Na mira do terror

Print Friendly, PDF & Email

O dia 11 de setembro entrou para sempre na história como um novo marco na ordem mundial. Nesta data, em 2001, os Estados Unidos foram alvo do maior ataque terrorista do planeta, desafiando a intocável grande potência mundial. Em uma ação terrorista conjunta, foram atacadas através de aviões comerciais sequestrados as duas torres do World Trade Center e uma parte do Pentágono. Um quarto avião comercial sequestrado para caiu em campo aberto. Ao todo foram quase três mil mortos nos ataques.

Os ataques ocorridos há 12 anos simbolizaram, antes de tudo, uma afronta aos sistemas econômico e político dos Estados Unidos, representados pelo World Trade Center e pelo Pentágono. A partir de então, o medo se instalou no mundo capitalista. Uma intensa guerra contra o terror se abriu no Mundo. O líder do grupo responsável pelos ataques – Osama Bin Laden – foi executado por forças especiais americanas após quase 10 anos de perseguição.

Os reflexos do 11 de setembro ainda estão tendo seus desdobramentos. Até hoje, por exemplo, o sistema de espionagem norte-americano atua em todo o planeta, gerando questionamentos de diversos países. Até o Brasil, com a presidente Dilma Rousseff e a gigante Petrobras, descobriram agora que estavam sendo alvos de espionagem norte-americana, criando uma delicada situação diplomática.

Mais do que impactos econômicos, políticos, de segurança ou culturais, o 11 de setembro criou uma nova ordem mundial, mesmo que implícita, que também colocou em xeque o poderio econômico dos Estados Unidos e de outras grandes potências. Há ainda que se falar nas reflexões geradas em todos os países, com a preocupação da segurança em eventos diversos ou mesmo na segurança nacional.

O mais interessante é que se trata de uma história que não chegou ao fim ainda. Os próximos capítulos do 11 de setembro podem ocorrer a qualquer momento. A certeza que temos é que o mundo passou a não ser mais o mesmo desde então. O choque de civilizações e de culturas exposto no ataque está a pulsar intensamente. A história continua sendo escrita…

Fonte: http://www.atribunamt.com.br/?p=130729

4 comments for “Na mira do terror

  1. Vitor Hugo
    setembro 16, 2013 at 8:45 am

    Este foi, com certeza, um acontecimento histórico!Mas devemos pensar também que pode ser que este estado de medo que o mundo experimenta desde então, pode ter sido CRIADO. Após assistir a uma reportagem de uma doutora síria à emissora Bandeirantes, Claude Fahd Hajjar, afirma que esta guerra na Síria está sendo manipulada pelos EUA. Parece que querem levar o mundo a um estado de terror, para que, assim como Hitler fez, a sociedade aterrorizada faça escolhas que em estado de tranquilidade nunca sonharia em fazer!!!Estejamos atentos e oremos sem cessar.
    Deus nos proteja!!!

  2. Vitor Hugo
    setembro 16, 2013 at 8:46 am

    Este foi, com certeza, um acontecimento histórico!Mas devemos pensar também que pode ser que este estado de medo que o mundo experimenta desde então, pode ter sido CRIADO. Após assistir a uma reportagem de uma doutora síria à emissora Bandeirantes, Claude Fahd Hajjar afirma que esta guerra na Síria está sendo manipulada pelos EUA. Parece que querem levar o mundo a um estado de terror, para que, assim como Hitler fez, a sociedade aterrorizada faça escolhas que em estado de tranquilidade nunca sonharia em fazer!!!Estejamos atentos e oremos sem cessar.
    Deus nos proteja!!!

  3. Benjamim
    setembro 21, 2013 at 12:15 pm

    Sem e impossivel falar de seguranca no mundo.se Deus nao proteger a cidade em vao vigiam os guardas

  4. Benjamim Macedo
    setembro 21, 2013 at 1:44 pm

    Se Deus nao guardar a cidade em vao vigiam os sentinelas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *