Lição 8 – De escravos a herdeiros

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Terceiro Trimestre de 2017

Tema geral do trimestre: O evangelho em Gálatas

Lição 8 – De escravos a herdeiros

Semana de 12 a 19 de agosto

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar:Assim, você já não é mais escravo, mas filho, e, por ser filho, DEUS também o tornou herdeiro” (Gál. 4:2, NVI).

 

Introdução de sábado à tarde

São três condições possíveis, uma e mais duas. A primeira condição, a mais optada, é a de escravidão. Mas quem vai escolher a escravidão? Cuidado, a maioria escolhe ser escravo, o faz andando pelo caminho atraente a pecadores. Atente-se que essa parece ser a opção mais atraente. É o caminho largo, onde tudo pode. Há uma ilusória sensação de liberdade, não há limites. Por exemplo, pode vestir o que a moda dita, alimentar-se com o alimento que a propaganda designa, frequentar o que der vontade, gastar o tempo com qualquer atividade, e assim por diante. Essa é uma escravidão que parece liberdade, mas, como a Bíblia mesmo diz, ao fim, termina em morte. Uma liberdade de total ilusão, mas atrai muita gente. É um caminho de engano, e enganar é uma das competências mais desenvolvidas de satanás.

A segunda condição é geminada com a terceira: filho e herdeiro. Se é considerado filho também é herdeiro. Esse optou pela liberdade verdadeira, que aqui na Terra, é um caminho estreito, mas no Céu, no futuro eterno, terá liberdade como aqui não se pode imaginar. Resumindo, felicidade plena, vida eterna, saúde total e boa companhia, especialmente a do Salvador, além dos anjos e de nosso anjo da guarda. Essa opção tem que abrir mão de algumas coisas aqui na Terra, alguns prazeres e atrativos que não são coerentes com os princípios de vida em santidade.

Mas há um outro fator de liberdade que já temos aqui na Terra. É o exemplo de Lutero, que, como muitos, acreditava que devesse fazer sacrifícios para obter o perdão e a salvação. E quanto mais sacrifício, melhor. Há aquelas pessoas que imaginam que devem fazer muitas renúncias para agradar a DEUS, inclusive se judiar e se privar tanto para que Ele perdoe a humanidade.

Mas o que aprenderemos nesta semana, se já não o sabemos? Que DEUS perdoa porque nos ama, e apenas devemos aceitar que nos perdoe e que nos transforme.

Aprendi isso em minha vida. Fazia propósitos de melhorar nisso ou naquilo. E aparentemente pequeno era o progresso, até que parei com isso. Simplesmente passei a confiar no ESPÍRITO SANTO que fizesse as mudanças, e elas passaram a ocorrer como algo automático. É parar de sofrer e entregar-se a JESUS, isso é liberdade, fazendo a vontade dEle.

“Quando tomamos em nossas mãos o manejo das coisas com que temos de lidar, e confiamos em nossa própria sabedoria quanto ao êxito, chamamos sobre nós um fardo que Deus não nos deu, e estamos a levá-lo sem Sua ajuda. Estamos tomando sobre nós mesmos a responsabilidade que pertence a Deus, pondo-nos, na verdade, assim, em Seu lugar. Podemos bem ter ansiedade e antecipar perigos e perdas; pois isto é certo sobrevir-nos. Mas quando deveras acreditamos que Deus nos ama, e nos quer fazer bem, cessamos de afligir-nos a respeito do futuro. Confiaremos em Deus assim como uma criança confia em um amoroso pai. Então desaparecerão nossas turbações e tormentos; pois nossa vontade fundir-se-á com a vontade de Deus” (O maior discurso de CRISTO, 100-101).

 

  1. Primeiro dia: Nossa condição em CRISTO (Gál. 3:26-29)

“Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa” (Gálatas 3:25-29).

Esse texto é bem simples de ser entendido. Aqueles que se entregaram a CRISTO foram perdoados. Logo, nesse estado, não estão mais sendo condenados pela lei. Foram batizados com CRISTO, e isso quer dizer que foram revestidos de CRISTO. Revestidos quer dizer que recebemos o caráter dEle, seu modo de pensar e decidir. Assim como CRISTO é um com o Pai, agora também nós somos um com CRISTO. E tanto faz, se é judeu ou grego (gentio), ou que esteja noutra condição qualquer, somos todos herdeiros da promessa feita a Abraão. Estamos no caminho da salvação, junto com o pai da fé.

“Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição; sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado. Porque aquele que está morto está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos; sabendo que, tendo sido Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte não mais tem domínio sobre ele. Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos certamente mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6:1-11).

Nesse trecho Paulo se tornou prolixo, disse pouco em longo trecho. Mas o que ele disse é de suma importância. Vamos por partes:

Depois de perdoados, permaneceremos pecando, para que tenhamos mais graça? Parece um artifício interessante, mas ele disse “de modo nenhum.” Ou seja, voltaremos a pecar para que outra vez tenhamos a graça para nos salvar de novo? Não, ao contrário, devemos evitar o pecado. Ora, pecado é transgressão da lei, logo, Paulo também estava dizendo que a lei, mesmo depois da graça ter feito o seu trabalho, continuava válida.

E depois Paulo fala sobre o batismo. Ser batizado é simbolicamente o mesmo que ser sepultado com CRISTO, e saindo da água, é o mesmo que ressuscitar com CRISTO. Quem se batizou, está morto para o pecado (se daí em diante continuar obediente à lei, pois assim ela protege essa pessoa), logo, esse está salvo e tem repugnância pelo pecado. Não se sente mais atraído pelo pecado. Pois bem, se morremos para o pecado (não sentimos mais prazer nele) então, pela lógica e por exclusão, vivemos para CRISTO, ou, como CRISTO. Seguimos o exemplo de vida dEle. Isso é uma vida nova, novidade de vida. Na última linha Paulo deixa bem claro que isso tudo é uma decisão de cada um, quando diz “considerai-vos” mortos para o pecado, ou seja, tomem essa decisão.

 

  1. Segunda: Escravizados aos princípios elementares

Copiamos o texto bíblico de hoje para facilitar seu entendimento. “Digo, pois, que todo o tempo que o herdeiro é menino em nada difere do servo, ainda que seja senhor de tudo; mas está debaixo de tutores e curadores até ao tempo determinado pelo pai. Assim também nós, quando éramos meninos, estávamos reduzidos à servidão debaixo dos primeiros rudimentos do mundo” (Gálatas 4:1-3).

Nos tempos antigos uma herança podia ser destinada apenas ao filho mais velho, o primogênito. Era o costume, embora fosse desonesto. Hoje, no Brasil, seria ilegal. Então, vamos supor que um pai fizesse o seu testamento e destinasse toda sua riqueza ao filho mais velho. E mesmo que não fosse toda a riqueza, que ele destinasse, como hoje, parte aos outros filhos, em nossa história, para a compreensão do que Paulo quer dizer não muda nada. Feito o testamento, o pai vem a falecer, mas o filho é menor de idade e também ainda não está preparado para administrar tamanha riqueza. O pai já prevendo que isso poderia acontecer, tinha destinado tutores ou curadores, pessoas qualificadas para, tanto educar o herdeiro quanto administrar os bens em lugar dele, até que ele mesmo possa fazer isso. Enquanto é menino tem direito à herança; mas não tem autoridade sobre ela. Enquanto permanecesse nessa situação, não tinha mais direito sobre a herança que os servos de seu falecido pai. Depois do herdeiro poder administrar os bens, os tutores ainda permaneciam como conselheiros, ao menos por um tempo. Aliás, pessoas muito ricas sempre tem conselheiros.

Com isso, Paulo está ensinando que coisa a todos nós?

O menino, enquanto não preparado para gerir os bens, embora fosse o dono de tudo, outros tomavam as decisões, davam ordens e faziam acontecer. Assim também os servos de DEUS eram meninos enquanto não fosse JESUS crucificado. Com a cruz o povo de DEUS adquiriu a maioridade porque puderam ser perdoados os seus pecados, ou seja, no caso, tornaram-se maduros espiritualmente, limpos, qualificados, justificados. Então teriam, uma vez justificados, direito à herança prometida a Abraão.

 

  1. Terça: “DEUS enviou Seu Filho” (Gál. 4:4)

“Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos” (Gálatas 4:4,5).

Trecho de fácil compreensão. O que é a tal plenitude do tempo? É, em essência, o tempo profético certo, previsto, dentro das 2.300 tardes e manhãs, ou anos. Foi profetizado aquela semana ou sete anos para JESUS ser ungido (batizado) pregar por 3,5 anos e no meio da semana ser sacrificado, morrendo na cruz. Esse ano, o mês e o dia previstos profeticamente estão dentro da plenitude dos tempos. Assim como também foi previsto a passagem de JESUS do lugar santo para o santíssimo em 1844, mas isso não aconteceu na Terra, e sim no santuário celeste.

Também muitos entendem, e não há porque objetar, adicionalmente, que a plenitude dos tempos é o longo período de paz no Império Romano, que a história registra como “pax romana.” É um tempo muito favorável para o trabalho de JESUS e estabelecimento da Sua igreja, portanto faz parte do contexto dessa plenitude, sem dúvida.

Nesse tempo previsto profeticamente, DEUS enviou Seu Filho para que se fizesse ser humano para no ano, mês, dia e hora e lugar certos, morresse para salvar a humanidade. O Filho nasceu sob a lei, isto é, seria judeu, e da linhagem real, descendente do rei Davi. Mas sob a lei também significa que nasceria com as consequências do pecado, isto é, seria mortal, e, embora nunca pecasse, assumiria, como a lei requer, nossos pecados e por causa deles seria morto. Assim deveria ser para que Ele nos substituísse na exigência da lei de que os pecadores devem morrer. Como Ele assumiu os pecados de todos os seres humanos, pode, por óbvio, perdoar esses mesmos pecados a todos, ao menos, aos que aceitarem (tiverem fé nEle). Nesse caso, a fé dEle serve para nos justificar.

 

  1. Quarta: Os privilégios da adoção (Gál 4:5-7)

Nossa situação como seres humanos é bem curiosa. Fomos criados por DEUS, e assim somos filhos legítimos dEle. Mas com o pecado, nos separamos dEle, deixando de ser filhos legítimos, passando a pertencer a satanás, embora fôssemos criados por DEUS. Pelo pecado perdemos o direito de filiação e fomos deserdados de tudo que é bom que DEUS dá às Suas criaturas. Satanás se apossou do que pertencia a DEUS. Pecando, Adão e Eva passaram a viver por um tempo para depois morrer. Nesse tempo de vida iam enfraquecendo, envelhecendo, com o tempo, adoecendo, até que falecessem.

Com o passar dos séculos, a raça humana foi se aviltando, tornando-se cada vez mais frágil. Existem aproximadamente 35.000 doenças catalogadas, hoje, no mundo. São mais de 6.000 doenças raras, esse número informa que aparecem doenças novas em grande quantidade. Essas doenças raras hoje, no futuro certamente serão doenças comuns, embora, muitas delas, de difícil tratamento. A quantidade de doenças incuráveis aumenta. Alguns dizem que são mais de 6.000 doenças ainda sem cura. As doenças aumentam em quantidade e em poder, embora a ciência corra atrás, está sempre atrás. Não há a menor perspectiva de um dia, pela ciência, podermos dizer: dominamos as doenças, estamos livres delas. Pelo contrário, existem, por exemplo, mais de 200 tipos diferentes de câncer e pode-se desenvolver a doença em qualquer órgão do corpo. O câncer pode se desenvolver a partir de quase qualquer tipo de célula no corpo. Precisamos investir em estilo de vida saudável pois a probabilidade de sermos acometidos por alguma doença grave é cada vez maior.

Pois bem, os parágrafos acima são uma pequena amostra do que acontece com quem perdeu o direito à filiação, foi deserdado e não tem direito algum perante DEUS Criador.

Mas pelo ato de redenção, a situação pode mudar radicalmente, em direção oposta. Podemos, retornar para junto do Pai e sermos filhos adotivos, nas palavras de Paulo. Pessoalmente, creio que “adotivo” é uma palavra um tanto exagerada, embora solucione a nossa situação. A Bíblia diz que nos tornamos irmãos de JESUS, e que jamais deixamos de pertencer a DEUS, mas não iremos debater esse ponto. Ser adotivos, no conceito de Paulo, já está de bom tamanho, pois perante DEUS nos tornamos idênticos em direitos aos direitos dos filhos legítimos, que nunca pecaram. Seremos libertos do poder de satanás; da morte; da dependência do pecado e da condenação da própria lei. Nos tornaremos livres como todos os filhos de DEUS. Mas acima de tudo, poderemos usufruir de todo bem que DEUS disponibiliza às suas criaturas, coisas como vida eterna, felicidade (nunca mais lágrimas) e da convivência com nosso Salvador, assim como foi com Adão e Eva antes de pecarem.

Mas, acrescentando, parece que esses filhos adotados tem um direito a mais que os outros. Nós participaremos, nesse planeta, como algum tipo de auxiliares eleitos, do reino de JESUS sobre o Universo. Nós, ao lado de JESUS CRISTO, temos a experiência da vitória sobre o pecado. Ser vitoriosos sobre o mal é algo que confere uma condição especial, tivemos a experiência sofredora e pelo poder de DEUS, optamos pelo estreito caminho da vitória.

Os direitos dos adotados são os mesmos dos legítimos, ao menos perante DEUS. No mundo há países que também é assim. No Brasil só recentemente esse direito foi reconhecido. O Supremo entendeu que na última Constituição, de 1988, se igualou os direitos dos filhos adotivos aos dos filhos biológicos e, portanto, o benefício não pode retroagir para antes dessa data. Só a partir de 1988 os filhos atotados, no Brasil, tem os mesmos direitos dos demais.

 

  1. Quinta: Por que voltar à escravidão? (Gál 4:8-20)

Leiamos o trecho que o autor da lição sugere que leiamos: “Mas, quando não conhecíeis a Deus, servíeis aos que por natureza não são deuses. Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Receio de vós, que não haja trabalhado em vão para convosco. Irmãos, rogo-vos que sejais como eu, porque também eu sou como vós; nenhum mal me fizestes. E vós sabeis que primeiro vos anunciei o evangelho estando em fraqueza da carne; e não rejeitastes, nem desprezastes isso que era uma tentação na minha carne, antes me recebestes como um anjo de Deus, como Jesus Cristo mesmo. Qual é, logo, a vossa bem-aventurança? Porque vos dou testemunho de que, se possível fora, arrancaríeis os vossos olhos, e mos daríeis. Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade? Eles têm zelo por vós, não como convém; mas querem excluir-vos, para que vós tenhais zelo por eles. É bom ser zeloso, mas sempre do bem, e não somente quando estou presente convosco. Meus filhinhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até que Cristo seja formado em vós; eu bem quisera agora estar presente convosco, e mudar a minha voz; porque estou perplexo a vosso respeito” (Gálatas 4:8-20).

Esse é um texto que, em cima dele, muita polêmica já se formou. Ele será usado na grande controvérsia quanto a que dia deve ser santificado. Mas vamos por partes, as sublinhadas.

Embora já conhecessem a DEUS, embora já fossem por Ele conhecidos, tornaram a respeitar uma lei que prescrevera, que estava destinada a prescrever, a lei cerimonial. Entendamos esse ponto importante. O sábado foi dado antes mesmo do pecado, fez parte da criação do mundo e da primeira semana no mundo, sendo que DEUS mesmo o observou junto com Adão e Eva. Já a lei cerimonial entrou no mundo somente depois do pecado. Não houvessem eles pecado, e nunca DEUS teria dado a lei cerimonial, mas a lei moral sim. Então há severa diferença entre essas duas leis, a primeira é eterna, a segunda temporária. O conceito de lei passageira da lei cerimonial é evidente, ela ilustra como JESUS seria morto e porque isso aconteceria. Ele deveria morrer por causa da transgressão da outra lei, a moral. Logo, fica evidente que a lei transgredida jamais poderia ser anulada, pois não faria sentido algum anular algo pelo qual nosso JESUS CRISTO teve que sofrer tanto, e sendo Ele mesmo o autor da lei. E os gálatas, depois da morte de JESUS, por pressão dos judaizantes, passaram a observar a lei cerimonial. É evidente que também observavam a lei moral, até que esse ponto nem foi item de reclamação por parte de Paulo.

Paulo tinha anunciado o evangelho a eles antes de outras pessoas, e eles haviam entendido e recebido com alegria, como se Paulo fosse um anjo. Por acaso, por Paulo ter falado a verdade aos gálatas, por isso teria sido inimigo deles? Mas assim é hoje, quem exorta falando a verdade, muitas vezes é visto como inimigo. Assim será cada vez mais. No final dos tempos, após o decreto dominical, os nossos piores inimigos serão muitos dos nossos irmãos na fé. Aqueles que desencaminharam os gálatas tem zelo pelo que é errado (assim como Paulo tinha, antes de se converter). Paulo conhecia o zelo errado, ele fora dessa turma.

Por fim, Paulo desejaria estar com eles, para falar em outro tom de voz do que usara quando a princípio os ensinara a verdade. Ele por certo os repreenderia em um tom mais alto e incisivo. Ele se sentia dolorido, ou, profundamente preocupado com o que estava acontecendo. A palavra que ele usou, ao menos nessa tradução, foi perplexidade.

 

  1. Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Tema transversal

Por causa da transgressão de nossos primeiros pais, que sabiam a respeito dessa possibilidade e de suas consequências, nos tornamos passíveis de castigo eterno, a morte. Mas, por causa do amor de DEUS por nós, possibilitou-se que em CRISTO fôssemos restaurados e adotados como filhos, irmãos do Salvador. Para essa finalidade Ele tornou-Se um de nós. A salvação envolve a fé, ou seja, só serão beneficiados aqueles que crerem no Salvador e aceitarem viver como Ele, trilhando aqui na Terra o caminho estreito. Caminho estreito significa abster-se de muitas coisas que aos olhos de pecadores parecem maravilhosas, para esperar pelas coisas realmente maravilhosas que só teremos na eternidade, que aqui estão indisponíveis.

 

  1. Aplicação contextual e problematização

Nossa natureza pecadora sente atração pelas coisas da Terra que formam o caminho largo. São muitos atrativos que parecem interessantes. Nosso orgulho dificulta nos tornarmos como JESUS CRISTO, humildes e mansos. Nessa situação, quem optar pela salvação, o fará pela metade, desejando o Céu mas não se desligando da Terra.

“Nossos irmãos do ministério falham decididamente quanto a fazerem sua obra segundo a maneira indicada pelo Senhor. Deixam de apresentar todo homem perfeito em Cristo Jesus. Não obtiveram experiência mediante a comunhão pessoal com Deus, ou um verdadeiro conhecimento do que constitua o caráter cristão; assim, são batizados muitos que não se acham aptos para essa sagrada ordenança, mas que se acham enlaçados com o próprio eu e com o mundo. Não viram a Cristo nem O receberam pela fé” (Evangelismo, 319).

 

  1. Informe profético vinculado com a lição

“A principal cidade dos Estados Unidos enfrenta uma epidemia inédita de heroína e drogas similares que já mata três pessoas por overdose todos os dias. A situação reflete uma crise que se alastra rapidamente pelo país mais rico do mundo: mais de 1 milhão de americanos já são dependentes desse tipo de droga, que foi a principal causa de morte de homens e mulheres com menos de 50 anos no ano passado. Em uma tentativa ousada de reverter o aumento de 46% nas mortes por overdose registrado entre 2015 e 2016, o governo local decidiu convocar a população a agir, espalhando milhares de cartazes em inglês e espanhol por vagões de metro com o mote “Salve uma vida”. Eles pedem que moradores tenham na bolsa doses de remédios que revertem os efeitos de uma overdose. A prefeitura pede que moradores andem com seringas antioverdose para salvar usuários de heroína.” Se está desse jeito, imagine por ocasião do fechamento da porta da graça. Ou daqui a um ou dois anos. Se desejar, veja a reportagem nesse link.

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“Irmãos, com o amado João, rogo-vos: “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus.” … I João 3:1. Que amor, que incomparável amor, que, pecadores e estranhos como somos, possamos ser levados novamente a Deus e adotados em Sua família! A Ele nos podemos dirigir chamando-O pelo terno nome de “Pai nosso”, o que é um sinal de nossa afeição por Ele, e um penhor de Sua terna consideração e parentesco para conosco. E o Filho de Deus, olhando aos herdeiros da graça, “não Se envergonha de lhes chamar irmãos”. Heb. 2:11. Têm para com Deus uma relação ainda mais sagrada do que os anjos que não caíram nunca” (Exaltai-O, MM 1992, 228).

 

  1. Conclusão

“Cristo suportou a cruz por causa da alegria que Lhe estava proposta. … Morreu na cruz como sacrifício pelo mundo, e por meio desse sacrifício vem a maior bênção que Deus podia conceder – o dom do Espírito Santo. Essa bênção é para todos os que receberem a Cristo. O mundo caído é o campo de batalha para o maior conflito que o universo celestial e os poderes terrestres já presenciaram. Decidiu-se que ele fosse o teatro em que seria resolvida a grande luta entre o bem e o mal, entre o Céu e o inferno. Todo ser humano desempenha uma parte nesse conflito. Ninguém pode ficar em terreno neutro. Os homens têm de aceitar ou rejeitar o Redentor do mundo. Todos são testemunhas, quer a favor ou contra Cristo. Cristo solicita que os que se colocam sob o Seu estandarte se engagem no conflito junto com Ele, como soldados fiéis, para que possam herdar a coroa da vida. Eles foram adotados como filhos e filhas de Deus” (Exaltai-O, MM 1992, 254).

 

 

Assista o comentário clicando aqui.

Lição em espanhol: www.escuela-sabatica.com/comentarios.html

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira Como é fácil enganar! As 4 primeiras pragas, enfoque econômico

 

 

estudado e escrito entre:     7 a 13/7/2017

 

 

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

1 comment for “Lição 8 – De escravos a herdeiros

  1. julho 16, 2017 at 3:56 pm

    Ótimo, muito bom este conteúdo que Deus abençoe a sua vida em nome de Jesus. Se me permitir eu gostaria de deixar mais esta sugestão: http://www.revelacoesapocalipse.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *