Lição 9 – O ESPÍRITO SANTO e a igreja

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Primeiro Trimestre de 2017

Tema geral do trimestre: O ESPÍRITO SANTO e a espiritualidade

Lição 9 – O ESPÍRITO SANTO e a igreja

Semana 25 de fevereiro a 4 de março

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

 

Verso para memorizar:Façam todo o esforço para conservar a unidade do ESPÍRITO pelo vínculo da paz. Há um só corpo e um só ESPÍRITO, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo” (Efésios 4:3-5 NVI).

 

Introdução de sábado à tarde

Esse é um grande desafio, conservar a unidade. Há muitos interesses pessoais de poder na igreja. Há disputas de cargos, percebi isso pessoalmente. Ocorrem acusações entre a liderança, sabotagens, chamados que não são de DEUS, mas de homens, castigos a pastores que são corretos, e assim por diante. Há homens que, como diz Ellen White, querem dominar sobre a prole do Senhor. Isso não une, mas resulta em facções e grupos conflitantes, da forma como o inimigo gosta. “A alguns é natural ser mordazes e ditatoriais, para dominar sobre a herança de Deus. E devido à manifestação desses atributos, tem a causa perdido preciosas almas. A razão desses homens terem manifestado essas desagradáveis características, é não terem estado ligados com Deus” (Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 223).

“Nem todos os que figuram como homens representativos, são verdadeiramente cristãos. Prevalece o espírito de procurar o domínio sobre os outros. Os homens se consideram autoridade, exprimem suas opiniões e passam resoluções acerca de questões das quais não têm nenhum conhecimento experimental” (Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 260).

“Aquele que se propõe reformar os semelhantes, deve começar reformando-se a si próprio. Deve imbuir-se do espírito do Mestre e estar pronto, como Ele, a suportar a adver-tência e a exercer abnegação. Comparado com o valor de uma única alma, o mundo inteiro se reduz a uma insignificância. O desejo de exercer autoridade e dominar sobre a herança do Senhor redunda, quando cultivado, na destruição de almas. O que ama deveras a Jesus há de procurar conformar-se ao Seu divino exemplo, trabalhando no Seu espírito para salvação de outros” (Testemunhos Seletos, vol II, 257).

 

  1. Primeiro dia: O ESPÍRITO SANTO nos une a CRISTO

Como estamos unidos a CRISTO? Outra pergunta paralela é: como estamos unidos entre nós? A resposta a estas perguntas é a mesma: estamos unidos com CRISTO e entre nós por meio da igreja. Conforme diz em Efésios 1:20 a 22, e também em 1 Pedro 2:6 e 7, formamos como que um prédio (de seres humanos), cujos fundamentos são os apóstolos e cuja pedra principal é o próprio Senhor JESUS CRISTO.

E qual o papel do ESPÍRITO SANTO na igreja, cujo fundamento se compõe dos apóstolos e de JESUS CRISTO? O que faz o ESPÍRITO SANTO numa organização humana em que JESUS é o comandante supremo?

Na igreja temos muitos mestres, pastores, anciões, professores, escritores, etc., que dedicam tempo ao ensino dos membros e ao trabalho que JESUS incumbiu a igreja fazer. E as pessoas, os membros, por conta própria também estudam e buscam o conhecimento da verdade, por meio de leituras, especialmente da Bíblia. O ESPÍRITO SANTO age qualificando aqueles líderes que ensinam o povo, e também age sobre os estudos do próprio povo. Ele ilumina os estudos e todos os esforços em busca do entendimento do conhecimento da verdade. Nisso Ele nos une entre nós e nos une a CRISTO. Assim se cumpre a oração de JESUS em João 17, que estejamos unidos entre nós, e com CRISTO, assim como Ele está único com o Pai. Há aqui um conjunto de elos de união, o elo entre nós, o elo de nós com CRISTO e o elo de CRISTO com DEUS Pai. E quem solidifica esses elos, por meio do conhecimento da verdade, é o ESPÍRITO SANTO.

Resumindo tudo, os membros da Trindade são perfeitamente unidos entre Si pelo amor. É o conhecimento de como funciona esse amor, que o ESPÍRITO SANTO nos vai ensinando, que ocorre esse esquema de unidade. Está tudo certo, pois o ESPÍRITO ficou incumbido de nos ensinar e nos orientar por JESUS quando voltou ao Céu, ficando como um Consolador. Pois, fazendo isso, Ele promove toda essa bela unidade.

 

  1. Segunda: O ESPÍRITO SANTO nos une pelo batismo

A igreja de CRISTO é uma comunidade de pessoas que creem nEle. Na igreja são realizadas atividades em conjunto, ou, para o conjunto, para o seu crescimento espiritual e fortalecimento, bem como para continuar firmes na fé até à volta de JESUS como Salvador.

Há a possibilidade de qualquer pessoa fazer parte dessa comunidade religiosa. Para isto, a pessoa, ou candidato, deve aprender um mínimo para saber se é isso mesmo que ela deseja. Deve estudar, orientado por alguém mais experiente, as doutrinas da igreja, basicamente isso, e deve firmar compromisso de que irá obedecer essas doutrinas. Nesses estudos, evidentemente, o ESPÍRITO SANTO participa, se os elementos humanos forem sinceros no que estão fazendo.

Chega o momento em que o ESPÍRITO SANTO leva a pessoa ao desejo de pertencer à comunidade de crentes. Ela sente esse desejo, de fazer parte, porque assim irá ter uma afinidade virtuosa que facilitará sua vida espiritual. Então ela participa do batismo. É sepultada nas águas, como JESUS foi. Isso quer dizer que ela foi sepultada com JESUS. Quer dizer mais duas coisas:

1ª) que deseja ter uma nova vida de santificação, abandonando seus costumeiros pecados do passado;

2ª) e que deseja participar de ações pela salvação de outras pessoas.

Assim ela, então, passa a pertencer à comunidade de CRISTO. E o ESPÍRITO SANTO participou em todas as fases e em todos os momentos, seja para a preparação da pessoa, seja para que ele decidisse participar, seja no batismo, seja em momentos posteriores, ao longo da vida de santificação dela.

 

  1. Terça: O ESPÍRITO SANTO une a igreja pela Palavra de DEUS

Toda organização tem alguma ideologia que serve para se manter. Vamos a alguns exemplos:

  • As grandes corporações tem o Plano Estratégico, onde se encontram as ideias mestras da empresa, além de estatutos e regimentos;
  • Clubes de serviço, tem estatutos;
  • Organizações pequenas tem as ideias do seu dono;
  • Organizações criminosas tem as concepções do comando central.

Assim vai. A igreja de CRISTO teria que ter um conjunto de conhecimentos que servisse de base para o funcionamento dela. Esse conjunto é a Bíblia, ou também conhecida por palavra de DEUS.

Os estatutos, os regimentos, os Planos Estratégicos, a ideologia, as ideias e concepções, a cultura, os costumes, assim como a Bíblia, servem como base de orientação a todos os participantes da respectiva organização, especialmente a seus dirigentes, para conduzir a organização. Ou seja, qualquer organização, inclusive uma família, precisa de um conjunto de ideias para evoluir ao longo do tempo. Se não tiver, não terá rumo.

Na igreja de CRISTO não é diferente. Tem a Bíblia (ou as duas testemunhas), dada por DEUS, ao longo de muito tempo. A Bíblia contém os princípios básicos para que a organização funcione bem, para a sua missão e propósito, sobre o que vai acontecer, sobre nosso comportamento, sobre como a organização deve ser administrada, etc. E o ESPÍRITO SANTO nos orienta no estudo da Bíblia, como nos devemos portar na igreja. Logo, a Bíblia serve ao ESPÍRITO SANTO como um passe de conceitos para promover a unidade na igreja.

 

  1. Quarta: O ESPÍRITO SANTO une a igreja na fé e na doutrina

Vamos, mais uma vez, comparar a igreja com as organizações. Toda organização tem, e deve ter, só uma autoridade superior. Se tiver duas, estará dividida e estará havendo alguma rebelião ou revolução. Toda organização secular só pode ter um Plano Estratégico, e não mais que um.

A igreja tem um só Senhor, não pode ter dois, pois a própria Bíblia diz que, ou seguiremos um, ou seguiremos o outro, aborrecendo-se de um deles. Se as organizações terrestres tem uma única autoridade superior, mais ainda, o reino da perfeição, onde não há erro da parte da autoridade superior, jamais poderia ter duas ou mais autoridades ou dois ou mais senhores. Há três membros do governo celeste, o Pai, o Filho e o ESPÍRITO SANTO. Mas esses três são um só, tamanha a sua unidade pelo amor. E toda unidade se inicia pela autoridade superior, se ela estiver unida, facilmente os demais componentes contribuirão para a unidade, estendida a tudo o mais. Portanto, só pode haver um só DEUS, e evidentemente, o Pai de todos, pois, também só pode haver um só Criador.

O cristianismo deveria também ter um só Senhor. Mas o cristianismo está dividido. Existem mais, muito mais de 30 mil igrejas cristãs diferentes. Alguns acham que são mais de 70 mil. Como pode haver tanta divisão se a Bíblia é uma só e se DEUS é um só? Logo, nessas igrejas, o Senhor não é sempre o mesmo, não poderia ser. Há outro senhor em ação, como sabemos bem. Aliás, satanás sempre amargou divisões entre seus seguidores. Foram impérios derrubando outros impérios ao longo da história; a Europa se dividiu em várias nações, o mundo está dividido em fragmentos, e as igrejas cristãs estão divididas, existindo além delas, os pagãos, o Islã, os judeus, os espíritas, etc. Todos são algum tipo de igreja. Quanta divisão nesse velho mundo.

Assim como não se admite focos de divisão nas organizações seculares, se desejar que funcionem bem, também só se poderia admitir um só batismo na igreja, pois, se fossem duas modalidades de batismo, teriam que ser duas modalidades de governo, ou de autoridade. Também só se pode admitir uma só fé, pois há um só Senhor para se crer nEle.

Isso tudo quer dizer que, devemos abandonar a cultura desse mundo, seja qual ela for. O mundo é composto por inúmeras culturas. Podemos e devemos respeitá-las, mas nunca absorvê-las. A cultura de nossa igreja é a celeste, com características diferentes do que quer que seja, que se encontre aqui na Terra.

 

  1. Quinta: O ESPÍRITO SANTO une a igreja na missão e no serviço

O trabalho, cumprindo uma missão, produz unidade. E quando há uma liderança adequada, humilde, inteligente e comprometida com a missão, essa unidade poderá ser fortalecida pelo poder do ESPÍRITO SANTO.

Vamos a um exemplo de como o cumprimento de missão une. Foi há décadas atrás, a Argentina estava quase num caos. Os partidos políticos brigando entre si e o povo revoltado com o governo e com outras coisas. Então, o general Galtieri por uma guerra, resolveu conquistar as ilhas Malvinas, que a Argentina entende como suas. Essa missão uniu a nação, estavam todos em torno do general, e esqueceram as diferenças. Perderam a guerra, mas pelo menos, por um tempo, uniram-se.

Agora tente imaginar que poderosa unidade pode advir de uma missão sendo cumprida, e sob a direção divina. Foi o que aconteceu nos dias dos apóstolos.

Naqueles dias havia uma liderança realmente comprometida com a missão. Os apóstolos fizeram um curso de 3,5 anos com JESUS, o Mestre por excelência. Não receberam diploma formal, mas receberam o poder do ESPÍRITO SANTO no Pentecostes. Eram homens humildes, não sedentos por poder e por prestígio. Não estavam preocupados com alvos de batismo, nem com o crescimento percentual da igreja. Queriam apenas cumprir a missão; a dimensão do que fariam era responsabilidade do ESPÍRITO SANTO. Enquanto viviam aqueles primeiros líderes, a igreja do período de Éfeso progrediu maravilhosamente. Depois vieram outros líderes, mas não mais tão comprometidos como os apóstolos. Nunca mais formou-se um grupo, embora pequeno, tão poderoso como aquele que saiu das mãos de JESUS, com poder do alto. Esperamos para que, no tempo do fim, novamente se forme um grupo de pessoas comprometidas com a missão, não com seus interesses particulares e com seu prestígio. Se a igreja está devagar, há problemas na liderança, sempre foi assim na igreja ou em qualquer outra organização desse mundo.

O ESPÍRITO SANTO uniu-os por meio do cumprimento da missão. Engajaram-se no serviço e por essa via, resolveram um ajudar o outro. Repartiam o que possuíam com as pessoas que tinham falta, até bens eram vendidos para ajudar a igreja na obra de evangelização. Tinham todas as coisas em comum. Estudavam em conjunto, adoravam em conjunto e trabalhavam em conjunto.

Hoje temos problemas bem graves. Alguns chegaram à conclusão que DEUS é surdo, e elevam o som do que chamam louvor em volume tão alto que a sensação não é mais ouvir, e sim, sentir. Temos um culto barulhento, seja no louvor, seja nas conversas paralelas de qualquer assunto. O que não se tem é conhecimento sobre a verdade, nem da Bíblia, nem do Espírito de Profecia. Como diz o Pr. Ted Wilson, estamos perdendo a nossa identidade, ficando evangélicos, o mundanismo está tomando conta, a unidade está comprometida e o ambiente é de apatia e acomodação. Precisamos de uma sacudidura, para que a situação se torne como nos tempos dos apóstolos, líderes realmente comprometidos, homens e mulheres simples, humildes e de bom relacionamento com DEUS.

 

  1. Resumo e aplicação Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Tema transversal (anterior foco, porém, com o cuidado de fazer uma ligação entre os assuntos diários, sempre que possível)

É de alto interesse de satanás que a igreja permaneça fragmentada. Para isso, entre a liderança deve haver focos de interesse conflitantes. É a mesma situação que havia entre os apóstolos, brigavam entre si para tentar descobrir quem seria o maior no reino do Céu. Mas quando, no Pentecostes, durante os dez dias de meditação como foi ordenado por JESUS, resolveram deixar de lado suas diferenças, o ESPÍRITO SANTO lhes foi dado, e eles passaram a agir perfeitamente unidos.

“Enquanto não houver unidade, Ele não moverá aqueles a quem confiou recursos e aptidões para o avançamento desta obra.” (Testemunhos Seletos, vol 2, 460).

“Antes do dia de Pentecostes [os discípulos] se reuniram e tiraram dentre eles todas as desinteligências. Estavam de um mesmo sentimento.” (Desejado de Todas as Nações, 615).

 

  1. Aplicação contextual e problematização (aplicações possíveis dos assuntos aos cristãos na atualidade e identificação dos problemas que enfrentamos e indicativos de solução)

“Tirem os cristãos de meio deles as dissensões [aqui não sugere o Ecumenismo], e entreguem-se a si mesmos a ‘DEUS’ para a salvação dos perdidos. Peçam a bênção com fé, e ela há de vir.” (Desejado de Todas as Nações, 616).

“Irmão achar-se-á ligado a irmão, pelos laços áureos do amor de Cristo. O Espírito de Deus, unicamente, é que pode efetuar esta unidade. (…) A Ele unidos, achar-se-ão também unidos entre si mesmos, na mais santa fé. Quando buscarmos esta unidade com o empenho que Deus deseja empreguemos, ela nos virá”(Testemunhos Seletos, vol. 3, 246 e 247).

 

  1. Informe profético vinculado com a lição

“O Papa Francisco disse hoje no Vaticano que a intenção de Martinho Lutero era “renovar” a Igreja e não a divisão que se lhe seguiu, durante um encontro com uma delegação ecuménica da Finlândia. “A intenção de Martinho Lutero, há 500 anos, era renovar a Igreja, não dividi-la”, assinalou, evocando a celebração conjunta que decorreu na cidade sueca de Lund, em outubro de 2016” Veja a notícia completa no link abaixo.

http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/vaticano/ecumenismo-papa-diz-que-lutero-queria-renovar-a-igreja/

Por isso, então, nesse ano de 2017, as igrejas cristãs, muitas delas, tornarão realidade a reunificação pós reforma. Foi-se toda a história.

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“Esses dias de preparo foram de profundo exame de coração. Os discípulos sentiram sua necessidade espiritual, e suplicaram do SENHOR a santa unção que os devia capacitar para o trabalho de salvar almas” (Atos dos Apóstolos, 37).

“Quando os obreiros tiverem a presença permanente de ‘CRISTO’ em sua alma, quando estiver morto todo o egoísmo, quando não houver nenhuma rivalidade, nenhuma contenda pela supremacia, quando existir unidade, quando eles se santificarem, de maneira que o amor de uns pelos outros seja visto e sentido, então os chuveiros da graça do Espírito Santo hão de vir tão seguramente sobre eles como é certo que a promessa de ‘DEUS’ não faltará nem um jota ou um til.” (Mensagens Escolhidas, vol I, 175 e Eventos Finais, 164).

  1. Conclusão

“Quando tivermos uma consagração completa, de todo o coração, ao serviço de ‘CRISTO’, ‘DEUS’ reconhecerá esse fato mediante um derramamento, sem medida, de Seu Espírito; mas isso não acontecerá enquanto a maior parte dos membros da igreja não forem cooperadores de ‘DEUS’” (Eventos Finais, 167).

“Notai que só depois de haverem os discípulos entrado em união perfeita, quando não mais contendiam pelas posições mais elevadas, foi o Espírito derramado. Estavam unânimes. (…)

“Assim pode ser agora. Ponham de parte os cristãos toda dissensão, e entreguem-se a ‘DEUS’ para a salvação dos perdidos. Com fé peçam a bênção prometida, e virá. A chuva [serôdia] será mais abundante, porém. Qual é a promessa para os que vivem nos derradeiros dias?” (Testemunhos Seletos, vol III, 211).

“Homens humildes, armados unicamente com a Palavra da verdade, resistiram aos ataques de homens de saber…” (Grande Conflito, 455).

“Sua recreação estará na contemplação do seu tesouro – a Cidade Santa, a Nova Terra, seu eterno lar. E enquanto se demoram nessas coisas que são elevadas, puras, santas, o Céu se aproximará deles, e sentirão o poder do Espírito Santo, e isto tenderá a desabituá-los cada vez mais do mundo e fará que sua consolação e principal gozo esteja nas coisas do Céu, seu amorável lar” (Primeiros Escritos, 112-113).

 

Assista o comentário clicando aqui.

Lição em espanhol: www.escuela-sabatica.com/comentarios.html

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p

(Apoc. 15, 16)

Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp

Armagedom

Os chifres
A igreja verdadeira Como é fácil enganar! As 4 primeiras pragas, enfoque econômico        

 

 

estudado e escrito entre  20 e 26/1/2017

corrigido por Jair Bezerra

 

 

 

 

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

 

 

4 comments for “Lição 9 – O ESPÍRITO SANTO e a igreja

  1. Fevereiro 13, 2017 at 10:35 am

    bom o artigo

  2. Sidnei
    Março 3, 2017 at 7:30 am

    Tenho lido sua explanação todos os dias, logo apos o estudo da lição, e é muito boa pois, vem complementar, e também nos esclarecer algumas dúvidas da lição.
    .
    Obrigado por nos ajudar a entender de forma melhor a lição da escola sabatina

  3. Março 24, 2017 at 12:13 pm

    Lição 9 – O ESPÍRITO SANTO e a igreja – Cristo em Breve Vira Galera, acessei o site Namoro Espirita e finalmente achei um site para espíritas e simpatizantes a fim de relacionamento sério! Muito Bom! http://www.namoroespirita.com.br Aprovei:)!

  4. Maio 9, 2017 at 7:27 pm

    Muito bom, top demais !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *