Lição 8 – A igreja a serviço da humanidade

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Quarto Trimestre de 2012

Tema geral do trimestre: Crescendo em CRISTO

Estudo nº 08 –  A igreja a serviço da humanidade

Semana de  17 a 24 de novembro

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário é meramente complementar ao estudo da lição original

www.cristovoltara.com.br marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar: “Escrevo-te estas coisas, esperando ir ver-te em breve; para que, se eu tardar, fiques ciente de como se deve proceder na casa de DEUS; que é a igreja do DEUS vivo, coluna e baluarte da verdade” (Tim. 3:14 e 15).

 

Introdução de sábado à tarde

Meus bisavós vieram da Rússia, via Alemanha ao Brasil por volta de 1912. Já vieram de lá adventistas do sétimo dia. Não sei quanto aos tataravós, se já eram adventistas, não sei em que geração de ascendentes nossa família conheceu a verdade. Mas foi algo por volta da virada do século IXX para o século XX. É um privilégio? Não sei, mas certamente é uma responsabilidade pelo nome da igreja.

De uma coisa tenho absoluta certeza, pelo quanto já busquei conferir. Esta é a igreja verdadeira. Como diz a citação da lição de hoje, “enfraquecida e defeituosa”, mas é a verdadeira. Nem na IASD, nem em outra igreja desse mundo podemos encontrar um ser humano sequer que não cometa erros, sejam intencionais, sejam por descuido ou falta de conhecimento. Mas a IASD tem um comandante superior, JESUS CRISTO, que morreu pela humanidade. Foi Ele quem chamou os apóstolos. Ele é a pedra angular, os apóstolos os doze fundamentos. Ele foi quem inspirou os profetas para escreverem a Bíblia. E Ele foi quem escreveu os Dez Mandamentos. E esta igreja tem esses mandamentos, tem os Testemunhos, a Bíblia, e tem o Espírito de Profecia. Ela tem todas as características da igreja dos tempos finais, como Laudicéia e a necessidade de reavivamento e reforma.

Há outra igreja nesse planeta com tais características?

Pois bem, agora vem uma reflexão e gostaria que todos se ativessem com atenção. Esta Igreja Adventista do Sétimo Dia tem, em seu interior, grande quantidade de mau testemunho, em todos os níveis. Assim como também tem pessoas zelosas pelos antigos marcos que não se desviam nem para esquerda nem para a direita. Minha esposa, minha filha, meu genro e eu temos buscado ser destes. Pois bem, agora vem uma pergunta arrasadora: se esta igreja não tivesse esses maus testemunhos, muitas vezes motivos de escândalos, que são na verdade inimigos disfarçados dentro da igreja atacando a própria igreja, com seus maus costumes e influências negativas, se a igreja verdadeira não tivesse esses inimigos dentro dela, assim como tem fora dela, seria ela de fato a igreja verdadeira? Por ser a verdadeira, não atrai ela o ódio do inimigo para combate-la?

 

  1. 1.      Primeiro dia:  A natureza da igreja: parte 1

O que é a natureza de alguma coisa, especialmente de uma organização? É a essência motivadora de seu modo de agir. Ou seja, o motivo para que a tal organização existe.

A igreja de CRISTO existe não apenas para fins religiosos de pregação. Isso diz pouco. Ela existe para uma finalidade nobre, de impressionante repercussão eterna. A igreja que CRISTO fundou é como uma grande família onde todos se amam, portanto são unidos, e se reúnem para cultivar essa unidade como DEUS, por meio do aprendizado, do louvor, da adoração, buscando o fortalecimento mútuo, a manutenção da fé, cada um entendendo o que deve mudar para manter o foco na salvação em direção da vida eterna. Esse conjunto de coisas só faz sentido se o amor que na igreja se cultiva se expandir a pessoas de fora, atraindo-as para o ambiente saudável do reino de DEUS.

A igreja é uma sociedade onde se cultiva a cidadania não desse mundo, mas celestial.

Então, qual é a natureza da igreja? Essa pergunta ainda não foi respondida. Falamos na realidade da finalidade da igreja. Mas qual é mesmo a sua natureza?

A igreja tem a natureza de CRISTO. É simples assim. Toda organização, mesmo as dos homens como as empresas, tem a natureza de seus líderes. Muito mais ainda seria com a igreja, cujo líder é um Ser divino, não humano. JESUS é DEUS!

Temos que ter o cuidado de não confundir as coisas. Não confundir a liderança de CRISTO com a liderança dos homens. Estes são instrumentos nas mãos de CRISTO. Mas muitos deles são maus instrumentos, seja dita a verdade. Esses estorvam na igreja. No entanto, como Saul, são tolerados por CRISTO, pois até eles devem e merecem ter oportunidades para se arrependerem, apesar dos estragos que causam por sua atuação incoerente na igreja. É de se ter em mente que o joio não aparece somente entre os membros, mas também entre a liderança, e o efeito nesse caso é bem mais desastroso que se aparecesse somente entre os membros. O que estamos querendo dizer é o seguinte: por haver essas pessoas na igreja, isso não quer dizer que ela deixe de ser a verdadeira. É como disse o ex. Presidente Lula certa vez: “uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa” (muito redundante, mas serve para o nosso debate). Trato aqui esse assunto porque não são poucos aqueles que saíram da igreja em razão desses escandalosos irmãos e líderes. E sempre tendo em mente que não são todos.

Vamos ilustrar com um caso radical. Suponha, como muito falam por aí, que algum de nossos líderes, de alguma associação ou união, esteja negociando com as igrejas do movimento ecumênico, com intenção de se unir ou de levar alguma vantagem com isso. De minha parte não me preocupo em nada com isso, se for verdade, pois ele responderá, um dia desses, perante o líder máximo, e o custo da ousadia será terrível para ele. E que nós não venhamos a nos escandalizar e a nos perder por causa dele, isso seria absurdo. Judas foi um traidor, e analise o fim dele. É bom repetir, todos hoje tem oportunidades de se alinharem com JESUS CRISTO. Não será porque alguns membros ou líderes não seguem conforme deveriam que a igreja deixará de ser a verdadeira. E muito menos, é o caso de abandonar a igreja, e pior ainda, combate-la. Se a IASD é a verdadeira, é de se esperar que ela tenha poderosos inimigos em suas fileiras, muito bem disfarçados, que servem para denegrir a sua imagem e tentar impedir que ela ganhe o poder do ESPÍRITO SANTO. É bom que se saiba, esta igreja, hoje, nesses dias, está sendo muito mais combatida de dentro, de modo sutil, do que de fora. Essa situação se inverterá no futuro, após a forte sacudidura sai esse joio, fica só o trigo. Esse joio continuará a combater a igreja, mas então, de modo explícito, aliado com as forças externas hoje ainda bem discretas.

Então aqui fica um apelo: não há motivo para abandonar a igreja por esses maus testemunhos, pois são agentes de satanás tentando arruinar a igreja verdadeira, mas não conseguirão. Veja o que Ellen G. White previu a esse respeito (grifos acrescentados por mim): “Têm os homens tirado injusta vantagem sobre aqueles que eles supõem estarem sob sua jurisdição. Determinaram coagir os indivíduos; governariam ou arruinariam. …  O poder despótico que se tem desenvolvido, como se a posição tivesse feito dos homens deuses, faz-me temer, e deveria causar temor. É uma maldição onde quer e por quem quer que seja exercido” (Testemunhos Para Ministros, 359-361”  e Eventos Finais, 44).

“Na ausência da perseguição, têm entrado para as nossas fileiras homens que parecem sãos, de inquestionável cristianismo, mas que, caso surgisse a perseguição, sairiam de nós.” Evangelismo, 360. “Ao aproximar-se a tempestade, uma classe numerosa que tem professado fé na mensagem do terceiro anjo, mas não tem sido santificada pela obediência à verdade, abandona a sua posição, passando para as fileiras do adversário” (O Grande Conflito, 608).

Ora, não seja porque há inimigos na igreja que toda ela deixe de ser verdadeira. Eu e minha casa seguiremos o Comandante superior e atentaremos para os bons líderes, identificando-os e conhecendo-os pelos seus frutos. Os frutos são fáceis de ver, observando seu estilo de vida, de sua família, do automóvel, da alimentação, etc. E aqueles que saem por causa de escândalos da parte do joio, como perguntaram os discípulos a JESUS, tem que outra opção para ir? Há alguam organização aqui na Terra isenta desse tipo de problema?

 

  1. 2.      Segunda: A natureza da igreja: parte 2

Vamos então aprofundar sobre a natureza da igreja. Ontem dissemos que ela reproduz a natureza de seu comandante superior perfeito. Hoje veremos algo sobre o que isso implica.

Em primeiro lugar, a igreja de CRISTO não surgiu em 1844, com Laudicéia. Esse é um período da igreja. E é a sétima fase depois de CRISTO. A igreja representa o povo de DEUS aqui na Terra, portanto, ela é a continuidade de situações anteriores que identificavam um certo grupo de pessoas como povo de DEUS. O povo de DEUS começou com Adão e Eva, continuou com os filhos de DEUS descendentes desse casal. Depois, DEUS chamou Noé, e o povo de DEUS resultou em apenas oito pessoas por algum tempo. Mais tarde DEUS chamou Abrão e sua esposa para darem continuidade a esse povo por meio de um descendente, Isaque, mas também havia pessoas seguidoras de DEUS além dessa família. Dos descendentes de Jacó, que era Israel, formou-se o povo que deveria ser exemplo de adoração ao mundo, dentro o qual veio JESUS, que deu início a Igreja cujo fundamento é o próprio CRISTO.

Acabo de receber um e-mail, um pouco antes de escrever essa parte do comentário. Nele havia uns escritos chamando a Igreja Adventista de apóstata. Isso mexe comigo. Jamais aceitarei que tais inimigos me influenciem, e escrevo esses comentários sem maquiagem para exatamente, vendo a realidade de nossa querida igreja, não transformá-la no que ela não é. Ela não é a instituição de satanás, e se fosse, DEUS teria que estar amargando agora uma derrota. Isso é inadmissível! Ela também não é perfeita no que tange aos elementos humanos. Quanto a isso, ilude-se quem espera a perfeição da parte dos líderes. Isso também é impossível. A igreja não é dirigida por anjos, mas por homens que falham como todo pecador. Eles precisam ser aconselhados e até repreendidos. Escrevo esses comentários bem realistas, detesto aqueles que só destacam o que é positivo, pois eles enganam. Não sei de onde aprenderam isto, não foi de JESUS, nem dos profetas e nem de Ellen G. White. Na Bíblia não encontramos apenas coisas positivas sobre o povo de DEUS e sobre seus servos, nem JESUS escondeu os negativos. Portanto, fique explicitado para sempre, se alguém ainda pensa que, por ser eu realista, nem pessimista e nem otimista, que possa me conquistar para militar contra a nossa Igreja Adventista do Sétimo Dia, não conseguirá. Jamais, fique claro. E convido a outros, os que por ventura tenham fraquezas e se influenciem pelos inimigos da igreja na igreja, cuidem-se para não caírem juntos para a perdição eterna. E os que estejam lendo este comentário, e que estão achando que esta igreja não é mais a igreja de CRISTO, por favor, voltem atrás dessa posição, pois estão num caminho sem volta que se chama “pecado contra o ESPÍRITO SANTO”. Me perdoem a franqueza, se estas palavras não salvarem nenhum dos que nos combatem, talvez sirvam ao menos para que outros não caiam na mesma vala da morte eterna. Agora quase me sinto como Paulo ao escrever aos Gálatas. Estamos nos dias decisivos para os membros de nossa igreja, de permanecer ou de se evadir. Bem logo veremos acontecimentos sobre os quais hoje não sonhamos como serão tremendos, embora saibamos que eles venham.

O povo de DEUS , dizíamos ontem, tem uma natureza. Vamos hoje adiante. Como igreja verdadeira somos a continuidade da criação feita por intermédio do Filho de DEUS. Somos seu corpo, Ele é o cabeça da igreja. A igreja, em suas doutrinas, tem a natureza de sua cabeça, embora os membros necessitem de transformação. E foi para essa transformação que CRISTO morreu e está realizando intercessão agora no Céu. E bem logo veremos os efeitos práticos dessa transformação. Após a sacudidura, quando saem os que hoje dão motivos para reprovação, haverá unidade na igreja, e com a unidade, haverá poder do ESPÍRITO SANTO.

Como será essa unidade? Ela inicia no lar. Cada marido, como sacerdote de DEUS no lar fará o seu papel, e promoverá a unidade com sua esposa. Então, entre essas duas pessoas será como foi o plano inicial. As esposas serão submissas a seus maridos, esta não é uma submissão de inferioridade, como muitos imaginam. Os maridos não dominarão sobre elas, pelo contrário, amarão suas esposas como CRISTO ama a igreja, assim tornam-se uma só carne no mesmo nível de importância. A única superioridade que um marido pode ter é a responsabilidade em promover a felicidade de sua esposa. E a submissão dela é a de distribuir felicidade a partir do amor que recebe de seu marido. Então estarão unidos porque agindo assim, DEUS estará com eles, e sendo assim, haverá unidade na família, pai, mãe e filhos. A única superioridade de todo marido é que cabe a ele ligar a sua esposa com CRISTO para assim promover a unidade no lar.

Havendo unidade nas famílias ela se estenderá a igreja toda. Haverá unidade entre os lares da igreja e ela estará unida, e DEUS estará ali. O ESPÍRITO SANTO será derramado, e a igreja passará a trabalhar unida, poderosa, para apressar o dia do reencontro do Criador com Seu povo. Apressar esse dia vem do desejo de estarmos juntos com nosso Criador.

 

  1. 3.      Terça: A missão da igreja

A missão que a nação de Israel deveria ter cumprido CRISTO cumpriu. Era para Israel ser exemplo às nações do mundo todo atraindo os povos para a verdadeira adoração. Foi o que de fato JESUS fez, e essa é também a missão da igreja e de todos nós, seus membros. A igreja deve ir ao mundo todo, fazer discípulos (seguidores de CRISTO), ensinar o que consta na Bíblia e batizar. JESUS estará conosco até o final.

A missão requer irmos em direção das pessoas do mundo todo. Para esse fim JESUS nos enviou assim como já havia enviado os doze e os setenta, e assim como Ele mesmo fora enviado por DEUS Pai. Em resumo, nossa missão é salvar e manter salvas as pessoas que foram conquistadas para a vida eterna, promovendo a verdadeira adoração.

“A missão da igreja de Cristo é salvar os pecadores que estão a perecer. É divulgar o amor de Deus aos homens, conquistando-os para Cristo pela eficácia daquele amor. A verdade para este tempo deve ser levada aos tenebrosos recantos da Terra, e esta obra pode começar em casa. Os seguidores de Cristo não devem viver egoistamente; antes, imbuídos do Espírito de Cristo, trabalhar em harmonia com Ele” ( I Testemunhos seletos, 359). “Cantai ao Senhor, bendizei o Seu nome; anunciai a Sua salvação de dia em dia. Anunciai entre as nações a Sua glória; entre todos os povos, as Suas maravilhas” (Sal. 96:2 e 3).

“Se introduzíssemos, como deveríamos, a verdade na vida diária, ascenderíamos mais e mais alto, obtendo uma compreensão mais e mais clara da revelação de Deus. Exaltá-Lo-íamos em cânticos de louvor. Por intermédio do salmista Cristo declarou: “Louvar-Te-ei no meio da congregação.” Sal. 22:22. Sua voz foi a nota tônica do Universo. Seu ilimitado poder, Seu entendimento inescrutável, Seu maravilhoso sacrifício pela humanidade, ajudam-nos a compreender o amor de Deus. Precisamos que Cristo habite em nosso espírito individualmente. Precisamos abrir mente e coração à morada do Espírito de verdade. Precisamos apreciar nossos privilégios como possuidores de sagrada e enobrecedora verdade. Pensai no que isto significa para nós: herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo!” (Nos lugares celestiais, MM 1968, p. 248).

 

  1. 4.      Quarta: Unidade da igreja

Na segunda-feira nos referimos à unidade na igreja. Podemos hoje aprofundar. Sem unidade a igreja não terá poder. A falta de poder do ESPÍRITO SANTO é sintoma de falta de unidade. Assim foi com os discípulos. No Pentecostes, quando finalmente se uniram, e se apartaram de seus desejos de superioridade, de poder, de orgulho, de egoísmo, de exaltação própria, então o ESPIRITO SANTO lhes concedeu poder, e saíram para o mundo para ensinar, mas não foram afetados pelo mundo. Antes de receber o poder, reunidos logo após a mais poderosa lição de todos os tempos sobre humildade, o lava-pés, se uniram.

Como deve ser a unidade na igreja? Já tratamos disso na segunda-feira. Mas podemos retornar e acrescentar coisas. A unidade depende do que acontece nas famílias. Elas precisam estar unidas, e para isso, precisam ter DEUS como o principal membro. Ali o ESPÍRITO SANTO já deve estar agindo, para que as famílias sejam, cada uma, uma unidade social perfeitamente compatível com a sociedade do amor. Ali todos devem estar sempre prontos a servir um ao outro, e não pode haver nenhum espírito de dominação. Então sim, com famílias assim, se forma uma igreja, uma sociedade maior voltada para servir a humanidade. Tal igreja poderá receber poder. Cumpre-se João capítulo 17: nós unidos com CRISTO assim como CRISTO unido com o Pai, todos unidos como é a Trindade. Resumindo, todos se amando e ninguém alimentando sentimentos de ódio com quem quer que seja. É assim que se poderá dar testemunho ao mundo. Enquanto permanecermos desunidos, como ainda estamos hoje, o testemunho com poder do alto seria contraditório, e as pessoas do mundo não são tão sem entendimento para não perceberem isto.

Vamos a um exemplo real. Uma família há décadas pertencente à igreja, cria muitas encrencas com os vizinhos. Tornaram-se pessoas detestáveis pelos que os conhecem. Mas veja só a ousadia, num programa da igreja, quando se devia convidar algum conhecido para um almoço em casa, esta família o fez com um de seus vizinhos. Eles não só não aceitaram como ficaram perplexos com tal ousadia. Disseram: porque eles mesmos não se convertem antes para depois virem falar conosco? A vizinhança sabe dos problemas internos entre os membros da família, e de como se relacionam com outras pessoas. Aí vem a pergunta: pode DEUS conceder poder do ESPÍRITO SANTO a tais adventistas? Ele não cometeria tal descuido.

Enquanto não houver unidade, Ele não moverá aqueles a quem confiou recursos e aptidões para o avançamento desta obra.” (2TS, 460).

“Antes do dia de Pentecostes [os discípulos] se reuniram e tiraram dentre eles todas as desinteligências. Estavam de um mesmo sentimento.” (DTN, 615). “Tirem os cristãos de meio deles as dissensões, e entreguem-se a si mesmos a ‘DEUS’ para a salvação dos perdidos. Peçam a bênção com fé, e ela há de vir.” (DTN, 616).

Irmão achar-se-á ligado a irmão, pelos laços áureos do amor de Cristo. O Espírito de Deus, unicamente, é que pode efetuar esta unidade. (…) A Ele unidos, achar-se-ão também unidos entre si mesmos, na mais santa fé. Quando buscarmos esta unidade com o empenho que Deus deseja empreguemos, ela nos virá.” Testemunhos Seletos, vol. 3, págs. 246 e 247.

Toda diferença deve ser posta de lado, e a unidade e terno amor de uns para com os outros permear o todo. Então nossas orações poderão subir juntas (HR, 246, 247)

 

  1. 5.      Quinta: Administração da igreja

Começarei o comentário de hoje com uma frase forte: estou convencido que com o atual estilo de gestão na igreja ela não vencerá. Não me refiro a todos os gestores, mas à maioria.

Em administração existe um princípio fundamental, o do estilo de gestão e de delegação de poder. Numa organização de grande porte e que esteja espalhada geograficamente, esse princípio é vital.

Nossa igreja tem uma estrutura bem democrática mas que permite a ação bem autocrática. Podem ser tomadas decisões por voto com a participação dos membros e essas decisões podem logo em seguida ser modificadas por uma Mesa Administrativa, e segundo a vontade de um só homem que tenha o poder de controlar a reunião. Tal procedimento é bem frequente, principalmente se a vontade daquele um for contrariada. Sabemos que uma democracia pode ser facilmente manipulada, e vemos isso acontecer, para a vergonha de nossa instituição.

A hierarquia de várias empresas seculares já descobriu que é mais produtivo ela servir aos homens e mulheres da linha de frente que dominar sobre essas pessoas. As pessoas sentem-se valorizadas, empenham-se mais pela empresa, desenvolvem sua criatividade e capacidade de inovação, e se sentem mais felizes. Muito mais real é esse princípio para a igreja verdadeira. A liderança autocrática geralmente não aceita ser taxada assim, mas é fácil perceber por que ela centraliza as decisões em muitos casos na vontade de um só homem, ou em bem poucos. JESUS não agia assim com seus discípulos.

A hierarquia superior, modernamente entendida, existe para servir àqueles que na organização trabalham diretamente na finalidade dela. Portanto, na igreja, seus líderes maiores devem entender que seu trabalho não é dominar mas ser útil aos pastores distritais e aos líderes membros (que por incrível que pareça, são chamados ‘leigos’; ora, leigos somos todos em muitas especialidades, e profissionais, cada um em uma especialidade). É nesse nível, o do distrito, que falta coordenação, capacitação, assessoria, apoio e recursos. É nesse nível que se cumpre o objetivo da igreja, pelo que os níveis acima devem ser apoio a este. A lógica de uma organização é até simples de entender. Há uma estrutura organizacional, chamada Arquitetura Organizacional (organograma mais toda dinâmica e recursos de inteligência) para servir de apoio à gestão. A gestão superior precisa criar as melhores condições para que o todo seja eficiente e eficaz. Isto só acontecerá quando aqueles que se empenham pelo que é a finalidade da organização conseguirem fazer bem feito o seu trabalho. E essa é a função da gestão, em todos os níveis, obter tal eficácia. A eficácia não poderá ser obtida por meio de autoritarismo.

Um lembrete: muitos daqueles que agem autoritariamente não reconhecem que são assim, ou dizem que é necessário porque as demais pessoas não são competentes. Estudos tem demonstrado que as pessoas mais competentes fogem dessas organizações outras se acomodam porque não tem espaço para participação. E a organização então perde por falta de participação. Enfim, a gestão sempre tem sido um problema grave entre o povo de DEUS, desde o antigo Israel.

Todos nós, sem espírito de supremacia, devemos continuamente estar dispostos a servir, e esse servir deve ser direcionado a quem é o encarregado de ações na chamada linha de frente. Se algum nível hierárquico não age conforme essa orientação, e se mesmo assim a organização funciona, então esse nível é desnecessário e deve ser desativado.

 

  1. 6.      Aplicação do estudo Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:

Para concluir o estudo/comentário desta semana, prefiro que a irmã White fale. Introduzo-a dizendo que a responsabilidade do desempenho de qualquer organização depende não do pessoal da base, mas da direção, que deve fazer de tudo para que a base obtenha bons resultados. Em nossa igreja a base são os distritos. Isso é uma constatação científica. Logo, aquelas igrejas que estejam com problemas, investigue-se a causa, ela deve estar na direção. Sobre isso, prefiro que meditemos sobre algumas palavras de EGW. Há duas possibilidades de mudança em relação ao estilo de gestão em nossa IASD: pela iniciativa voluntária ou pela iniciativa do Senhor da obra. Que haverá mudança, isso é certo. Os grifos são nossos, em tudo o que lemos grifamos e anotamos, é assim que se aprende um pouco mais.

“Deus Porá Tudo em Ordem

“Não há necessidade de duvidar, de estar temeroso de que a obra não seja bem-sucedida. Deus está à testa da obra, e porá tudo em ordem. Caso haja coisas necessitando serem ajustadas na direção da obra, Deus atenderá a isso, e trabalhará para endireitar todo erro. Tenhamos fé que Deus vai conduzir a nobre nau que transporta o Seu povo, em segurança, para o porto. Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 390.

“Não tem Deus uma igreja viva? Ele tem uma igreja, mas esta é a igreja militante, e não a igreja triunfante. Entristecemo-nos de que haja membros defeituosos, de que haja joio no meio do trigo. … Embora existam males na igreja, e tenham de existir até ao fim do mundo, a igreja destes últimos dias há de ser a luz do mundo poluído e desmoralizado pelo pecado. A igreja, débil e defeituosa, precisando ser repreendida, advertida e aconselhada, é o único objeto na Terra ao qual Cristo confere Sua suprema consideração. Testemunhos Para Ministros, págs. 45 e 49.

“Os baluartes de Satanás nunca hão de triunfar. A vitória acompanhará a terceira mensagem angélica. Como o Capitão do exército do Senhor derribou os muros de Jericó, assim triunfará o povo que guarda os mandamentos do Senhor e serão derrotados todos os elementos oponentes” (Testemunhos Para Ministros, p. 410).

 

 

Assista o comentário clicando aqui.

O comentário em vídeo tem ênfase evangelística.

Talvez necessite segurar control mais um clike sobre o link.

 

escrito entre:  10/10/2012 a 16/10/2012

revisado em  17/10/2012

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *