Número de protestantes cai nos Estados Unidos, diz estudo

Print Friendly, PDF & Email

Pesquisa revela que 1 em cada 5 americanos, ou 19,6%, disseram que são ateus, agnósticos ou “neutros”

NYT | 15/10/2012 05:00:49

Pela primeira vez desde que pesquisadores começaram a estudar a identidade religiosa dos americanos, menos da metade dos pesquisados disseram ser protestantes, uma queda acentuada em comparação a 50 anos atrás, quando as igrejas protestantes reivindicavam a lealdade de mais de dois terços da população.

Um novo estudo, divulgado pelo Fórum Pew sobre Religião e Vida Pública na terça-feira, 9 de outubro, revelou que não foram apenas protestantes liberais, como metodistas ou episcopais, que abandonaram sua fé, mas também os mais conservadores. As perdas ocorreram entre os protestantes brancos, mas não entre os protestantes afro-americanos ou de outras minorias, segundo o estudo.

NYT

Janela em formato de cruz na igreja batista de South Calvary, em Indianápolis

Quando eles desistem da religião, ao invés de de mudarem de igreja, eles se juntam às fileiras crescentes que não se identificam com nenhuma religião. Quase 1 em cada 5 americanos, ou 19,6% , disseram que são ateus, agnósticos ou “neutros”.

Esta é uma mudança significativa em comparação ao cenário de apenas cinco anos atrás, quando os adultos que diziam não ter religião representavam cerca de 15% da população. Além disso, trata-se de uma mudança sísmica em comparação a 50 anos atrás, quando cerca de 7% dos adultos americanos disseram não ter filiação religiosa.

Agora, mais de um terço dos americanos com idades entre 18 e 22 não possuem qualquer filiação religiosa. Estes jovens irão substituir as gerações mais velhas que estiveram muito mais envolvidas com a religião ao longo de suas vidas.

“Nós realmente não havíamos presenciado nada como isso antes”, disse Gregory A. Smith, um pesquisador sênior do Fórum Pew. “Mesmo quando os baby boomers envelheceram, no início dos anos 1970, havia metade da probabilidade de terem uma ligação religiosa do que os jovens de hoje.”

Os “neutros”, como são chamados pelos pesquisadores, hoje compõem o segundo maior agrupamento religioso da nação. O maior grupo é o dos católicos, que compõem cerca de 22% da população. Seus números se mantêm, principalmente porque um afluxo de imigrantes substituiu 14% dos católicos que foram criados na igreja e a abandonaram nos últimos cinco anos, disse Smith.

O aumento de pessoas que afirmam não pertencer a uma religião é susceptível de ter consequências políticas, disse Phil Zuckerman, professor de sociologia e estudos seculares na Faculdade Pitzer, na região do Sul da Califórnia.

O relatório Pew oferece várias teorias para explicar o surgimento dos não religiosos. Uma das teorias é a de que os jovens adultos ficaram desiludidos com a religião organizada quando as igrejas protestantes evangélicas e católicas tornaram-se ativas em causas políticas conservadoras, como a oposição ao homossexualismo e ao aborto.

Outra teoria é a de que a mudança reflete uma tendência mais ampla de não participar mais da vida social local e comunitária, o fenômeno apelidado de “Bowling Alone” (jogando boliche sozinho, em tradução literal), de Robert D. Putnam, professor de políticas públicas da Universidade de Harvard.

Outra explicação é que os Estados Unidos estão simplesmente seguindo a tendência de secularização já vista em muitos países economicamente desenvolvidos, como Austrália e Canadá, e alguns na Europa. Esta teoria postula que pessoas que são saudáveis e financeiramente seguras têm menos necessidade existencial para uma religião.

Os Estados Unidos sempre foram a grande exceção desta tendência secularizante, e não está claro se os americanos estão necessariamente tendendo em direção ao modelo europeu.

O relatório Pew descobriu que, mesmo entre os americanos que alegaram não ter religião, poucos se qualificaram como sendo puramente seculares. Dois terços disseram ainda acreditar em Deus, e um quinto disse rezar todos os dias. Apenas 12% do grupo sem filiação religiosa disseram ser ateus e 17% agnósticos.

A Reverenda Eileen W. Lindner, que vem narrando as estatísticas religiosas durante anos como editora do Anuário de Igrejas americanas e canadenses, observou essa complexidade.

Ela disse, “Muitas pessoas irão ler este estudo e dizer: ‘Isso é terrível! O que está acontecendo com a nossa cultura?’ Eu, como cientista social e pastora, pediria cautela.”

“Muitos jovens não participam muito dos cultos, mas se fazemos um projeto de missão, eles normalmente comparecem”, disse Lindner. “Eles administram as cozinhas, eles constroem as casas no projeto Habitat para a Humanidade”.

Eles podem até não comparecerem nos domingos, disse ela, mas não abandonaram a sua fé.

Por Laurie Goodstein

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/nyt/2012-10-15/numero-de-protestantes-cai-nos-estados-unidos-diz-estudo.html

Uma análise: As igrejas tradicionais não tem mais proposta que satisfaça as pessoas. As pessoas estão procurando algo mais que simplesmente assistir cultos que não passam de cansativas rotinas semanais sem sentido e sem respostas às necessidades da sociedade moderna. Diante dessa situação, há três vias se formando. Há as igrejas tradicionais que se acomodaram no tempo, vivem do passado e estão definhando. Há as igrejas inovadoras, que cativam as pessoas por meio de shows e grandes manifestações de poder e sinais. E há a via da pregação da tríplice mensagem angélica, que anuncia um novo sistema de vida não nesse mundo.  Essa é a via da Igreja Adventista do Sétimo Dia. É uma via bem difícil, pois é estreito o seu caminho, repleto de restrições, diferente do caminho largo de não seguir igreja alguma, ou do caminho largo dos milagres, sinais e maravilhas aqui e agora. Com poder ao alto, essa via de pregação e ensinamentos se fará ouvir pelo mundo todo. E todos tomarão suas decisões, e alguns, somente alguns, decidirão pelo caminho estreito aqui, mas largo no Céu.

Não é pelos números que a IASD deve ser avaliada, mas pelo que prega e pela vida de seus membros. E no caso dos membros, mesmo assim, nem todos, pois estamos em tempos de decisão. Esses são tempos em que as pessoas do mundo inteiro estão se posicionando, para a vida ou para a morte.

1 comment for “Número de protestantes cai nos Estados Unidos, diz estudo

  1. wesley
    outubro 18, 2012 at 2:13 pm

    ola prof sikberto ainda não entendo totalmente sobre a volta de cristo nem sobre o decreto dominical sei que minha pergunta não tem nada a ve com o assunto aqui mais a minha pergunta tem a ver sobre a volta de jesus ja que tambem o nome do site é cristo voltará e a minha pergunta é a seguinte em que os justos vivos e os justos mortos que ressucitarem na volte cristo eles serão transformados em que corpo se é um corpo diferente da carne, ossos e sangue em que somos atualmente e si quando jesus falou que na ressureição não se casam nem de dão em casamento se isso inclui TAMBEM os justo que estiverem vivos por ocasião da volta de jesus? obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *