a sua língua do mal, E os seus lábios não falem engano. Aparte-se do mal, e faça o bem; Busque a paz, e siga-a” (1 Pedro 3:8-11).

Resumindo o que Pedro escreveu acima, diz Ellen G. White: “Aos obreiros que entram naquele campo, gostaria de dizer: Exercei fé em Deus; e no trato com os que não pertencem à nossa fé, manifestai em vossa vida a prática da verdade. Ao apresentar as doutrinas de vossa fé, empregai os persuasivos argumentos da Palavra de Deus, e fazei ver aos ouvintes não terdes o desejo de suscitar discussão com eles quanto a suas crenças, mas apresentar-lhes um “Assim diz o Senhor”. “Está escrito”,  eis o que era o poderoso apelo de Cristo em toda ocasião. Pregai com vossa vida a piedade prática da fé em que acreditais. Deixai ver que a verdade nunca degrada ao que a recebe, fazendo-o rude ou vulgar, ou irritado e impaciente. Tornai patente a todos vossa paciência, benevolência, longanimidade, brandura, compaixão e verdadeira bondade; pois tais graças são a expressão do caráter do Deus a quem servis” (Evangelismo, 399 e 400).

Isto quer dizer, viver segundo está escrito na Bíblia, segundo o exemplo de JESUS CRISTO, tendo para essa finalidade, junto conosco, o poder do ESPÍRITO SANTO.

Resumindo mais uma vez, com o exemplo de JESUS CRISTO: Ele veio para servir, não para ser servido. Ele amava as criaturas a tal ponto que deu a Sua vida por elas, para que elas tivessem vida eterna de volta.

Na comunidade, isto é, na igreja, ela inteira deve ser uma equipe, não um conjunto de facções conflitantes. Ministros não podem ter membros favoritos e outros que nem cumprimentam, como foi recentemente aqui em Ijuí. Com líderes assim, uma igreja se divide e as disputas são geradas. Ministros devem unir a igreja, nunca ter seu grupo de íntimos e os demais como se fossem gentios. Isso não é ter o mesmo modo de pensar numa igreja.

E o mesmo modo de pensar, e por certo de falar, implica na capacidade de diálogo construtivo, em que diferentes opiniões são apresentadas e na síntese delas harmoniza-se uma conclusão unânime. Porém, havendo favoritismos, jamais haverá harmonia. Nesses casos uns estarão, egoisticamente satisfeitos, e outros se sentirão desprezados, o que, quando acontece, é simplesmente lamentável. E os desprezados geralmente são os idosos, doentes, hospitalizados, desempregados, que tem problemas conjugais, que tem dúvidas, e assim vai. A harmonia na igreja depende, em muito, de seu líder maior. Pastores que são incapazes de elaborar estratégias para unir a igreja deveriam entregar as credenciais, ou tê-las requisitadas de volta, e jamais deveriam ser ungidos.

 

  1. Segunda: Sofrer na carne

Já debatemos esse assunto de hoje diversas vezes nessas lições. Mas sempre é bom revisar e relembrar.

Como somos salvos da morte por terem nossos primeiros pais pecado e nós termos herdado a natureza pecaminosa?

Isso é algo bem simples.

JESUS, aquele que era foco da inveja de satanás, quem o inimigo queria desbancar do trono e sentar-se em Seu lugar, Ele mesmo, e só poderia ser Ele, veio para morrer em nosso lugar, e assim possibilitar que fôssemos perdoados. Mas esse é um procedimento legal? JESUS morrer por nós e daí nos perdoar é algo aceitável? No reino de DEUS é aceitável, pois lá o princípio mais elevado é o amor. E esse é um ato de amor, logo, é legalmente legítimo perante o trono celeste. Ainda mais, quem veio morrer por nós não é um ser qualquer, JESUS é DEUS, divino, Criador, com todos os atributos da divindade, assim como o DEUS Pai e o DEUS ESPÍRITO SANTO, como estudamos nas lições do primeiro trimestre de 2017, portanto, DEUS não enviou alguém inferior, mas veio a própria divindade em forma de ser humano, arriscando tudo, por nós. Isso é aceitável! E tem mais uma coisa. JESUS foi o Ser desafiado por satanás, assim, sendo Ele divino, sendo Criador, e sendo o alvo do inimigo, somente Ele poderia vir morrer por nós.

Então, sendo morto em nosso lugar, por essa maneira se havia provido a nossa salvação. Como assim? Isso também é bem fácil de entender. Ele assumiu para Si os nossos pecados, ou melhor, os pecados que seriam cometidos por todas as pessoas que viessem a existir nesse planeta. Então, por aquele princípio do amor que já vimos, Ele pode nos perdoar, lógico, se desejarmos o perdão, e isso implica que não desejemos pecar mais, que desejemos a transformação e a santificação. Como já sabemos, somos seres livres, temos o livre arbítrio para decidir sobre a nossa vida, mesmo perante DEUS.

Agora, onde entra o batismo nessa história? O batismo é um ato simbólico. Ele simboliza que somos sepultados com JESUS, isto é, como se fôssemos Ele, com nossos pecados, assim como Ele foi pendurado na cruz cheio de pecados, os nossos. E simboliza que, quando saímos das águas, estamos limpos desses pecados. Logo o batismo de JESUS foi também todo simbólico e apenas ilustrativo, pois ali Ele não possuía nenhum pecado, mas os possuía (os nossos) quando foi para a cruz.

A morte de JESUS acarretou-Lhe grande sofrimento, o sofrimento pela culpa daqueles pecados que Ele assumiu. Ele sentia terrível tortura psicológica por causa da sensação de culpa e por causa da separação que aqueles pecados, repito, os nossos, provocaram entre Ele o DEUS Pai. O batismo simboliza também esse sofrimento, e de fato, quem opta por acompanhar JESUS, muito provavelmente irá também sofrer, mais que o normal que os seres humanos já sofrem. Tudo por serem cristãos que seguem a Bíblia.

Em síntese, o batismo significa uma declaração que daí em diante essa pessoa deseja ser um novo ser e levar uma nova vida, de transformação e santificação, não mais entregue às tentações e aos pecados.

 

  1. Terça: Renascido

O que muda na vida de uma pessoa que se converte? O que muda na vida quando nos reconsagramos? O que muda na vida quando nos reavivamos?

Muda muita coisa. Pedro fez uma relação de algumas mudanças que ocorriam naqueles tempos: cai fora a sensualidade, a bebedeira, as orgias, a idolatria, as glutonarias, etc.

Ou seja, a vida dessa pessoa se torna bem diferente. Há mudanças incríveis. Os amigos de então não servem mais, há um estranhamento da parte deles sobre o novo comportamento do convertido. Esse que se converteu tem vontade de trazer para a nova vida seus antigos amigos, mas isso nem sempre é fácil. O normal é que esses amigos queiram trazê-lo de volta aos velhos costumes. Há críticas e convites, há forte estranhamento.

Outra coisa terrível que muitas vezes acontece. O convertido retorna aos velhos costumes, não tanto pelos convites e pela pressão dos antigos amigos, mas pela ineficiência dos novos amigos, ou da falta deles. É frequente que o novo converso fique literalmente sem amigo algum. A vida frenética mundana foi substituída por outra vida, sem atividade alguma, sem visitas, sem festas, sem intensa amizade, apenas com três cultos semanais, muitas vezes que preenchem pouca coisa, ou como se sabe, sermões vazios de boa mensagem. Essa é frequentemente a realidade de um novo converso, uma luta para se manter na fé sem ninguém para o amparar, às vezes frequentando um grupo pouco dinâmico e pouco criativo, mas muito monótono. Essa é a realidade. Nesse sentido muitas coisas são feitas de improviso. Vi certa vez um ministro bem precipitado, após um batismo, indicar por nome, quem seria o padrinho de cada batizando. Ora, isso deve ser melhor planejado, não é assim no improviso que se trata de uma nova vida recém nascida. Como era de se esperar, não funcionou.

Essa é a dura luta de recém nascidos em JESUS.

Mas nesses dias modernos, as tentações deles são diferentes daquelas que Pedro enumerou. Há muito mais coisas que devem superar, e necessitam de muito mais apoio por parte dos que já estão na igreja para as superações necessárias.

Hoje podemos enumerar algumas atrações do mundo que devem ser deixadas para trás. Por exemplo: militância sindical e política; uso de drogas (além da bebedeira); o fumo; carnaval; filmes e vídeos violentos ou imorais; mau uso da internet; mau uso dos recursos da tecnologia de informática, como um smartphone; excesso de velocidade no trânsito; impaciência… a lista seria enorme para enumerar mais.

É bem mais difícil a um renascido viver como bom cristão hoje que naqueles tempos de Pedro.

“Mais cuidadoso preparo dos que se apresentam candidatos ao batismo, é o que se faz mister. Têm necessidade de mais conscienciosa instrução do que em geral recebem. Os princípios da vida cristã devem ser claramente explicados aos recém-convertidos” (Evangelismo, 308).

“Cristãos fiéis devem ter grande interesse em comunicar às almas convictas o conhecimento perfeito da justiça em Cristo. Se entre algumas delas prevalece o desejo de agradar a si próprias, os crentes sinceros devem vigiar sobre essas almas como os que devem dar conta delas. Não devem negligenciar o cuidado que lhes incumbe de instruir com fidelidade, ternura e carinho aos recém-convertidos, para que a boa obra não fique pela metade. A primeira experiência de tais pessoas deve ser legítima” (Evangelismo, 317).

“Os recém-chegados à fé devem receber um trato paciente e benigno, e é dever dos membros mais antigos da igreja cogitar meios e modos para prover auxílio, simpatia e instrução para os que se retiraram conscienciosamente de outras igrejas por amor da verdade, separando-se assim dos cuidados pastorais a que estavam habituados. A igreja tem responsabilidade especial quanto a atender essas almas que seguiram os primeiros raios de luz recebidos; e caso os membros da igreja negligenciem este dever, serão infiéis ao depósito a eles confiado por Deus” (Evangelismo, 351).

“Não é necessário que seja assim, uma vez que, em vez de longos sermões, seja ministrada sábia instrução aos recém-convertidos à fé. Ensinai-os dando-lhes alguma coisa a fazer, em qualquer ramo de serviço espiritual, para que seu primeiro amor não arrefeça, mas aumente em fervor. Fazei-os sentir que não devem ser carregados e apoiar-se na igreja; mas devem ter raízes em si mesmos” (Evangelismo, 356).

 

  1. Quarta: Pecados da carne

O DEUS de amor é também o DEUS da intimidade. O amor une os seres, une inclusive os animais. DEUS, que é constituído de três pessoas, é tão unido pelo amor que se comporta como um só. Os antitrinitarianos dizem não ser possível explicar como três são um. Ora, seria a mesma dificuldade de explicar como dois são um. Para formar uma sociedade DEUS parece que prefere três, não apenas dois. Assim, o governo do Universo é composto por três pessoas, o Pai, o Filho e o ESPÍRITO SANTO, que se constituem em DEUS. Cada um desses três é DEUS, e eles, no conjunto, são perfeitamente unidos como um só.

Quando DEUS criou, no Éden o homem e a mulher, naquele dia mesmo estabeleceu que fossem um casal, e que, assim, formassem uma família. Mas essa família, mesmo ainda sem terem filhos, não seriam apenas dois. Junto deles também estava DEUS, o amor, formando o elo de unidade para que eles fossem perfeitamente ligados entre si, e fossem felizes. Então a família humana não se compõe de apenas um homem e uma mulher, mas deve estar DEUS com eles, devem ter amor, e o amor vem somente de DEUS, e Ele queria que fossemos felizes. Só o seremos que Ele estiver conosco, se nosso corpo for o templo do ESPÍRITO SANTO.

Saiu um estudo, divulgado dia 20 de março, o Dia Internacional da Felicidade, uma lista dos dez países mais felizes do mundo. “Para marcar a data, o “Estudo Mundial sobre a Felicidade”, a edição 2017 de um relatório oficial divulgado em Nova York pela ONU, que apresenta a lista dos países mais felizes e os mais infelizes do planeta, numa pesquisa que envolveu 155 nações. O Brasil ficou na 22ª posição. O informe combina seis fatores: PIB per capita, expectativa de vida saudável, apoio social (ter alguém em quem confiar em momentos difíceis), ausência de corrupção no governo e nas empresas, liberdade social e generosidade (medida por doações recentes). Segundo a lista, os dez países mais felizes são, pela ordem: Noruega, Dinamarca, Islândia, Suíça, Finlândia, Holanda, Canadá, Nova Zelândia, Austrália e Suécia.” A fonte está aqui.

Esse estudo é confiável? Como que mediram a felicidade sem considerar a presença ou ausência de DEUS? Por que essa pergunta? Notou que sete dos dez países estão em negrito. Os negritos são meus. Esses são países que já aprovaram o casamento entre iguais. E estão entre os países mais felizes do mundo, duplas sem DEUS! Há duas hipóteses: ou de fato, o ser humano não necessita de DEUS para ser feliz, ou os que são cristãos não sabem ser cristãos, pois não são tão felizes. Algo está errado, ou na pesquisa, ou entre os cristãos, ou nos dois, ou seja, aqui no mundo está tudo errado.

Pois bem, esse é o contexto em que vivemos, um mundo dissoluto.

O que é dissolução e o que é concupiscência?

Pelo dicionário, dissolução é: “Rompimento de um acordo; ação de fazer com que alguma coisa fique sem efeito, nulo: dissolução de casamento, de união estável; extinção de algo: sociedade, organização ou grupo, pelo afastamento, ou separação, de seus participantes; dissolução do governo.”

E o que é concupiscência? “Anseio pelos prazeres sensuais; desejo sexual exagerado. Aspiração por satisfações sexuais; ganância por propriedades materiais. Desejo por bens materiais cuja existência se justifica no pecado original. Desejo libertino; lascívia carnal. Luxúria e desejos da carne, como carnaval.”

Diante das definições de Pedro, a tentação para a imoralidade em nossos dias é bem superior que naqueles tempos. Logo, nós, adventistas, não só devemos ser exemplos ao mundo, quanto a família que não se separa porque é feliz e saudável como também que devemos ser um povo superior quanto a qualidade de vida. Nós temos que ser referência ao mundo científico e social de um povo incomparavelmente mais avançado que todos os demais, por meio de princípios de vida superiores (mas não somos). Nós, povo de DEUS, na média somos um pouco melhores que os demais, tão pouco melhores que não chega chamar atenção do mundo científico, senão apenas da parte de alguns de nós, como os californianos na questão dos cuidados com a saúde. Não somos tão superiores a ponto de sermos, digamos, os melhores do mundo, em felicidade, em saúde e em comportamento familiar e sexual.

No aspecto sexual, diante da polêmica global de combate ao casamento, nós deveríamos ser uma espécie de paradigma ao mundo, um exemplo incontestável de superioridade. Os princípios e os conselhos a Bíblia nos dá, orientação não falta, contudo, quantas separações de casais há entre nós! Nem sempre por culpa do casal, mas geralmente de um deles. Falta, que sigamos a rigor, e que nosso corpo de fato seja a habitação preferencial do ESPÍRITO SANTO. Esse é um debate em que não deveríamos seguir a “lei do canalha” ou seja, fazer de conta que está tudo bem.

Ainda no aspecto sexual, pesquise no Google sobre a ‘identidade de gênero’, e vai ver bem sobre o que Pedro estava falando, projetado para os nossos dias. Segundo se pode ver, existem mais de 50 gêneros, além do masculino e feminino, para as pessoas escolherem o que preferem ser, preferência que pode ser alterada ao longo da vida. Nós, adventistas, deveríamos conhecer bem esse assunto por causa da educação de nossos filhos, dos jovens e das pessoas de todas as idades. Nas escolas de vários países, em especial daqueles que foram marcados em negrito, acima, a identidade de gênero é ensinada, e as crianças recebem cartilhas e livros promovendo essa ideia em nome do combate à homofobia. Creio que somos, quase todos, leigos quanto ao contexto em que vivemos, perdendo muitos dos nossos adolescentes e jovens para o mundo, sem ao menos entender bem o que se passa. É alta hora de acordar pois satanás está mais ativo que em todos os tempos anteriores.

 

  1. Quinta: O amor cobre tudo

O estudo de hoje é simples e de fácil compreensão, mas de difícil aplicação. Difícil não porque seja complexo, mas porque a nossa natureza é contrária ao amor.

Pedro hoje orienta basicamente quatro providências para uma vida em paz e em harmonia com os semelhantes: amor ao próximo; hospitalidade; servir uns aos outros e glorificar a DEUS em tudo. Essas são algumas, não todas, recomendações sobre como ser cidadãos do reino de DEUS. Quem pratica essas já faz bom trabalho junto com DEUS.

O que é o amor? Creio que já sabemos, é o princípio. Ele é o início de tudo, a base de todo o Universo, e o amor é DEUS. Como muito se costuma dizer, DEUS não tem amor, Ele é amor, Ele é a base de tudo no Universo. Esse é um ponto vital uma vez que o amor é a solução para todos os tipos de situações, boas ou ruins.

E o amor, como diz Pedro, e como é o título da lição de hoje, cobre multidão de pecados. Quem sabe se poderia dizer, o amor cobre todos os pecados. E o que isso quer dizer? Simplesmente que, pelo amor, tudo pode ser resolvido definitivamente. Cobrir pecados é o mesmo que dizer, solucionar problemas criados.

A hospitalidade, o servir e o glorificar a DEUS derivam do amor. Quem ama faz tudo isso e mais que isso. Por exemplo, servir é um procedimento normal do amor. JESUS veio para servir, não para ser servido. DEUS é o maior servo do Universo, Ele criou todo o Universo e é Ele quem o mantém, portanto, é o servo do Universo. Parece curioso para nós, o Criador, portanto o Dono, ser servo da criatura. Mas no contexto do amor isso é normal.

Servir é o oposto de chefiar. O servo sempre está pronto a ajudar. É humilde para esse fim. Servo no reino de DEUS não é um escravo ou um sobre quem todos dão ordens. No Céu não existe quem dá ordens, todos são servos, a partir de DEUS O Criador. DEUS não manda, Ele pede ou sugere, e quando Ele precisa fazer algo que use a força, isso é um ato estranho a Ele. Por exemplo, quando for extinguir pelo fogo, tal procedimento necessário não é algo normal para DEUS. Assim como Ele é servo de todos, também deseja que todos sejam servos uns dos outros. Para Ele normal é criar, não destruir. Quando todos são servos e ninguém é chefe, e isso só funciona em ambientes onde todos se amam, não há a menor possibilidade de ocorrência de problemas. Alguém poderia dizer, surgindo um problema, nesse ambiente seria facilmente resolvido. Mas não é assim, nesse ambiente não surgem os problemas, é um ambiente perfeito, e a perfeição é isso, um servo do outro em amor, assim como JESUS foi em vida aqui na Terra, como DEUS é para o Universo.

Então, para concluir o debate sobre o tema do dia de hoje, o amor cobrir multidão de pecados é algo que só se aplica aqui à Terra, pois só aqui há pecadores e pecados. Também foi só aqui que JESUS teve que vir morrer por seres criados. Depois, quando formos salvos, nunca mais o amor deverá cobrir problemas que surgirem, mas será o princípio da perfeição eternamente.

 

  1. Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Tema transversal (anterior foco, porém, com o cuidado de fazer uma ligação entre os assuntos diários, sempre que possível)

Pecadores somos todos. Nenhum de nós pode apontar o dedo a outra pessoa e condená-la. JESUS teria credibilidade para fazer isso, mas nem Ele o fez. Satanás faz isso costumeiramente, e não nos serve de exemplo, só JESUS é nosso exemplo. Por vezes temos que tratar dos pecados dos outros, há casos que se nada fizermos, quem está pecando nunca se libertará, ou então, ele serve de influência sobre outros. Esse é um problema que precisamos enfrentar com muito amor, como ensina a lição. Esse muito amor nos falta, e as situações que precisam ser resolvidas não são resolvidas, abrem-se novas feridas, e muitas vezes o problema se expande ou se aprofunda. Sei de um caso de uma pessoa que foi julgada na Comissão da igreja e essa pessoa não teve sequer oportunidade de se defender, de ser ouvida pela Comissão. Assim foi na Inquisição, mas não poderia jamais ser em nossa igreja.

Às vezes temos que ser durões, mas geralmente devemos ser misericordiosos, muitas pessoas, o que mais desejam é o perdão e um incentivo para não pecar mais. Mas quando os líderes da igreja logo condenam, o que fazem é incentivar aquele pecado. JESUS disse aos fariseus que eram hipócritas assim como disse à prostituta que fosse indo e que não pecasse mais. Os fariseus não estavam dispostos à mudança, a prostituta, o que queria naquele momento era deixar da prostituição.

 

  1. Aplicação contextual e problematização (aplicações possíveis dos assuntos aos cristãos na atualidade e identificação dos problemas que enfrentamos e indicativos de solução)

O grande desafio é: como lidar com o pecado do mundanismo que adentra livremente na igreja, para que essas pessoas que são mundanas se libertem e não se percam. De minha parte, creio que, em relação aos adventistas que estão há muito tempo na igreja, quase nada se possa fazer. Então que se deixe o joio fazer o que joio gosta de fazer, até o tempo da sacudidura. Mas, infelizmente, muitos outros se perderão pelo exemplo que esse joio está dando.

 

  1. Informe profético vinculado com a lição

“Estamos vivendo uma primavera”, diz Pastor valdense sobre Francisco. Há um entusiasmo no mundo com o atual papa. Ele está dando impulso sem precedentes ao Ecumenismo e ao Diálogo Inter-religioso. Está sendo considerado o “pároco do mundo”. É a quem milhões depositam esperança de um mundo melhor. Leia a matéria por esse link.

Vejam outros links interessantes, aqui, aqui e aqui.

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“O que Satanás planta no coração – ruins suspeitas, inveja, ciúmes, maledicência, impaciência, preconceito, egoísmo e cobiça – devem ser desarraigados. Se se permite que essas más qualidades permaneçam na alma, produzirão frutos pelos quais muitos serão corrompidos. Oh, quantos cultivam as venenosas plantas que matam os preciosos frutos do amor e debilitam a alma!” (O Lar Adventista, 196).

“Unicamente o amor que origina-se no coração de Cristo, pode curar. Unicamente Aquele, em quem flui esse amor, assim como faz a seiva na árvore e o sangue no corpo, poderá restaurar o coração ferido.

“O poder do amor possui força maravilhosa, porquanto é divino. “A resposta branda desvia o furor” (Prov. 15:1), “o amor é paciente, é benigno” (I Cor. 13:4); “o amor cobre multidão de pecados” (I Ped. 4:8) – sim, se aprendêssemos nessas lições, quão grande não seria o poder para curar de que seríamos dotados! Como se transformaria a vida, e a Terra se tornaria a própria semelhança e antegozo do Céu!” (Educação, 114).

 

  1. Conclusão

“Um cartão foi colocado diante de mim no qual estavam escritos em letras de ouro o capítulo e verso de cinquenta textos das Escrituras. Ao voltar da visão, solicitei por acenos a lousa, e nela escrevi que estava muda, também o que eu tinha visto e que eu desejava a Bíblia grande. Tomei a Bíblia e prontamente identifiquei todos os textos que eu tinha visto no cartão. Eu não pude falar durante o dia todo. Logo na manhã seguinte minha alma se encheu de alegria e minha língua foi libertada para proclamar os altos louvores de Deus. Depois disto não mais ousei duvidar do poder de Deus ou resisti-lo ainda que fosse por um só momento, não importando o que outros pudessem pensar de mim” (Primeiros escritos, 22 e 23, grifo meu).

 

Assista o comentário clicando aqui.

Lição em espanhol: www.escuela-sabatica.com/comentarios.html

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira Como é fácil enganar! As 4 primeiras pragas, enfoque econômico        

 

 

estudado e escrito entre:     15 a 23/3/2017

 

 

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

4 comments for “Lição 5 – Vivendo para DEUS

  1. Vera
    abril 23, 2017 at 7:56 am

    Bom dia, irmão!

    Por que não temos mais os vídeos das lições?

    Desejo que o irmão esteja bem, que o Senhor o abençoe com saúde e paz.

    Sua irmã em Cristo,

    Vera

  2. abril 24, 2017 at 9:41 pm

    que linda liçao foi essa de vivendo para Deus!!

  3. Sidimar de Oliveira Macedo
    abril 29, 2017 at 2:40 am

    Gostaria de receber o comentário da Lição da Escola Sabatina no email abaixo. Obrigado.

  4. Sete Samuel
    junho 8, 2017 at 10:49 am

    Obrigado pelos comentarios irmao em Cristo. Sete Samuel de Moçambique

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *