Porque a discriminação contra quem não aceita música gospel?

Print Friendly, PDF & Email

Importantes perguntas que clamam por respostas

Até quando permaneceremos divididos quanto ao louvor?

Prof. Sikberto R. Marks

Os grifos em citações foram acrescentados

 

Há uma crescente animosidade contra pessoas e igrejas que resistem em aceitar a música de som alto com bateria. Quais serão os motivos? Será preconceito? Será influência do inimigo? Porque essas pessoas não falam contra aqueles pastores líderes globais, que também não aceitam tal música? E porque estes líderes, embora contra, pouco se posicionam?

A música fortemente ritmada é recente na igreja. Entrou em meados dos anos 1990. Antes não havia. Se ela é recente, porque as igrejas que utilizavam as músicas do hinário agora são obrigadas, sob pena de discriminação, aceitar a que veio há menos de 20 anos? Só agora foi descoberto o verdadeiro louvor? Ou é para contentar um novo estranho costume?

“Que contraste entre o antigo costume, e os usos a que muitas vezes é a música hoje dedicada! Quantos empregam este dom para exaltar o eu, em vez de usá-lo para glorificar a Deus!” (Refletindo a CRISTO, MM, 19986, 247).

Se o conflito é em torno da adoração, e se o louvor está ligado a adoração, e se satanás é músico, essa introdução recente na igreja não tem nada a ver com o grande conflito, nem se origina do inimigo?

O que essa música, evidentemente misturada com o mundo, fortemente ritmada, volume alto, adequada para dança, tem de superior ao tradicional louvor na igreja? Para que finalidade veio justo antes da volta de JESUS? Para saudá-Lo?

Se o mundo busca cada vez mais os shows em grandes ajuntamentos, com balbúrdia, devemos nós também utilizar esse método para atrair pessoas a CRISTO? Em lugar de recursos do mundo, não seria melhor ter o poder do ESPÍRITO SANTO? Ellen White escreveu?

A conformidade com os costumes mundanos converte a Igreja ao mundo; jamais converte o mundo a Cristo (O Grande Conflito, p. 509).

“O Espírito Santo nada tem que ver com tal confusão de ruído e multidão de sons como me foram apresentadas em janeiro último. Satanás opera entre a algazarra e a confusão de tal música, a qual, devidamente dirigida, seria um louvor e glória para Deus(Atos dos Apóstolos, 300).

Porque alguns dizem que o ESPÍRITO SANTO está atuando em razão de reunirem grandes multidões, com a música gospel, se EGW diz ser o contrário? Nossa profetisa não é mais bem vista por muitos de nós!

Se nosso manual é bem claro sobre o louvor, porque não é mais seguido? Uma organização que não segue nem seu manual enfraquece. Não será isto que satanás deseja para a igreja, enfraquece-la? O manual diz:

“Grande cuidado deve ser exercido na escolha da música. Toda melodia que pertença à categoria do “jaz”, “rock” ou formas correlatas, e toda expressão de linguagem que se refira a sentimentos tolos ou triviais, serão evitados pelas pessoas verdadeiramente cultas. Usemos apenas a boa música, em casa, nas reuniões sociais, na escola e na igreja.” (Manual da Igreja, 172)   Porque não podemos mais seguir nosso próprio manual sem sermos mal vistos por muitos irmãos? E Ellen G. White deixa bem claro o que é “boa música”!

O ministério da igreja está visivelmente dividido quanto a música com bateria. Há três grupos: os que são contra, os que são a favor e os indiferentes. A qual deles os membros devem dar ouvidos? Se os ministros estão divididos, estariam os membros unânimes? Porque muitos acusam só os membros e não os pastores que também não aceitam tal louvor?

 

Porque não existe sequer um artigo oficial na Revista Adventista, e nenhum livro publicado pela CPB, ou pela Unaspress, a favor dessa música? Porém, contra ela, ou alertando, há dezenas de artigos na Revista Adventista, vários livros e o manual da igreja. Em que textos oficiais fundamentam-se aqueles que defendem tal música? Porque doutores em teologia pesquisam e escrevem contra essa música, e se realizam TCCs contra ela, mas não a favor? Outra vez, porque nós membros não podemos optar pelo tradicional?

Porque todos os versículos bíblicos, eventualmente usados para justificar tal música, foram, um a um, rebatidos por pastores e outros estudiosos do assunto, em seus artigos ou livros? Já não resta mais texto a favor de tal música na Bíblia que alguém não tenha explicado, no entanto, esta música continua em nosso meio! Qual a origem de seu poder?

O que há de errado em relação aos chamados conservadores? Lúcifer também achou o Céu muito conservador, e intentou fazer reformas para melhorar as coisas por lá! As consequências estamos sofrendo. Adão e Eva, para deixarem de ser conservadores conheceram o mal. As inovações de Lúcifer só tem causado problemas. Porque membros que não admitem esse novo estranho louvor devem justificar-se aos que a desejam? Porque temos que abandonar os hinos do hinário?

Essa música, que é de som alto, serve para dança, e tem tambores, se não é ela a cumprir a profecia de EGW, então qual outra ainda há de vir para cumprir a profecia? Teria Ellen G. White errado?

“…Demonstrar-se-á tudo quanto é estranho. Haverá gritos com tambores, músicas e dança. Os sentidos dos seres racionais ficarão tão confundidos que não se poderá confiar neles quanto as suas decisões retas. E isto será chamado operação do Espírito Santo”… Mensagens Escolhidas, Vol. 2, pg.36. Um pouco antes, na mesma profecia, Ellen G. White aponta para o tempo em que estas manifestações voltariam a aparecer, afirmando: “o Senhor revelou-me que haviam de ter lugar imediatamente antes da terminação da graça“.

“Essas coisas que aconteceram no passado hão de ocorrer no futuro. Satanás fará da música um laço pela maneira por que é dirigida”. (Mensagens Escolhidas, Vol. 2, pág.38).

Havia ruidosa alegria, havia riso vulgar, abundância de entusiasmo e uma espécie de inspiração; mas a alegria era daquela espécie que unicamente Satanás é capaz de produzir. É um entusiasmo e uma absorção de que os que amam a Deus se envergonharão(Conselhos aos Professores, pais e estudantes, 339).

“As coisas que descrevestes como ocorrendo em Indiana, o Senhor revelou-me que haviam de ocorrer imediatamente antes da terminação da graça. Demonstrar-se-á tudo quanto é estranho. Haverá gritos com tambores, música e dança. Os sentidos dos seres racionais ficarão tão confundidos que não se pode confiar neles quanto a decisões retas. E isto será chamado operação do Espírito Santo. O Espírito Santo nunca Se revela por tais métodos, em tal balbúrdia de ruído. Isso é uma invenção de Satanás para encobrir seus engenhosos métodos para anular o efeito da pura, sincera, elevadora, enobrecedora e santificante verdade para este tempo” (Mensagens Escolhidas. V. 2, 36)

Se Ellen G. White define o louvor como suave, harmonioso, sem volume alto, porque devemos aceitar o contrário? Por qual razão, quem não a aceita, é mal visto pelos que querem? Porque a igreja verdadeira tem que estar dividida?

“Pensam alguns que, quanto mais alto cantarem, tanto mais música fazem; barulho, porém, não é música. O bom canto é como a música dos pássaros – dominado e melodioso. Aparelhamento faustoso, ótimo canto e música instrumental na igreja não convidam o coro angélico a cantar também” (Evangelismo, 511 e 512).

Se a tal música e seu ritmo está nas ruas, nas boates, nas casas de dança, nas academias de ginástica, nas igrejas de Babilônia, temos nós, o povo de DEUS, também que aceitá-la? Não deveríamos ser, no mínimo, mais criativos e originais que o mundo? Não deveríamos, como cidadãos do reino de DEUS, nos diferenciar em relação ao mundo?

Diz-se: ‘se por essa música pessoas tem vindo à igreja, então podemos usá-la.’ No entanto, essa mesma música atrai multidões a todas as igrejas, e a outros shows. Nós, adventistas, devemos ser peculiares, tendo o poder do ESPÍRITO SANTO, em que nos diferenciamos quanto a atrair as pessoas. João Batista e JESUS CRISTO atraíram multidões ao deserto, só por esse poder. Não se justificam métodos vulgares quando temos à disposição um poder superior a tudo.

 

Se Ellen G. White profetizou que nos últimos dias entraria na igreja música de dança com som alto, gritos e tambores; se há muitos pastores e pesquisadores alertando que ela já está aí; se todos esses dizem que não é louvor, mas é invenção de satanás, quem somos nós para duvidar disso? E porque há muitos ministros, músicos e membros, que duvidam? O que eles de fato querem? Não seria esta mistura de melodia mundana com letra sacra o Ômega da apostasia?

Porquê cantores desse tipo de louvor precisam se contorcer, parecendo realizar grande esforço?

Exibição não é religião nem santificação(Evangelismo, 510).

“O talento musical não raro incentiva o orgulho e o desejo de exibição, e os cantores não têm senão pouca atenção para o culto de Deus” (A fé pela qual eu vivo, MM, 1959, 242).

“O irmão U tem bom conhecimento de música, mas a sua educação musical é de tal índole que se adapta mais ao palco de um teatro do que à solene adoração de Deus.” (Mensagens escolhidas, V3, 333).

A música gospel pode ser descrita como abaixo? Se não, qual a razão de estar entre nós?

“Foi-me mostrada a ordem, a perfeita ordem do Céu, e senti-me arrebatada ao escutar a música perfeita que ali há. Depois de sair da visão, o canto aqui me soou muito áspero e dissonante. (…) Ela é indescritível. É melodia celestial, divina, enquanto cada semblante reflete a imagem de Jesus, irradiando glória indizível” (Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 45).

Em visão da viagem ao Céu, no caminho estreito, Ellen. White viu:

“Estremecíamos ao ouvir o rumor de divertimento e orgia que pareciam vir do abismo. Ouvimos o juramento profano, o gracejo banal e cânticos baixos e vis. Ouvi o cântico de guerra e a música de dança. Ouvi música instrumental e altas gargalhadas misturadas com maldições, gritos de angústia e pranto amargurado, e ficamos mais preocupados do que nunca em nos conservar no caminho estreito e difícil” (Vida e ensinos, 182).

O caminho para o Céu é estreito. Nele não pode haver mistura de coisas que há no mundo.

“Vários entretenimentos são introduzidos para tornar interessantes as reuniões, e atrativas para os mundanos… e assim degeneram muitas vezes em desmoralizantes representações teatrais e tolices vulgares. Todas essas satisfazem a mente carnal, em inimizade contra Deus; não robustecem, porém, o intelecto, nem consolidam a moral” (Conselhos aos pais, professores e estudantes, 542).

 

Música e seu cumprimento profético

A música que cumpre a profecia de Ellen G. White, para o fim, na igreja, só poderia entrar na igreja mediante a concordância e principalmente incentivo da parte de muitos líderes superiores, pois são eles que devem vigiar sobre o rebanho, assim, são também eles que tem o poder de abrir ou de manter fechada a porta ao que vem do mundo e que quer prejudicar a obra de CRISTO.

“… é um grave equívoco dos crentes quando a igreja tenta incorporar em seus cultos os entretenimentos mundanos, incluindo música profana, na tentativa de atrair pessoas. […] é impossível alguém imaginar Jesus atraindo multidões com um conjunto musical que executasse a música que se ouvia na corte de Herodes, como aquela que foi usada quando da dança sensual de Herodias” (R. N. Champlin e J. M. Bentes, Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia, v.3, p. 226, citado em 4ª SEE – Jornada do Seminário de Enriquecimento Espiritual, p. 55).

 

Três perguntas: Diante da situação do louvor atual, que interesses estão em jogo? Permaneceremos divididos em um ponto essencial: o louvor a DEUS? Esperaremos até que a sacudidura providencia a unidade?

Ora, não depreciem aqueles que simplesmente querem adorar conforme “está escrito” pela vontade de DEUS!

26 comments for “Porque a discriminação contra quem não aceita música gospel?

  1. emerson augusto weber
    dezembro 7, 2012 at 7:53 pm

    PERMITA-ME COMPARTILHAR COM VOCÊ ALGO QUE VEJO NO GRUPO DE JOVENS, MAS TAMBEM VEJO NAS IGREJAS DE GRANDES E PEQUENAS CONGREGAÇÕES. PORQUE NÓS TEMOS REBAIXADO O EVANGELHO, PORQUE NÓS NÃO TEMOS PREGADO O VERDADEIRO EVANGELHO E NÓS TEMOS USADO MEIOS CARNAIS PARA ATRAIR PESSOAS, SE VOCÊ USA MEIOS CARNAIS PARA ATRAIR HOMENS, VOCÊ VAI ATRAIR HOMENS CARNAIS, E VOCÊ TERÁ DE USAR MEIOS CARNAIS AINDA MAIORES PARA MANTE-LOS NA IGREJA. DESSA FORMA, ACONTECE O SEGUINTE, NÓS TEMOS GRANDES IGREJAS CHEIAS DE HOMENS NÃO CONVERTIDOS E CARNAIS, MAS NESSAS IGREJAS NÓS TAMBEM TEMOS UM GRUPO PEQUENO DE PESSOAS QUE QUEREM A CRISTO HONESTAMENTE E QUE QUEREM HONESTAMENTE SUA PALAVRA, E HONESTAMENTE QUEREM SER TRANSFORMADOS, ELES NÃO PRECISAM DE MAIS NADA, TUDO QUE PRECISAM É A VERDADEIRA ADORAÇÃO DO DEUS VERDADEIRO E A ESCRITURA SER PREGADA A ELES E ENTREGUE A ELES. É ISSO QUE ELES QUEREM. AGORA, QUERO LHE DIZER QUE O MAIOR PECADO DOS PASTORES E DA LIDERANÇA, E POR FALAR ISSO PODE NOS TRAZER PROBLEMAS, MAS É VERDADE. ESSE PEQUENO GRUPO DE PESSOAS CONVERTIDAS, TUDO O QUE QUEREM É JESUS, E TUDO QUE QUEREM É FAZER A COISA CERTA. ELES QUEREM PUREZA, QUEREM VERDADE, QUEREM CRISTO, MAS A LIDERANÇA PARA CONSEGUIR MANTER ESSE GRUPO MAIOR DE PESSOAS NÃO CONVERTIDAS, É FORNECIDO ALIMENTO A ELES. ENTÃO ENQUANTO ESTÃO SENDO ALIMENTADOS COM COISAS CARNAIS ESTES HOMENS E MULHERES CARNAIS ESTÃO DEIXANDO AS OVELHAS DE DEUS MORREREM DE FOME E UM DIA VÃO ESTAR DIANTE DE DEUS NO DIA DO JULGAMENTO. A PALAVRA DE DEUS DIZ QUE SERIA MELHOR AMARRAR UMA PEDRA DE MOINHO A SEU PESCOÇO, DO QUE FAZER COM QUE ESSES PEQUENINOS SEJAM ESCANDALIZADOS.
    A maior necessidade do mundo é a de homens – homens que se não comprem nem se vendam; homens que no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens, cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao pólo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus. Educação, págs. 56 e 57.

    • emereson augusto weber
      dezembro 9, 2012 at 3:53 pm

      A conformidade aos costumes mundanos converte a igreja ao mundo; jamais converte o mundo a Cristo. A familiaridade com o pecado inevitavelmente o fará parecer menos repelente. Aquele que prefere associar-se aos servos de Satanás, logo deixará de temer o senhor deles. Quando, no caminho do dever, somos levados à prova, como o foi Daniel na corte do rei, podemos estar certos de que Deus nos protegerá; mas se nos colocamos sob tentação, mais cedo ou mais tarde cairemos. O Grande Conflito pag. 509.

  2. juliane
    dezembro 9, 2012 at 2:55 pm

    acho q o que conta é a adoração sincera,de coração limpo,se a pessoa n adora em espírito e em vdd,pode tocar arpa q ela a glorificara a si propria do mesmo jeito.ainda bem que DEUS n ve como o homem ve né,ao invés de se preocupar com aquilo que cabe a DEUS julgar pq n vão converter as vidas pra DEUS???o homem n pode dizer se é certo ou errado,isso é apenas DEUS que determina!

    • Sikberto
      dezembro 9, 2012 at 5:33 pm

      Não é bem assim, DEUS deixou instruções claras sobre a música, como Ele quer, não como nós achamos. Procure ler a respeito do que profetas escreveram, e vai se assustar com o que você “acha”.

    • emerson augusto weber
      dezembro 9, 2012 at 10:22 pm

      A história dos cânticos da Bíblia está repleta de sugestões quanto aos usos e benefícios da música e do canto. A música muitas vezes é pervertida para servir a fins maus, e assim se torna um dos poderes mais sedutores para a tentação. Corretamente empregada, porém, é um dom precioso de Deus, destinado a erguer os pensamentos a coisas altas e nobres, a inspirar e elevar a pessoa.

  3. Rômulo Monteiro
    dezembro 9, 2012 at 7:28 pm

    Só sei de uma coisa…. tudo está si cumprindo como diz a palavra de DEUS!

  4. Gilvan Almeida
    dezembro 11, 2012 at 1:34 pm

    Olá prof. Sikberto,

    Sei que esse tema é bastante controverso. Já houve muito o que se escreveu sobre o assunto. Não vou dizer que sou o dono da verdade. Nem ouso responder todas as perguntas tão bem elaboradas pelo professor a quem muito prezo por seu conhecimento bíblico e do Espírito de Profecia.

    Já entrei em muitos debates acirrados sobre música. Acho que pelo fato de ser compositor autoditada e uma das minhas “paixões” ser a música. Apesar de não tocar nenhum instrumento(já tentei tocar o violão, mas confesso que os que me ouviam me fizeram desistir)Deus me deu esse dom de compor. Mas esquecendo de mim e voltando para o tema quero trazer alguma luz sobre o assunto.

    Dentre os debatesa acirrados que entrei foi sobre o mau uso dos instrumentos de percussão. Não sou contra o uso desse instrumento. Mas contra o seu mau uso. O próprio Hinário Adventista apresenta músicas com percussão, com p.ex. “OH, QUE ESPERANÇA”(H.A. 369). Tudo tem a ver como a forma que o instrumento é utilizado dentro da música. Instrumentos de percussão dentro de uma orquestra ficam bem harmônicos, não é verdade. Já imaginaram uma grande orquestra, sem percussão? Não fica muito bom, não é verdade?

    Dentro do conceito de música golpel muita coisa se confunde. Deveríamos evitar esses conceitos muito genéricos. P. ex. o Hinário Adventista traz várias músicas que são consideradas gospel, “Achei um grande amigo”(88), “Graça Excelsa”(205), entre outros, são músicas consideradas Negro Espiritual, produto da cultura gospel americana.

    Não serei louco em defender tudo o que a cultura golpel tem produzido. Uma boa parte é só lixo. Não só estético(que não é o mais importante, a meu ver) mais doutrinal. Algumas são até heréticas, outras profundamente banais, além de melodicamente pobres.

    Creio que nesse ponto está certo o artigo, devemos ser criteriosos em nossas igrejas em não imitar esse lixo neopagão que invade a maioria das igreja evangélicas.

    Em nossa igreja adventista, não vemos música com letras heréticas(que acho o mais importante). Quanto a parte estética, onde entra a harmonia, a melodia, o ritmo, etc, temos algumas composições que são maltrabalhadas, que realmente merecem ser deixadas fora da solenidade do culto.

    A igreja não é lugar para o hap, o hip hop, funk, forró, etc. Musicas com ritmos que levam as pessoas a dançar, em vez da meditação na mensagem cantada não deve tocar na igreja. Independentemente se consta bateria ou não. Apenas um violão pode levar as pessoas a dançar, entende? Nós cultuamos a Deus com a mente(Rom. 12:2), se o predomínio é do corpo, onde fica a razão?

    No entanto, existem muitas músicas nossas com bateria que são apropriadas para o culto. Veja a maioria das músicas do Arautos do Rei dos últimos 10 anos. São impróprias para a igreja? Claro que não! Pois o ritmo imposto à musica não leva à dança, mas à reflexão na mensagem cantada.

    Ainda assim considero inadequado que na igreja termos esses intrumentos fisicamente por não termos pessoas preparadas para tocá-las e também pelo fato de não escandalizar os débeis na fé com a aparencia do mal, que poderão ver não uma igreja mas um show.

    Lembro também que Ellen White sempre propugna para vida cristã três posições: A ideal, a aceitável e a reprovável.

    Às vezes uma música pode não estar no ideal, mas ser aceitável. Também pode acontecer de a musica ser o ideal, mas o coração do adorador não. Então, devemos exercer cautela em julgar as pessoas por seus gostos.

    Além do mais, a Bíblia diz que nós que somos fortes, devemos suportar os fracos.

    Lembro de uma igreja que fundamos com outros irmãos. Naquela igreja a maioria tinha vindo de igrejas pentecostais. Suas músicas eram na maioria pentecostais, pois pouco conheciam da musica adventista. Cantavam com muito fervor suas músicas na igrejinha até que foram aprendendo as musicas adventistas. Hoje naquela igrejinha existe um grupo vocal que canta músicas genuinamente adventista.

    Nós que somos espirituais temos que ser fortes para levar conhecimento aos mais fracos e assim possamos juntos crescer em Cristo. Sabemos que dos excessos dos ramos, Ele mesmo poda(Jo. 15:4).

    Lembremos do que Cristo falou: “Sim; nunca lestes: Pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor?”
    Mateus 21:16

    Não discriminemos aqueles a quem Deus purificou, mas tenhamos sabedoria e tato para conduzir bem o rebanho de Cristo, pois apesar de defeituosa e débil a igreja, é o único objeto da suprema atenção de Deus na terra, segundo a mensageira do Senhor.

    Um abraço!

    Fica com Deus!

    Gilvan Almeida

    • Jean
      dezembro 25, 2012 at 12:35 am

      Querido Gilvan Almeida,

      Paz e Graça.

      Imagino quão preciosos são os seus conhecimentos em relação à música. Você sabe, assim como eu, que tal capacidade é de total valia para a conversão de almas e também é de vital importância para a manutenção da fé dos cristãos sinceros. Podemos vislumbrar a harmonia celeste através do louvor solene.

      Os verdadeiros adoradores não são atraídos por sentirem na casa de Deus as mesmas emoções que sentem no mundo. Se estão buscando a Cristo de coração é porque o mundo já os incomodou. Mas se essas pessoas se incomodam com a solenidade que há nos cultos que elevamos e oferecemos à Deus é sinal de que elas também não se sentiriam bem no céu. Essas pessoas que se encantam com os prazeres e ritmos desse mundo odiariam ir para um lugar onde se soa a solene harmonia que emana do trono do Pai.

      Sabemos que podemos apressar em muito a volta de Cristo se buscarmos refletir perfeitamente o Seu caráter, se buscarmos a luz que à nós foi concedida através da Bíblia e do Espírito de Profecia. Sabemos que os maiores trabalhos evangelísticos são feitos através do nosso testemunho. Se refletimos a atmosfera celeste, seja em nossa casa, vizinhança, trabalho ou igreja, a igreja invisível de Cristo logo se unirá.

      Esse é o nosso objetivo como igreja, refletirmos o caráter de Deus à este mundo de trevas. E nosso dever como músicos é elevar o verdadeiro adorador à atmosfera celeste e não tentar fazer Deus descer ao nível do mundo. Precisamos unir nossas forças, pois jogamos no mesmo time. O inimigo tenta nos separar de várias maneiras, pois ele sabe a força que tem a igreja de Deus quando se une no mesmo propósito.

      Vamos nos unir primeiramente em oração para buscarmos a vontade de Deus. Já podemos ver os sinais do fim e as profecias se cumprindo. Lutemos para que as armadilhas de satanás não nos afastem de nosso Deus.

      Maranata.

  5. Joás Mota
    dezembro 13, 2012 at 12:25 pm

    Texto que pretende questionar o preconceito se torna extremamente preconceituoso.
    Textos como “O que essa música, evidentemente misturada com o mundo” mostram que o autor não está questionando o preconceito, diferente do que sugere o título do artigo, mas julgando e condenando quem tem um gosto diferente do dele.
    Lamentável!!!

    • Sikberto
      dezembro 14, 2012 at 9:07 am

      Joás Mota; o texto está fundamentado em escritos oficiais. Podes rebatê-los, com outras citações mas que sejam oficiais, da Bíblia ou do Espírito de Profecia, aí a tua posição poderá ter credibilidade. Por enquanto, o que escreveste apenas confirmou os questionamentos feitos no texto.

  6. ADRIANO CUNHA MARTINS
    dezembro 14, 2012 at 7:12 pm

    PROFESSOR… Q DEUS O ABENÇOE INFINITAMENTE ASSIM COMO A SUA FAMÍLIA TB… Q DEUS CONTINUE A INSPIRAR A SUA MENTE DE FORMA QUE JAMAIS SE CANSE DE LUTAR E ABRIR OS NOSSOS OLHOS QUANTO AS VERDADES DE DEUS E SEUS ESCRITOS, LAMENTÁVEL VER NA NOSSA IGREJA PESSOAS QUE ESTÃO A ANOS E ANOS EM NOSSO MEIO E QUE CONTESTAM E LUTAM CONTRA A PRÓPRIA IGREJA A QUAL FAZEM PARTE!

    • Sikberto
      dezembro 15, 2012 at 4:28 pm

      O que acontece entre nós é simplesmente o cumprimento de uma profecia de EGW. Minha responsabilidade é alertar. Para satanás é muito conveniente que a igreja esteja dividida, mas ela não continuará assim por mais muito tempo. Há um vigia observando, no momento certo Ele entrará em ação. Assim como no Templo de Jerusalém, Ele agirá outra vez, não com azorague, mas com sacudidura. É para buscar salvar quantos for possível de serem sacudidos fora que postei este questionamento.

    • Diones fernandes
      Janeiro 14, 2016 at 1:19 pm

      Belíssimo comentário. parabéns,que outros possam pensar igual a esse rapaz e assim já estaríamos no céu.

  7. Nelson
    dezembro 15, 2012 at 12:35 pm

    Irmão Sikberto,

    Excelente artigo e muito oportuno. Eu creio que esse assunto é um dos que dividem quem quer obedecer a Cristo e quem ainda resiste ao Espírito Santo. Sugiro publicar nesse site um complemento a esse artigo que mostre a origem do rock e do jazz e alguns estudos científicos sobre a música com percussão. Já li que a batida do rock, por exemplo, é contrária aos batimentos do coração, causando uma perturbação fisiológica a princípío imperceptível, mas que reduz as sensibilidades. Isso, para nós, prejudica a operação do Espírito Santo. Abaixo um link interessante de rádio de música cristã “clássica”.
    http://www.oldchristianmusic.com

  8. aparecida artioli
    Abril 21, 2013 at 2:24 pm

    Pastor, estou muito triste com tudo o que vem acontecendo na igreja, não só com relação a música, também vestuário, uso de adornos, alimentação, crianças premiadas na escolinha sabatina, com doces e chocolates. Pastores pedindo aplausos para cantores, no culto?????? Coral cantando, dançando e acompanhando o ritmo com palmas???? Ouço argumentos de pessoas citando passagens bíblicas que relatam que Davi, Mirian e outros dançaram em homenagem ao Senhor… estou pensando em deixar a igreja, fazer grupo em casa…um abraço

    • Sikberto Marks
      Abril 23, 2013 at 10:01 pm

      Não faça isso. Aguarde firme em seu lugar, na igreja. Se puder, mude para uma comunidade nossa em outro lugar, que seja mais conservadora. Isso vai pasasr, o importante é não nos perdermos e não enfraquecermos na fé. É como diz EGW: “Aqueles que estão em harmonia com Deus, e que através da fé nEle recebem forças para resistir ao que é errado e permanecer em defesa do que é correto, sempre terão severos conflitos e muitas vezes terão de permanecer quase sozinhos. Mas preciosas vitórias serão deles enquanto fizerem de Deus sua dependência. Sua graça será a força deles. A sensibilidade moral destes será clara e aguçada, e suas faculdades morais se-rão capazes de resistir a influências errôneas. A integridade deles, como a de Moisés, será da mais pura qualidade” TS vol. 2, p. 31 (extraído do livro Ômega).

    • emerson augusto weber
      Abril 25, 2013 at 6:50 pm

      Irmã Aparecida, não desista da caminhada, pois nossa redenção está próxima. Não deixe que o inimigo das almas lhe influencie pois é a vontade dele que a irmã deixe a igreja. Leia a história de Ana em 1 samuel 1:11 e veja que ela não deixou de ir a igreja e os problemas da época dela eram bem piores, pois o pastor da igreja era Eli e seus dois filhos Ofini e Finéias. E a grande lição que Ana nos dá é que ela mantinha seus olhos fixos em Jesus e podemos ver que ela era uma mulher de oração, não desista de Jesus estarei orando pela irmã.

      Haverá contínua e aguda contenda. Como Daniel e os seus companheiros em Babilônia, devemos agora fazer o propósito de ser fiéis ao princípio, venha o que vier. A incandescente fornalha ardente aquecida sete vezes mais do que era necessário, não fez com que esses fiéis servos de Deus se afastassem de sua obediência à verdade. Permaneceram firmes no tempo da prova, e foram lançados na fornalha; mas não foram esquecidos por Deus. A figura do Quarto personagem foi vista andando com eles nas chamas, e saíram não tendo sequer cheiro de fogo nas vestes. …
      O mundo hoje está cheio de bajuladores e dissimuladores, mas Deus proíbe que os que pretendem ser guardiães de sagrados depósitos traiam os interesses da causa de Deus, insinuando sugestões e expedientes do inimigo de toda a justiça.Testemunho para Ministros e Obreiros Evengélicos, 471.

    • emerson augusto weber
      Abril 26, 2013 at 8:39 pm

      Nã desista irmã, embora coisas estranhas estejam acontecendo na igreja Cristo está ao lado de quem o teme.

      Haverá contínua e aguda contenda. Como Daniel e os seus companheiros em Babilônia, devemos agora fazer o propósito de ser fiéis ao princípio, venha o que vier. A incandescente fornalha ardente aquecida sete vezes mais do que era necessário, não fez com que esses fiéis servos de Deus se afastassem de sua obediência à verdade. Permaneceram firmes no tempo da prova, e foram lançados na fornalha; mas não foram esquecidos por Deus. A figura do Quarto personagem foi vista andando com eles nas chamas, e saíram não tendo sequer cheiro de fogo nas vestes. …
      O mundo hoje está cheio de bajuladores e dissimuladores, mas Deus proíbe que os que pretendem ser guardiães de sagrados depósitos traiam os interesses da causa de Deus, insinuando sugestões e expedientes do inimigo de toda a justiça. Testemunho para Ministros e Obreiros Evangélicos, 471.

  9. marcia marques
    Abril 30, 2013 at 8:20 am

    estamos vivendo nm tempo onde quando queremos fazer a vontade de Deus somos preconceituosos em tudo alias inclusive temos que acetar e nao falar sobre o que diz a bilbia até sobre relacionamentos !!!! pois assim fazendo nao temos amor pelas pessoas.. o que precisamos de verdade é que Cristo acabe com tudo isso pois precisamos de adora lo em Espirito e verdade lá no céu
    aqui na terra quem é santo se santique mais e que é impuro tem se tornado cego …

  10. Alex ferreira batista
    outubro 9, 2013 at 8:22 am

    gosto muito dos seus comentarios, continue firme professor. Por favor me ajude mandando mais estudos sobre a musica.

  11. Fevereiro 7, 2014 at 11:30 am

    Olá Sikberto

    Parece que as minhas mensagens para você estão sendo bloqueadas como spam. Veja a mensagem que recebi:

    =================
    Sorry, we were unable to deliver your message to the following address.

    :
    Remote host said: 554 5.7.1 Service unavailable; Client host [98.139.213.74] blocked using bl.spamcop.net; Blocked – see http://www.spamcop.net/bl.shtml?98.139.213.74 [RCPT_TO]
    =================

    O que eu quero te dizer é o seguinte:

    ======================
    E aí, como estão as coisas?

    Quero te dizer que minha esposa acompanha, a cada sexta-feira a tua gravação do comentário em vídeo. E eu também assisto quando chego do trabalho a tempo.

    Escuta, estou preocupado com o rumo que estão tomando essas lições. Ao lê-las, me parece que estou lendo uma versão simplificada do livro “Uma Igreja Com Propósitos” do Rick Warren.

    É sabido que a IASD tem estudado há vários anos em seminários na igreja dirigida por este senhor; e me parece que os frutos deste esforço estão germinando…

    O que você acha?

    Fique com Deus!

    um abraço!
    Levi
    ======================

    Observação: pode excluir este comentário…

    • Sikberto Marks
      Abril 13, 2014 at 12:07 pm

      Tem toda razão meu irmão Levi. Iniciativas na igreja estão muito preocupadas em números, não no poder do ESPÍRITO SANTO.

  12. Lizette Picazzio
    novembro 1, 2014 at 5:45 pm

    Gostaria de dizer que estou feliz em saber que existe um grupo de irmaos que compartilha do meu desapontamento com relacao ao rumo que a musica da nossa igreja esta tomando.

    Meu pai foi musico , baterista , antes de se converter , o que tornou muito dificil para ele lidar com a musica secular dentro da nossa igreja.
    Morreu vendo a igreja que ele tanto amava ser corrompida pela musica mundana.

    Gostaria de deixar um exemplo aqui que acredito sera no minimo interessante :
    Meu esposo nao e Adventista , mas respeita e participa dos cultos familiares e da maneira como eu guardo o santo Sabado.
    Num Sabado eu coloquei para ouvirmos uns hinos e ele pediu para que eu trocasse por um Cd que ganhamos , mas que eu nao aprecio , justamente por ser gospel.Entao eu questionei o motivo e qual nao foi a minha surpresa quando ele me disse que gostava mais da musica gospel porque nao se parecia com musica de igreja!

    Incrivel…um nao Adventista consegue diferenciar hinos da musica mundana e o nosso povo , nao !

  13. Março 9, 2016 at 8:12 pm

    O Sonho de Aprender a tocar violão está virando Pesadelo?
    Conheço uma fórmula incrível que vai ajudar muito você!!!
    Clica no meu nome para você saber mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *