Lição 6 – Complemento

Print Friendly, PDF & Email

No deserto da tentação

 

Complemento à lição 6: O conflito no deserto

Baseado no livro “No deserto da tentação” de EGW.

O pecado é uma questão, em grande parte, de apetite e paixão. Adão, os antediluvianos, os israelitas no deserto, Davi, Salomão, e outros, caíram por uma dessas duas vias: apetite ou paixão. Satanás sabe dessas fraquezas, e cria as condições para que os seres humanos sejam influenciados por esses dois causadores de problemas.

JESUS, logo após ser batizado, teve a aprovação do Pai, com a declaração de ser Ele Seu Filho amado, que Lhe dava prazer. Foi dirigido ao deserto, a um lugar onde ninguém ainda havia pisado, para ali se preparar para a Sua missão, assim como outros já haviam sido preparados, como Moisés e o povo de Israel. Ele foi ao deserto para Se preparar para Sua missão. Nesse lugar, a temperatura de dia passa de 40 graus, podendo chegar a 50 graus, e à noite, pode chegar a -5 ou -10 graus. A sensação térmica é ainda pior. O clima é muito seco, os pulmões sofrem. A roupa logo suja com a arreia, e os cabelos fica desgrenhados. E como imaginar a aparência de alguém com 40 dias de jejum: coisa horrível. A dor que sente é indescritível. Ali há barulhos estranhos de dia e à noite animais fazem uivos horríveis.  Foi sem Sua glória e os pecados de todos os seres humanos, estavam sobre Ele. Devia lutar só, sem ajuda. Passou a sofrer tentações de satanás a partir do início (No deserto da tentação, 46). Satanás apareceu com um anjo de luz, enviado do Pai, para dissuadi-Lo de continuar o jejum. Dizia que o Pai já o havia aprovado, que não seria necessário continuar. Apenas nas últimas três tentações JESUS falou com o inimigo.

No quadragésimo dia, JESUS estava exausto, em agudíssimo tormento, esquelético (pele e osso), à beira da morte. Nesse tempo de jejum, uma pessoa não consegue por si se ajudar, não caminha e a mente está confusa ao extremo. Nessas condições Ele sofreu as três últimas tentações, pois o inimigo esteve com Ele, atormentando-O o tempo todo.

Após as tentações, quando o inimigo foi mandado embora, pois o limite da vida de JESUS chegara, Ele morreria em poucas horas, ou minutos, “CRISTO estava exausto e fraco. Caiu ao chão como se fosse morrer” (DT 66). Anjos vieram urgentemente para servi-Lo. Prepararam alimento e trouxeram mensagens do Pai. Ele jazia como morto.

Com a fome que JESUS estava, com o poder que possuía, com a mente em confusão, produzir um pedaço de pão seria a solução para não morrer ali mesmo, em instantes. Ante as palavras de satanás, “se Tu és o Filho de DEUS”, Ele respondeu que “não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai das boca de DEUS, referindo-Se às palavras de Seu Pai, quando dissera: “Tu és meu Filho amado, em quem Me comprazo.” No pináculo do templo, (seu telhado, e sobre o lugar santíssimo) JESUS estava em situação irregular. Sujo, esquelético, cabelos desgrenhados, com todos os pecados da humanidade sobre Si, o teste de se atirar seria importante para ser aprovado, na perspectiva proposta. Há minutos da morte, sem sinal do Pai ou de algum anjo do Céu, adorar a satanás para ter os reinos do mundo de volta, seria a solução desejável. Só mesmo com muita fé para esperar, mais um pouco, aproveitando os últimos suspiros de vida ainda no corpo.

Ele venceu!

1 comment for “Lição 6 – Complemento

  1. Alex
    Fevereiro 5, 2016 at 4:30 pm

    Parabéns Sikberto, Deus lhe abençoe por seus comentários. Que ele lhe dê mais sabedoria para que você a use para a obra de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *