O vídeo de ofensa aos muçulmanos

Print Friendly, PDF & Email

Milhões de muçulmanos em protestos no mundo árabe resultaram em violência e mortes.  Há algo por trás disso. Não acontece por acaso ou por ingenuidade. A repercussão foi e está sendo ainda muito intensa.

O trailer de 14 minutos do filme que dura em torno de uma hora,  Innocense  of  Muslims (Inocência de Muçulmanos, em tradução livre) apresenta o islã como violento e Maomé como sedento de poder e inspirador do ódio no mundo. Inclusive mostra o profeta muçulmano em posições sexuais com várias mulheres e até declarando ser homossexual. Também mostra Maomé como ganancioso, violento e inimigo dos cristãos. De onde o autor tirou tais informações certamente nem ele sabe. Há trechos do Corão falando em extorquir e matar pessoas, incitando a violência. Já li o Corão, e não encontrei esses trechos, foram inventados pelo autor.

O povo islã considera esse vídeo como uma ofensa e blasfêmia. Muito embora a reação seja exagerada, que o vídeo, meio amador, é ofensivo, pelo visto não há dúvidas. Parece que há algumas coisas intrigantes no vídeo e no filme completo. Dizem que no original, quando em gravação, não tratava sobre o islã. Depois de gravado teriam dublado texto diferente sobre o original, daí sim, tratando dessa religião. É o que afirmam os atores, em torno de 50. Inclusive o autor aparece no Youtube com o pseudônimo “Sam Bacile”, mas já descobriram que o nome dele é Nakoula Basseely Nakoula, um egípcio cristão copta que mora na Califórnia. Ele está condenado a pagar mais de US$ 790 mil em restituições, por fraudes anteriores contra o governo. Os atores dizem que as referências a Maomé não existiam nas gravações, foram inseridas depois por dublagem. Quando filmaram o nome do filme era Desert Warriors, ou Guerreiros de Deus em tradução livre. Seria um drama de famílias do Oriente Médio.

Pois bem, o que existe por trás disso tudo? Depois da polêmica e violência provocada pelas charges sobre Maomé em 2006, ninguém seria tão ingênuo em imaginar  que algo assim, feito dessa maneira, iria passar em brancas nuvens. Há intensões graves motivando esse filme, que parece não ser um trabalho profissional, mas bem amador. Tem a nítida intensão de provocar manifestações públicas e insuflar o povo islâmico. Nessa Primavera Árabe, tais manifestações violentas jogam a opinião pública do mundo ocidental contra os muçulmanos, orientais, e que se expandem pelo mundo. Assim fica justificada a necessidade de neutralizar essa forma de religião e suas políticas em seus países e por onde se multiplicam. Parece ser um novo tipo de cruzada de cristãos contra os muçulmanos.

Mas ainda há claramente outro motivo, e este é o mais importante.  O evangelho eterno já está sendo pregado pelo mundo todo, e encontra interessados nos países da Ásia. Como esta pregação tem por sede a América do Norte, e como tem antigas ligações com os judeus, o primeiro povo de DEUS, para satanás vale como estratégia de guerra jogar os muçulmanos contra o Ocidente cristão, de onde vem a última mensagem ao mundo. Ao longo da história satanás sempre utilizou as ambições humanas para articular poderes contra DEUS e Seu povo. Mais ainda se valeria desta estratégia nos últimos dias.

É como se diz por aí: guerra é guerra, embora a arma do verdadeiro cristianismo seja o amor. Que não se tenha dúvida, entre o povo muçulmano há uma maioria de pessoas de paz, assim como entre os cristãos, e também entre os muçulmanos há os dados a violência, assim como entre os cristãos. Na mensagem final, da última advertência ao mundo, adoradores de todas as igrejas do mundo, que são do bem, formarão uma só fileira para o dia da vinda do Salvador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *